PROJETANDO LUZ - II

Em meio à meditação, ele surgiu silenciosamente.
Nada disse, apenas olhou-me nos olhos.
Sua expressão serena demonstrava seu equilíbrio.

Sentado na posição de lótus, flutuando no ar à minha frente, ele ergueu a mão e fez um gesto de saudação.

Imediatamente, um fluxo de energia suave fluiu no centro de minha cabeça e uma luz dourada brilhou em meu coração.

Ao mesmo tempo, sentia minhas energias vibrando intensamente por todo o corpo e uma onda de êxtase tomou-me por inteiro.

Mentalmente, ele me disse:

"Como vai você, meu filho? Que bom vê-lo novamente nas ondas do trabalho espiritual.

Há muitas pessoas precisando de esclarecimento espiritual, na Terra e em muitos ambientes extrafísicos.

Há hordas de espíritos em estado lastimável após a dissolução de seus invólucros carnais. Eles misturam-se mental e emocionalmente à humanidade encarnada, vivendo sensações de empréstimo e intercambiando energias deprimentes. Por sua vez, os encarnados permitem tal aproximação espiritual em suas vidas por pura sintonia deletéria. Em seus pensamentos e intenções, eles comungam com miríades de seres extrafísicos sem perceberem os danos psíquicos decorrentes disso.

A humanidade padece da doença do assédio espiritual e não percebe a imensa teia trevosa que se estende espiritualmente em sua manifestação vital. Escorados na invisibilidade e usando das possibilidades extrafísicas do psicossoma, os espíritos atormentados inseminam poderosas ondas psíquicas (astralizadas, pois são adensadas e corrompidas nos charcos trevosos do Astral inferior) nas mentes daqueles humanos sintonizados às suas baixas vibrações. Tais ações deletérias não são percebidas pelos sentidos toscos do homem, que não as registra conscientemente. No entanto, quem não experimentou sensações estranhas, insidiosas, que surgem repentinamente em seu íntimo? Determinadas reações psíquicas que assaltam o pensamento e liberam energias obscuras em frações de segundo, levando a pessoa à climas íntimos desagradáveis e inexplicáveis. Às vezes, parece que um escuro véu vibracional cega a pessoa para o bom senso e ela passa a perceber apenas os climas mórbidos engendrados em sua psique. O que lhe parecia interessante momentos antes, torna-se embaçado consciencialmente e tudo passa a ser cinzento. Ela entrou na sintonia dos espíritos mórbidos e suas reações serão esquisitas enquanto durar tal intercâmbio espiritual.

Urge que a humanidade tome consciência de tal problema e tome providências profiláticas quanto a essa questão dos assédios espirituais.

No caso das pessoas envolvidas em trabalhos espirituais dignos, a responsabilidade diante desse problema é maior ainda, pois em seus estudos e práticas, tomam consciência dessa realidade e sabem que seus pensamentos, sentimentos e energias emanados com serenidade e amor rompem os bolsões de energias trevosas e promovem a assepsia vibracional compatível com suas atividades de esclarecimento e assistência espiritual.

Seja na intimidade do lar ou nos trabalhos em grupo, o espiritualista responsável e consciente sintoniza seus pensamentos com o Alto e, com modéstia e amor, abre seu coração espiritual às vibrações da LUZ. Projeta no espaço espiritual as ondas de seus pensamentos e liga-se aos amparadores que sustentam seu trabalho na crosta terrestre. Torna-se um servidor da LUZ! E seu trabalho melhora inúmeros seres doentes nos vários níveis extrafísicos e também na intimidade de várias consciências encarnadas que são assistidas por seu intermédio.

O espiritualista dedicado ao trabalho renovador é um agente interdimensional. É um portador de inefáveis vibrações e para muitas consciências atormentadas, ele é um sol de amor. É um agente curador e esclarecedor e trabalha sob a égide de benfeitores sutis que aportam os recursos espirituais necessários à consecução de sua tarefa no seio do mundo.

Quanto mais lúcido, sabe de sua responsabilidade e não tergiversa no caminho. Sabe que seu ego é o grande obstáculo em sua tarefa e é por ele que os espíritos trevosos poderão acessá-lo interdimensionalmente. Por isso, torna-se alerta para os arroubos inconseqüentes que pululam em seu íntimo ocasionalmente.

Constantemente agradece ao Alto por todas as oportunidades e procura identificar-se somente com os bons propósitos. Não é súdito de alguma linha em particular, é servidor da LUZ!

Consciente de uma PRESENÇA MAIOR, que transcende tempo e espaço, o espiritualista lúcido irradia as energias que curam e esclarecem interdimensionalmente. Ele sabe que nesse trabalho, na verdade, está curando e esclarecendo a si mesmo no processo.

Oxalá possam todos os homens, encarnados e desencarnados, tornarem-se sóis de amor e agentes da paz imperecível. Só assim a doença da obsessão espiritual será erradicada da Terra, planeta-hospital-escola suspenso em um pequeno sistema solar em um cantinho da Via Láctea."

PAZ E LUZ!

- Ramatís -
(Recebido espiritualmente por Wagner D. Borges; São Paulo às 20:30h)


Texto <239><26/10/2000>

ImprimirEmail