VIAGENS ESPIRITUAIS E AMIZADES INTERDIMENSIONAIS

Como vai, meu amigo? Você se lembra daquele tempo bom?

Nós voávamos livres pelo espaço, rindo e trabalhando juntos.

Uma vez, você me disse emocionado: "Somos pássaros espirituais no Céu de Deus!"

Sabe, nunca me esqueci disso. O tempo passou e você entrou na carne novamente. Seu renascimento era necessário, mas privou-me de sua alegre companhia nos vôos extrafísicos. Você está de aparência nova por uma vida, mas ainda é o meu companheiro de jornada.

Certa vez, durante a sua infância, você me viu por um instante e disse para sua mãe que havia visto um anjo flutuando na cozinha. Cara, tive um acesso de riso. Ainda bem que você não viu essa parte.

Nos encontramos bastante quando você dorme no corpo e desperta projetado no extrafísico. Mas, você não lembra quando volta e ainda acha que foi só um sonho.

Pois é, já estou acostumado com isso. Você não se lembra de mim, mas eu me lembro de você, e por isso venho visitá-lo.

Continuo voando com outros, mas sinto sua falta, meu amigo. Sei que você está bem e rindo muito no mundo no momento, contudo, é uma pena que as pessoas não valorizem tanto essas risadas, não é mesmo?

Já ajudei-o invisivelmente por várias vezes. Naturalmente que você não me viu, mas eu estava bem pertinho, torcendo para que sempre lhe acontecesse o melhor.

Cada vez que vi você zangado ou desanimado com a maldade das pessoas, não reconheci o meu velho companheiro de risadas. Não foi você que me disse uma vez que o tempo conserta tudo?

Pois é, agora é minha vez de lhe dizer isso!

Aí dentro da "gaiola de carne" é complicado, não?

Olhe, apague a luz do quarto e veja pela janela a lua como está maravilhosa. Não quer sair do corpo e dar uma vôo pela noite com seu velho amigo?

O procedimento é bem simples: basta você deitar em decúbito dorsal, bem despojado, escutando uma música suave* e relaxante. Leve a atenção para os chacras das laterais dos braços (na parte lateral superior, logo abaixo da marca de vacina)** e posicione-se mentalmente ali. Imagine que você relaxa esses dois pontos.

Fique assim por alguns minutos e observe-se internamente. Você perceberá algumas sensações energéticas, mas mantenha-se concentrado nos dois pontos.

Talvez você sinta algumas descargas energéticas fluindo da nuca para os braços ou descendo pelas costas ou coluna. Fique tranqüilo, pois elas fazem parte da aceleração e dilatação energética que soltará o seu corpo sutil.

Faça esse relaxamento como quem ri por dentro de si mesmo.

Venha! Vamos voar e rir, meu amigo. A lua está linda e o Céu nos chama...

Paz e luz!

- Wagner D. Borges -
São Paulo, 17 de maio de 2000 (noite de lua cheia).

PS: Este texto é dedicado aos meus amigos extrafísicos do grupo "Os Iniciados", meus velhos companheiros de vôo e de esclarecimento espiritual.

Enquanto escrevia, rolava aqui no som um magnífico disco do IQ (cd. "Ever"), maravilhosa banda inglesa de rock progressivo no estilo do Genesis da década de 1970, quando o Peter Gabriel pilotava os vocais da banda.
 
- Notas:
* Sugestão musical: "Dos Confins do Céu"; Sunyata e Aurio Corrá; gravadora Alquimusic; Esse disco é baseado nas experiências fora do corpo durante o sono. Lançamento nacional.
** Pode-se, também, visualizar no mesmo local uma braçadeira dourada brilhando muito. É fácil localizar esse ponto no braço: logo abaixo da marca da vacina, no centro superior do braço.

Texto <218><18/05/2000>

ImprimirEmail