1545 - IMANENTE BEM

1545 imanente bem
 
IMANENTE BEM
 
- Por Rabindranath Tagore -
 
No carro do sofrimento busco o templo!
Deponho a Shiva*, sobre o opalino dossel, a ânfora de essência rara, em lágrimas de devoção!
O som doce da cítara não mais me felicita nem me inspira a flauta querida, construída de ternura dos bambuzais verdejantes.
Os risos que passam breve, não vibram os acordes na alma do peregrino ansioso pelo diapasão divino... nem tangem o sentimento, os gárrulos movimentos da natureza, plena de esperança no estuário da vida!
Adoece a alma!
Em oração, aspiro à luz e à beleza que não encontro e persigo a paz em toda parte!
Olhos baixos na estrada, tento ouvir o imanente bem, no santuário do ser, enquanto o ulular do vento levanta a poeira, em bailados mágicos, a embaciar-me a visão...
Além, observo que pequerruchos disputam do monturo o lenitivo do sustento, para saciar-lhes a fome!
Aproximo...
Lágrimas quentes banham dos olhos o pó da ansiedade na interminável procura.
Senhor, tão próximo ao altar de minhas súplicas, do repositório de minhas buscas, clama a miséria, choram a fome e a dor, e há infância a esmolar!
Cinjo os magérrimos corpos com as guirlandas preciosas do amor puro e tomo por minhas aquelas dores.
Levo pelas mãos as vidas de minha vida...
E junto ao monturo, no monumento da dor e da desolação, da solidão e da enfermidade, nas ruas de Calcutá, encontro o Excelso Bem, a verdade e a beleza, e a luz, no esplendor de mil sóis!
 
(Texto extraído do livro “Fanal de Bênçãos” – Autoria espiritual de
Rabindranath Tagore - Recebido espiritualmente pela médium mineira Helaine Coutinho Sabbadini.)
 
- Nota:
* Shiva - do sânscrito – no contexto da Cosmogonia hinduísta clássica, Ele é um dos três aspectos fenomênicos da Divindade. É o Transformador Divino, O Senhor das energias e das transmutações conscienciais.
 

Texto <1545><21/02/2017>
 

ImprimirEmail