1585 - NINGUÉM É ESTRANGEIRO

1585 ninguem e estrangeiro
 
 
 
NINGUÉM É ESTRANGEIRO
 
Nesse Universo, que é feito de Luz, todos os seres brilham infinitamente.
Os orbes e os sóis se movimentam sob o aceno do Ancião dos dias, Origem de todas as coisas e seres.
Na Luz da vida, ninguém é estrangeiro!
Independentemente da cor da pele do corpo e da cultura onde está inserida, cada consciência pertence à raça da Luz.
Cada Ser carrega o fogo estelar em si mesmo.
Cada Ser é um viajante eterno pelos campos infinitos de Deus.
O passaporte é o seu próprio coração; e a evolução é que carimba o seu visto.
E, por onde vai, em cada país, em cada mundo, pegando carona na cauda dos cometas, ou mesmo nos planos espirituais, cada consciência sabe que viaja pelo corpo vivo do Todo, o Universo.
E sabe que ninguém é estrangeiro, e que todos os seres vêm da mesma Luz!
Aquela Luz que está em tudo.
Aquele Amor, que é Pai-Mãe de todos.
Aquela Consciência Maior, Causa de tudo.
O Grande Viajante Cósmico, que também viaja por dentro de todos os corações.
Todo espírito é viajante eterno, e Deus é o Guia secreto de todas as viagens, na Terra e Além...
Então, guiadas por Ele, que todas as viagens sejam felizes!
 
(Dedicado ao meu amigo Frank Oliveira.)
 
Paz e Luz.
 
- Wagner Borges – mestre de nada e discípulo de coisa alguma.
 
- Nota:
Esse texto foi escrito durante o lançamento do livro “Um Paraíba Vagamundo – Crônicas e Poesias de um Viajante Vagamundo”, de autoria do meu amigo Frank Oliveira (http://cronicasdofrank.blogspot.com).

Texto <1585><24/09/2017>

Imprimir Email