1660 - UM MANTRA DA LINDA LUZ*

1660 um mantra da linda luz
 
UM MANTRA DA LINDA LUZ*
(Renovando as Energias na Sabedoria Perene)
 
Ainda agora, eu olhei para o céu azulado dessa linda tarde de verão...
E pensei em Krishna, o Senhor dos Olhos de Lótus**.
Então, algo aconteceu: eu vi um olhar conhecido dentro do meu coração.
Eu comecei a ouvir uma canção que atravessava os planos espirituais e que falava de um Grande Amor...
Aqui, na varanda do apartamento onde vivo, na grande metrópole de aço e concreto, eu compreendi o refrão: “Vence a ti mesmo... e não te detenhas até alcançar a meta no centro da consciência cósmica!”
Eu também vi, pelas vias da clarividência, um lindo jardim extrafísico cheio de cachoeiras em volta... ao mesmo tempo em que escutava outro trecho da canção, que evocava um mantra ensinado pelos rishis*** de outrora: “Om Rayi Sukshima Namah!”
Eu compreendi o motivo dessa visão espiritual: compartilhar em aberto esse auspicioso mantra da sabedoria perene revelada nos Upanishads****.
Um mantra para descascar a pele velha das dores e fazer o espírito brilhar na Luz mais linda de todas.
Um mantra Rayi, evocando o prana sutil e renovando o Ser diante da magnitude da vida universal.
E se a inspiração espiritual desse olhar***** em meu coração me ordenou isso, quem sou eu para desobedecer?
 
P.S.:
Agora, eu vejo melhor aquelas cachoeiras...
Porque elas estão correndo pelos meus olhos.
E aquela canção continua...
Om Rayi Sukshima Namah!******
 
(Quando alguém me pergunta como eu renovo minhas energias, eu digo:
“Eu respiro o Prana Sukshima de Krishna!
E tudo acontece em meu coração.
Então, eu escrevo, em Espírito e Verdade.
Porque eu sei que há outros no mundo que também são assim.
Eu sei que eles compreenderão esses escritos.
Ah, eles conhecem bem essas cachoeiras brotando dos olhos...
Aquilo que não se explica, só se sente.)*******
 
Paz e Luz.
 
- Wagner Borges – mestre de nada e discípulo de coisa alguma, olhando o céu azulado e pensando em Krishna, em Espírito e Verdade.
São Paulo, 31 de dezembro de 2018.
 
- Notas:
* Mantra – do sânscrito – palavra oriunda de manas, mente; e tra, controle ou liberação – Literalmente, significa "Controle ou liberação da mente". i>
Determinadas palavras evocam uma atmosfera superior que facilita a concentração da mente e a entrada em estados alterados de consciência. Os mantras são palavras dotadas de particular vibração espiritual, sintonizadas com padrões vibracionais elevados. São análogos às palavras-senhas iniciáticas que ligam os iniciados aos planos superiores. i>
Pode-se dizer que os mantras são as palavras de poder evocativas de energias superiores. Como as palavras são apenas a exteriorização dos pensamentos revestidos de ondas sonoras, pode-se dizer também que os mantras são expressões da própria mente sintonizada em outros planos de manifestação. i>
** Krishna - o maior dos avatares (emissários divinos) entre os hindus. O mestre de Arjuna, conforme narrado no Bhagavad-Gita (parte essencial do épico “O Maha-Bharata).
*** Rishis – do sânscrito – sábios espirituais; mestres da velha Índia; mentores dos Upanishads.
Obs.: Ver o texto "Extratos dos Ensinamentos dos Rishis", postado nesse link:
http://www.ippb.org.br/textos/1627-extratos-dos-ensinamentos-dos-rishis
**** Os Upanishads - a parte final dos Vedas, as sagradas escrituras da Índia antiga. Trata-se dos ensinamentos inspirados dos grandes rishis da Índia antiga, compilados e colocados ao final dos Vedas.
Obs.: Ver o texto “Upanishads (A Mensagem dos Rishs)”, nesse link:
http://www.ippb.org.br/wagner/textos-selecionados/os-upanishads
***** Sobre esse olhar secreto no coração, ver o texto “Viajando nos Olhos-Sattva”, nesse link: http://www.ippb.org.br/textos/513-viajando-nos-olhos-sattva
****** Om Rayi Sukshima Namah! – do sânscrito – mantra de evocação do poder de renovação espiritual; mantra de inspiração em momentos difíceis.
Rayi – um dos nomes do prana (sopro vital; energia), no sentido de alimento, vitalidade, inspiração - conforme ensinado pelos rishis nos Upanishads (no capítulo “Prasna”).
Sukshima – sutil; refinado.
Namah – a reverência ao Poder do Nome evocado.
Obs.: Sugiro aos leitores que façam esse mantra mentalmente, sem vocalização, diretamente dentro do chacra escolhido (como se o próprio chacra entoasse o mantra). Os centros ideais para isso são os chacras coronário, frontal e cardíaco. É só selecionar um deles e praticar... sempre lembrando que isso não é uma brincadeira mística e nem direcionado para a viajada na maionese astral de alguém irresponsável.
A visualização concomitante de cachoeiras ou de ambientes de natureza favorece bastante a conexão espiritual com a atmosfera superior evocada... além de uma consciência interessada na própria melhoria e firme na senda da Luz.
Obs.: Ver o texto “Chacras e Cura Psíquica – II”, no seguinte link
http://www.ippb.org.br/bioenergia/chacras-e-cura-psiquica-ii
(E, para mais informações detalhadas sobre bioenergia, aura e chacras, ver a seção específica no site do IPPB, no seguinte link: http://www.ippb.org.br/bioenergia
******* Enquanto eu passava essas linhas a limpo, rolava aqui no meu som uma coletânea de mantras do vocalista venezuelano Ilan Chester. Então, deixo, na sequência, os links do Youtube para algumas de suas lindas canções.
Ilan Chester:
- “Vibavari Sesa” -
https://www.youtube.com/watch?v=A1L6tTZz_vI
- “Tulasi” -
https://www.youtube.com/watch?v=s3GPzLsjwkw
- “Gauranga” –
https://www.youtube.com/watch?v=uQEjB6wNc3U
- “Narasinha” –
https://www.youtube.com/watch?v=_kPZC3tly7s
- “Arunodaya Kirtana” –i>
https://www.youtube.com/watch?v=Na6OX5HYzQc i>
- “Sry Krihsna Caitanya” –i>
https://www.youtube.com/watch?v=XYTZnze1I14 i>
 

Texto <1660><06/02/2019>

Tags: Wagner Borges

Imprimir