754 - O BRILHO DE KRISHNA NAS ÁGUAS DE IEMANJÁ

Amigo, ainda agora vi um dos seus trabalhadores espirituais aqui na sala.

Nem precisa dizer que as luzes celestes desceram aqui junto com ele.

Então, quero lhe agradecer por enviar esse amigo extrafísico para inspirar e proteger mais essa jornada de esclarecimento consciencial sadio.

Sabe, às vezes escuto o som de uma flauta, algures, e sinto Você.
Outras vezes, escuto o som dos seus passos nas pistas secretas do meu coração.

E aí percebo que não sou mais só eu na jornada, mas é Você em mim.

Sei que a jornada não é minha, é Sua! E lhe agradeço por me permitir participar dela.

Govinda, que a Sua Estrela Prânica brilhe mais uma vez aqui nos céus da bela cidade de Salvador, terra abençoada dos Orixás, irradiando aquela compaixão que a tudo e a todos compreende.

E que eu tenha sorte, mais uma vez, de ver o brilho de Sua Estrela refletido nas águas da Mãe Iemanjá.

Krishna, que essa jornada consciencial seja novamente auspiciosa, e que eu seja digno de fazer parte dela.


OM!


P.S.: Essas linhas são dedicadas às 70 pessoas que participaram do curso “Corpo de Luz e Experiências Fora do Corpo”, realizado em Salvador no mês de janeiro de 2007**.



- Wagner Borges -

Salvador, 24 de janeiro de 2007.

* Govinda – do sânscrito – é um dos epítetos de Krishna; significa “o divino Pastorzinho das almas”.

** Esse texto foi escrito um pouco antes de eu sair para dar início ao curso.

Texto <754><09/02/2007>

Imprimir