LIGAÇÕES - ALGUNS TOQUES DE UM BANDO DE ESPÍRITOS BACANAS

Quem me dera ter a estrela como guia.
O sol já se levanta no horizonte e eu estou aqui pensando como é bom ser livre, pôr o pé na estrada e sentir o vento batendo no rosto.
Seguir o caminho da natureza e achar a mais linda poesia nas flores silvestres.

* * *

Ah! Meu amigo, não é tão cedo que os materialistas vão dar o braço a torcer.
Há muita gente torcendo as coisas na Terra por pura falta de espiritualidade na cara e no coração.

* * *

Há muitos caras de terno fazendo besteiras de montão.
São puro lixo, mas estão perfumados e são bajulados a todo instante.
São aves de rapina rasgando a pele da nação.
Faturam a grana do champanhe manipulando os esquemas financeiros viciados.
Esses caras estão cagando (1) na política e nas finanças do país, pois sabem que a impunidade é a campeã por aí!
Acham-se muito espertos, mas tem uma coisa que eles ainda não sacaram:
A morte vem galopando por aí, e uma hora dessas vai atropelar essa corja toda, jogando-os na lama da amargura espiritual.
E tem mais uma coisa: Ela não gosta de champanhe!


- Cia. do Amor - A Turma dos Poetas em Flor (2).
(Recebido espiritualmente por Wagner Borges - São Paulo, 14 de março de 1997.)

- Notas de Wagner Borges:

1. Não costumo alterar o jeito dos espíritos se expressarem, como muitos médiuns presos a parâmetros doutrinários bolorentos fazem. Os espíritos são apenas pessoas sem o corpo denso, não são “luzinhas inefáveis” que só ficam falando de maneira formal ou religiosa para agradar o convencionalismo do mundo dos homens. Nada disso! Muitos deles usam até gírias e contam piadas.
São gente, igual a gente mesmo. Não tem asas nem são divindades. Do mesmo jeito que acontece com a gente aqui na Terra, possuem qualidades e defeitos, pois a morte não muda ninguém por dentro, só joga a pessoas para outros planos de manifestação.
No caso dos espíritos da Cia do Amor isso fica mais do que evidente. E é por isso que muita gente gosta deles e sua seção é uma das mais visitadas em nosso site. Eles falam a verdade na lata! E apontam toques sérios em meio ao jeito sacana e ferino de passar os textos.
Já no meu caso, como não sigo nenhuma cartilha doutrinária de alguma área espiritual em particular, sinto-me honrado de receber o material dessa turma e repassá-lo para outros. E fico contente de manter a mente e o coração livres de presilhas doutrinárias criadas pelos homens da Terra para reprimirem a alegria e o gozo das pessoas dentro dos estudos espirituais. Aliás, se não for para ser feliz e rir, aqui e agora, de que adiantaria estudar temas espirituais? Por isso passo o que eles enviam, sem edição, como é do jeito deles, como é a vida além, sem muita onda celestial, mas cheia de gente igual a gente.
A vida continua, “Lá e Aqui”, “Aqui e Lá”, cheia de gente, na carne e fora dela, todo mundo muito vivo!

2. A Cia. do Amor é um grupo de cronistas, poetas e escritores brasileiros desencarnados que me passam textos e mensagens espirituais há vários anos. Em sua grande maioria, são poetas e muito bem humorados. Segundo eles, os seus escritos são para mostrar que os espíritos não são nuvenzinhas ou luzinhas piscando em um plano espiritual inefável. Eles querem mostrar que continuam sendo pessoas comuns, apenas vivendo em outros planos, sem carregar o corpo denso. Querem que as pessoas encarnadas saibam que não existe apenas vida após a morte, mas, também, muita alegria e amor.
Os seus textos são simples e diretos, buscando o coração do leitor.
Para maiores detalhes sobre o trabalho dessa turma maravilhosa, ver o livro “Cia. do Amor – A Turma dos Poetas em Flor” (Edição independente - Wagner Borges), e sua coluna na revista on line do site do IPPB: www.ippb.org.br

ImprimirEmail