TEMPO DE CONSCIÊNCIA

Cabelos, olhos, peitos e coxas,
só acessórios, brinquedos que o tempo leva.
Amor, luz e alegria,
brilhos da consciência lúcida,
que o tempo e a morte não tocam.
Lábios se abrem e juras de amor são feitas.
Mas, o tempo segue...
e os brinquedos estragam.
Só fica o que a consciência é!

* * *

A vida é só um jogo.
Cada um joga como quer.
Alguns apostam alto,
enquanto outros roubam as fichas.
No entanto, o carma também joga,
e a sua aposta é a mais pesada.

* * *

Algumas pessoas tentam burlar as leis da vida.
São tolas mesmo!
Enquanto tentam "enrolar" no jogo,
o carma vai enrolando os fios de seus atos
nas malhas da dor.

* * *

O tempo segue...
e os brinquedos vão para baixo da terra.
A consciência segue além...
pois ela é o que é!

* * *

Brinquedos, carma, vida e consciência.
Isso é apenas um pequeno texto da Cia. do Amor
para lembrar ao leitor que o tempo segue...

* * *

O tempo segue...
A carcaça física, embalagem de viagem, envelhece.
Contudo, a consciência, passageira sutil no plano físico, não envelhece nunca. Essa, o tempo só renova.
De experiência em experiência, ela evolue e sua luz fica mais bela.
Este é o segredo da vida: o corpo se desgata, mas a consciência é imortal.
Por isso, ela sorri, ama, conhece e vive...
O tempo segue e a consciência também...

- Cia. do Amor (A Turma dos Poetas em Flor) e Os Iniciados -
(Recebido espiritualmente por Wagner D. Borges durante vôo de São Paulo/Foz do Iguaçu, 10/04/98)

ImprimirEmail