VIDA – A MAGIA QUE ESTÁ EM TODOS OS PLANOS II

(Voando com a Águia Branca e os Espíritos de Luz)

Viver não é fácil, seja na Terra ou no Espaço.
O espírito é o mesmo; só muda o lugar onde ele se manifesta.
Na carne, ou fora dela, o que manda mesmo é o que se pensa e o que se faz.
Cada pensamento, uma vibração; cada ação, uma reação correspondente.
Isso não muda com a morte do corpo. No Astral ou na Terra, há que se educar o pensamento e limpar as energias em torno de si mesmo.
Dá trabalho fazer essa manutenção espiritual, mas vale a pena.
É Luz que limpa a Luz!

* * *

Olha lá a águia branca!
Veja como ela voa com estilo, garbosa e altaneira.
Ela voa muito alto, pois não teme altura alguma; sabe que suas asas são fortes.
E ela vê bem longe, com profundidade.
Da mesma forma, os espíritos de luz são águias espirituais.
Voam com estilo, dignos e harmoniosos. Vão bem alto, naquelas alturas incomensuráveis de Deus; sabem que seus pensamentos são fortes.
E eles vêem bem longe, em outros lugares da vida universal, com profundidade e consciência.
Observe e aprenda, com a águia branca e os espíritos de luz.
Não tema as alturas de Deus nem a profundidade espiritual.
Olhe além da linha do horizonte de suas limitações; vença a si mesmo; extirpe o medo de seu coração e alce vôo ao infinito.
Reconheça e assuma a grandeza de suas asas espirituais.
Vá bem para cima e olhe qual é a direção que está tomando em sua vida.
Tenha coragem de se olhar profundamente!
Em seguida, desça e pouse no ninho de seu coração e medite em suas possibilidades.
Escolha como quer viver: voando bem alto, como a águia branca?
Ou rastejando em cima de seus medos e limitações?
O que vai ser? Espírito de luz, feliz e digno?
Ou rastejante embaçado?
Seja você quem for, pode voar bem alto, se trabalhar para isso.
Pode voar junto com a águia branca e os espíritos de luz, naqueles espaços do Altíssimo. Pode deixar uma nova música acontecer em sua vida; a música das alturas que desce no ninho do coração.
Seja você quem for, abra as asas.
Não se prive das alegrias celestes em si mesmo.
Atreva-se a ser você mesmo melhorado!
Olhe a águia branca e os espíritos de luz deslizando felizes nas bordas do azul celeste. Atreva-se a ser como eles!
Largue o lixão emocional de seus apegos e medos ridículos; enfrente a si mesmo e vença!

* * *

Abra as asas, my friend!
Você também é um espírito de luz, mas precisa voar mais alto.
Você também é águia branca, mas precisa olhar com profundidade e ser garboso no que pensa e no que faz.
Que o amor mais lindo de todos desça no ninho de seu coração.
Que suas asas sejam de luz!
Que os seus vôos sejam maravilhosos.
Que sua canção seja digna.
Que o espírito guia da águia branca guie suas jornadas, na Terra ou no Espaço.
Que os espíritos de luz iluminem os seus pensamentos e os seus atos.
Que você seja feliz e harmonioso, my friend.
Que você se atreva a ser você mesmo, melhorado e renovado a cada dia.
E que você agradeça ao Papai do Céu, O Grande Espírito, Guia Maior dos espíritos, das águias, dos vôos e de toda gente.

* * *

Há tanta gente aqui hoje!
Espíritos, águias e homens, da Terra e do Espaço, fazendo eclodir a luz da espiritualidade e da música por entre os diversos planos de vida.
Há bem mais do que os olhos vêem; mas o coração de quem ama é capaz de sentir os abraços e energias que transcendem os apegos da dor da saudade.
Há muito mais para viver, na Terra ou no Espaço. Há tanto para aprender!
Uma vida só não dá para nada. É preciso viver muito, com corpo ou sem corpo.
Muitas músicas precisam nascer no ninho dos corações que amam.
Por isso os espíritos e as águias descem invisivelmente entre os homens, para fazer a música acontecer; para fazer o coração renascer; para dizer que ninguém morre; para matar a saudade e inspirar os entes-queridos que ficaram na Terra; enfim, para reafirmar, mais uma vez, que há tanto para aprender... E que é preciso vencer a si mesmo.
Para lhe dizer, my friend, que, por favor, seja feliz, como a águia branca e os espíritos de luz.

- Companhia do Amor* – A Turma dos Poetas em Flor.
(Recebido espiritualmente por Wagner Borges – São Paulo, 10 de dezembro de 2006).

Nota de Wagner Borges:

Esse texto foi recebido durante uma apresentação de música mediúnica no IPPB, com o médium Irineu Gasparetto. Enquanto os espíritos passavam as músicas por ele, eu recebia esses escritos da Companhia do Amor, dentro do mesmo clima extrafísico.
Essa apresentação aconteceu no contexto de um evento espiritualista realizado no IPPB (“II Encontro Espiritualidade 4 X 1”), com a participação de quatro comunicadores da Rádio Mundial de São Paulo (95.7 FM.): eu mesmo, Moisés Ezagui (projetor astral e pesquisador das experiências fora do corpo), Evaldo Ribeiro (radialista e conferencista) e Irineu Gasparetto (médium, palestrante, filho de Zíbia Gasparetto e irmão de Luis Antônio Gasparetto).
Essa mensagem da Cia. do Amor veio como um presente para as centenas de pessoas que assistiam ao evento e contribuíam com seu carinho e energia positiva. E deixou todos com uma atmosfera elevada e alegre.
Agradeço muito a essa galera da Cia. do Amor, pela alegria, o amor e a energia que eles sempre trazem em suas manifestações inter-planos.

* A Cia. do Amor é um grupo de cronistas, poetas e escritores brasileiros desencarnados que me passam textos e mensagens espirituais há vários anos. Em sua grande maioria, são poetas e muito bem humorados. Segundo eles, os seus escritos são para mostrar que os espíritos não são nuvenzinhas ou luzinhas piscando em um plano espiritual inefável. Eles querem mostrar que continuam sendo pessoas comuns, apenas vivendo em outros planos, sem carregar o corpo denso. Querem que as pessoas encarnadas saibam que não existe apenas vida após a morte, mas, também, muita alegria e amor.
Os seus textos são simples e diretos, buscando o coração do leitor.
Para mais detalhes sobre o trabalho dessa turma maravilhosa, ver os livros "Cia. do Amor - A Turma dos Poetas em Flor – Volumes 1 e 2" - Edição independente - Wagner Borges, e sua coluna no site do IPPB (que é uma das seções mais visitadas no site): www.ippb.org.br
Obs.: Para melhor compreensão dos leitores, deixo na seqüência o texto anterior, que foi feito durante o primeiro encontro – e postado pelo site do IPPB como texto 742.



VIDA – A MAGIA QUE ESTÁ EM TODOS OS PLANOS
(Falando de Imortalidade da Consciência, Na Lata!)

Nem longe, nem perto; o Astral não é onde se pensa.
Não é na zona norte da fé, nem no sul da teoria.
Não é no leste do que se acha, nem no oeste do que se imagina.
Não está em nenhum livro religioso nem em quem repete versículos sem pensar.
O Astral é como a vida: está em tudo!
E os espíritos sopram por onde querem...
Também, pudera: estão todos bem vivos!
E quem é vivo, vive!
E escreve, canta, dança, ama e também sente saudades de quem ficou na Terra.
Espíritos também têm coração, não de carne, mas de luz; e o danado continua se apaixonando.
É que, tanto na Terra, quanto no Astral, o amor é quem dá as cartas. O jogo é dele.
Logo, quem ama vive! E, quem vive ama!
E a manifestação do amor acontece em todos os planos, independentemente da vida e da morte.

* * *

Alguém desce na carne, de passagem; outro sobe, para fora dela, de partida.
E as flores continuam a desabrochar, independentemente de quem desce ou sobe.
No Céu, as estrelas brilham; na Terra, as flores desabrocham.
Quem sobe, aprende a ver as estrelas.
Quem desce, precisa aprender a ver as flores.
Entre as estrelas e as flores, o que rola é a vida.
E quem vive, precisa aprender a ler o coração, seja o de carne ou o de luz.
Mas o bom mesmo é unir as estrelas com as flores, no olhar de quem vê o Papai do Céu em tudo.
Ele, o criador das estrelas, das flores, dos espíritos, dos homens, do mundo, do Astral e de tudo.
Ele, que faz a magia da vida acontecer no pulsar de cada coração, da Terra ou do Astral.
Ele, que conhece a saudade de cada um e que permite o intercâmbio da gente das estrelas com a gente das flores.
Ele, o Grande Amor de todos, que permite o abraço invisível de seus entes queridos que já partiram, mas que vieram aqui, nesta tarde luminosa, para matar a saudade de vocês e, mais uma vez, reafirmar:
“Ninguém morre! O Astral não é lá nem cá; é no coração de cada um, seja o de carne ou o de luz.
É no amor que cada um sente. É na vida que cada um leva.
É no sentir aquele algo a mais, sutil, que diz muita coisa sem palavra alguma; que revela o invisível das estrelas nas flores; que une os espíritos lá de cima com os homens aqui de baixo, nessa grande magia da vida, que pulsa em todos os planos.
Essa magia do Papai do céu, que se chama eternidade.
Essa magia, com corpo ou sem corpo: a vida!”

- Cia. do Amor – A Turma dos Poetas em Flor.
(Recebido espiritualmente por Wagner Borges – São Paulo, 24 de setembro de 2006).

Nota de Wagner Borges:

Esse texto foi recebido durante uma apresentação de música mediúnica no IPPB, com o médium Irineu Gasparetto. Enquanto os espíritos passavam as músicas por ele, eu recebia esses escritos da Cia. do Amor, dentro do mesmo clima extrafísico.
Essa apresentação aconteceu no contexto de um evento espiritualista realizado no IPPB, com a participação de quatro comunicadores da Rádio Mundial de São Paulo (95.7 FM.): eu mesmo, Moisés Ezagui (projetor astral e pesquisador das experiências fora do corpo), Evaldo Ribeiro (radialista e conferencista) e Irineu Gasparetto (médium, palestrante, filho de Zíbia Gasparetto e irmão de Luis Antônio Gasparetto).
Essa mensagem da Cia. do Amor veio como um presente para as centenas de pessoas que assistiam ao evento e contribuíam com seu carinho e energia positiva. E deixou a todos com uma atmosfera elevada e alegre.
Agradeço muito a essa galera da Cia. do Amor; pela alegria, o amor e a energia que eles sempre trazem em suas manifestações inter-planos.

ImprimirEmail