A SOMA

Quando eu fiz o catecismo, ensinaram-me que 1+1 era igual a 3.

Quando li pela primeira vez o “Livro dos Espíritos” e “O Evangelho Segundo o Espiritismo”, Allan Kardec me fez ver que 1+1 na verdade era 2.
Quando comecei a estudar religiões orientais, cheguei à conclusão, via “Bhagavad Gita”, “Alcorão” e “Torah”, que 1+1 era 11.

Quando finalmente estava satisfeito com a minha resposta, a vida pediu que o coração me informasse que todas as respostas anteriores também estavam certas.

Hoje, por esses caminhos espiritualistas e universalistas, estou começando a desconfiar que para certas somas não há respostas absolutas, principalmente quando fazemos a mesma conta usando como calculadora diferentes pontos de vistas.


- Frank -
Londres, 16 de julho de 2004.

- Nota de Wagner Borges: Nota de Wagner Borges: Frank é o pseudônimo do nosso amigo Francisco, participante do grupo de estudos do IPPB e da lista Voadores, que atualmente mora em Londres. Ele escreve textos muito inspirados e nos autorizou a postagem desses escritos. Há diversos textos dele postados em sua coluna da revista on line de nosso site, e em nossa seção de textos periódicos, em meio aos diversos textos já enviados anteriormente.

Imprimir Email