O SORRISO DO MENINO AZUL

- Por Frank -


“Tudo é o que deveria ser.
Não cai uma folha sem que o Pai Celestial saiba e assim o deseje.”
O garoto azul caminha ao meu lado e conversa comigo.

Ele nada diz, mas posso sentir pela sua música que ele fala de amor.

O amor que é incondicional, e que todos vamos sentir um dia.

Seja pelo americano ou pelo afegão.

Seja pelo brasileiro ou pelos povos de outros orbes.

Sentiremos tanto amor, que não dará para ficar em silêncio, e o expressaremos em forma de sorriso.

É isso o que o menino Gopala* tenta passar para mim.

Ele dança, mas não pára de sorrir pra mim, enquanto converso com a minha família através de um computador.

E a melodia me faz lembrar do quanto é importante o trabalho que fazemos, e como é difícil acreditarmos que fazemos diferença em meio a um mundo mergulhado na ignorância.

E o menino azul ri, e pelo seu olhar, posso sentir que os ignorantes somos nós, por acreditarmos no bem e no mal.

Pois Ele se manifesta na luz e na escuridão.

Os que estão na luz, têm a obrigação de ajudar os irmãos que ainda não enxergam direito, e a melhor forma de fazer isso é imitando o menino azul: sorrindo!

Esse sorriso visualizado no chacra cardíaco acalma as nossas ansiedades e incertezas.

E a melodia continua... e o menino azul dança pelo ciber-cafe e vai desaparecendo.

Meus olhos se enchem d’água e tenho vontade de gritar e dizer que queria ser tão azul quanto ele, e retribuir em sorriso o seu carinho por mim.

Então, ouço uma voz na minha mente:

"Nao sorria para mim, sorria para eles.

Diga-lhes que não cai uma folha sem que o Pai saiba e assim deseje.

Tudo é o que deveria ser.

Mas isso não significa inércia para aqueles que conhecem a luz, e sim, trabalho a fazer.

Significa esforço árduo, mas sempre com muito carinho e sorriso no coração.

Portanto, não sorria para mim, sorria para os seus irmãos, e eu estarei neles e eles me compreenderão através dessa canção"



Paz e luz a todos.


SOMOS TODOS UM SÓ!

Londres, 10 de setembro de 2004.

- Nota de Wagner Borges:

Frank é o pseudônimo do nosso amigo Francisco, participante do grupo de estudos do IPPB e da lista Voadores, que atualmente mora em Londres. Ele escreve textos muito inspirados e nos autorizou a postagem desses escritos.
Neste momento ele está em viagem de férias pelo Oriente Médio, de onde remete os seus escritos contando sobre suas observações e reflexões conscienciais.
Há diversos textos dele postados em sua coluna da revista on line de nosso site e em nossa seção de textos projetivos e espiritualistas, em meio aos diversos textos já enviados anteriormente. www.ippb.org.br



- Nota do texto:

* Gopala (do sânscrito): é um dos epítetos de Krishna. Significa “o pastorzinho divino”; o pastor das almas (Govinda). Muitas vezes, é usado como mantra para dissolver climas psicofísicos adversos.

Imprimir Email