PORTAL PARA O ASTRAL

- Por Frank -
 
Hoje, à meia-noite, ponha seu melhor pijama, ajeite o seu travesseiro na cama e prepare-se para a abertura do grande Portal do Astral, mas não olhe para baixo, nem procure lá atrás; muito menos procure lá em cima.
Tome tento, moça! Preste atenção, rapaz!
Para achar esse Portal, é preciso olhar para dentro, para o Portal Interior, a Porta de todas as portas, a Jóia Suprema do Amor!
É a Jornada da Alma, que levará seus olhos para o pico do Himalaia.
Olhe para dentro e venha com a gente, venha dançar no meio das pedras de Stonehenge (1), nesse círculo de compaixão, onde bate o seu coração.
Atravesse os sete portais (2), vá além da aura (3), viaje para dentro, no intervalo do crepúsculo e da aurora; é aí dentro que tudo acontece, e não lá fora.
Aí dentro é o verdadeiro Portal do Astral, essa terra do nunca, onde o ontem não existe e, fiado, só amanhã. Onde se vê com outros olhos e se toca com outras mãos.
Venha para casa, onde você sempre esteve, mesmo quando achou que a tinha perdido e vivia a procurar; venha voar, mas é para dentro, menino birrento...
Pare de olhar para fora; é dentro, é dentro... Já falei, voe para dentro!
 
São Paulo, 27 de Setembro 2008.
 
- Nota de Wagner Borges: Frank é o pseudônimo do nosso amigo Francisco de Oliveira, participante do grupo de estudos do IPPB e da lista Voadores. Depois de vários anos morando em Londres, ele voltou a residir em São Paulo, em fevereiro de 2005.
Ele escreve textos muito inspirados e nos autorizou a postagem desses escritos.
Há diversos textos dele postados em sua coluna da revista online de nosso site e em nossa seção de textos periódicos, em meio aos diversos textos já enviados anteriormente. www.ippb.org.br– Outros textos podem ser acessados diretamente em seu blog na Internet: http://cronicasdofrank.blogspot.com.
 
- Notas do Texto:
1. Stonehenge – é um complexo monolítico, formado por círculos concêntricos de pedras que chegam a ter cinco metros de altura e pesar quase cinqüenta toneladas, situado na planície de Salisbury, sul da Inglaterra, a cerca de 130 quilômetros de Londres. Os responsáveis por sua construção, os métodos utilizados e sua finalidade, mantêm-se, ainda nos tempos atuais, como um grande enigma.
Os povos saxões o chamavam de Hanging Stones (Pedras Suspensas), escritos medievais chamavam de Dança dos Gigantes. Estas são denominações diferentes para referir-se ao mesmo monumento, hoje conhecido como Stonehenge (do inglês arcaico Stan = pedra + hencg = eixo).
2. Sete portais – metáfora para os sete chacras.
Obs.: Chacras - do sânscrito - são os centros de força situados no corpo energético e que têm como função principal a absorção de energia - prana, chi - do meio ambiente para o interior do campo energético e do corpo físico. Além disso, servem de ponte energética entre o corpo espiritual e o corpo físico.
Os principais chacras são sete – que estão conectados com as sete glândulas que compõem o sistema endócrino: coronário, frontal, laríngeo, cardíaco, umbilical, sexual e básico.
3. Aura – do latim, aura - sopro de ar – halo luminoso de distintas cores que envolve o corpo físico e que reflete, energeticamente, o que o indivíduo pensa, sente e vivencia no seu mundo íntimo; psicosfera; campo energético.

Imprimir Email