BABAJI E O KUMARA II

Quando percebi a nuvem rosada do Amor Verdadeiro, Ele apareceu.
Seu rosto era pura alegria e serenidade. Seu olhar era sério e profundo.

Sem falar nada, disse-me muito, pois tocou direto em minha alma.
E o seu toque dizia: "Desperte! Meu querido, não percebe que a Luz de Brahman banha você?
Concentre-se nela. Perceba quanta energia desperdiça por causa da mente indomada. Quantas preocupações tolas, quantas melecas emocionais, quantos julgamentos!

Perceba! Atrás do Lótus do coração há um Sol cujo brilho ofusca a mais brilhante estrela.
Esse Sol é você mesmo, e ele está presente no coração de todos e em tudo.

Sendo assim, como pode achar diferença entre o ouro e o barro?
Como pode continuar a julgar, se tudo em verdade é você?
Lembre-se de que habita o coração do teu semelhante e cesse o
julgamento!

Quando perceber o julgamento nascer em você, lembre-se do Sol que brilha nos corações e compartilhe seu amor com eles.
Em vez de julgar, ame!
Amando, remova as barreiras uma a uma e parta rumo à Unidade.
Que Savitri * amplie o seu brilho em você!"

- Enki –
São Paulo, 18 de outubro de 2001, às 17h42min

PS. Dedico este texto ao mestre hindu Sri Aurobindo.

* Savitri (do sânscrito): Brilho espiritual; Raio solar, ou feixe desses raios; também é o sobrenome de Uma e Párvati (aspectos da Mãe Divina); nome próprio da mulher de Satyavan no épico “O Mahabaratha”; e também nome de um épico escrito pelo sábio Sri Aurobindo.
Obs. Há um célebre hino do sábio Vizvâmitra em honra ao sol que também leva o nome de "Savitri". Esotericamente Savitri é o brilho da consciência expressando-se pelos olhos de quem ama. É quando os olhos tornam-se dois sóis que vêem Brahman em tudo!

Imprimir Email