COMPREENSÃO DO ÍNTIMO NA JORNADA ESPIRITUAL

Na jornada espiritual podemos traçar um paralelo com um mar repleto de embarcações e cada uma delas tem no seu comando, norteando e direcionando seu rumo, o comandante na cabine, que equivaleria ao nosso íntimo; o íntimo de cada ser a indicar a direção correta a se tomar em momentos de águas calmas ou turbulentas, chuva ou sol, vento forte ou brisa, tempestade ou calmaria.

Dos planos mais sutis, quando estamos projetados para fora do corpo com lucidez, podemos vislumbrar esse íntimo com mais facilidade e perceber a realidade além das aparências. O que realmente cada pessoa vivencia e o que brota do seu interior.

Nem sempre encontramos apenas coisas “belas” em nosso íntimo. O íntimo de cada ser é o íntimo de um ser em evolução, com muitas falhas, carências, curiosidades e necessidades também.

Cada pessoa deve encarar de frente o seu íntimo, com coragem, e buscar sempre as mudanças em suas atitudes e sua vida, necessárias ao alivio de suas consciências, nos pontos massacrados por suas próprias falhas.

O primeiro passo é auto-aceitação, tanto das qualidades quanto dos defeitos próprios e depois daqueles ao sua volta.

Sugerimos, aqui, para esse primeiro passo, autocrítica, auto-análise sincera diante dos contextos e posturas pessoais diante de sua vida, e abaixo colocamos algumas afirmações, como exemplo, que podem ser facilmente encontradas em larga escala em nosso meio, mesmo naqueles que se dizem líderes, guias, gurus ou apenas militantes, religiosos ou não, mas relacionados à espiritualidade em geral. Essas características são percebidas a todo momento dos planos mais sutis:


- Existem dirigentes que não dirigem;
- Existem pesquisadores que não pesquisam;
- Existem professores que não ensinam;
- Existem espiritualistas que não se espiritualizam;
- Existem ajudantes que não ajudam;
- Existem pacifistas que não são pacíficos;
- Existem corações que não ecoam quando recebem amor;
- Existem pessoas que não enxergam a realidade além das aparências.

Cada ser carrega em seu íntimo a sinceridade consigo mesmo e com o mundo à sua volta. Essa sinceridade pode ser transformada no peso da autoculpa, em trabalho de crescimento, ou pode ser ignorada. A escolha é pessoal, e cada uma dessas escolhas trará o aprendizado correspondente.

Aqueles humildes o bastante para admitir essa prisão interior e dar ouvidos aos gritos de liberdade emitidos pelo seu íntimo, clamando pela limpidez cristalina e transparência em seu ser, daquilo que ele realmente é, e não daquilo que o ego quer que ele seja, esses sim, são os iniciados na senda evolutiva, no caminho da felicidade.

Altamente espiritualizado é aquele que consegue ser honesto consigo mesmo, que não tem nada a esconder nem dentro de si. Aquele que assume suas falhas, fraquezas e erros, mas que insiste a cada minuto em trabalhá-los para sua própria lapidação, mas sem a necessidade de jogar a sujeira para baixo do seu próprio tapete de discernimento.

O discernimento é inerente a cada ser, seja qual for o plano em que ele se manifeste, e sua autocrítica, sua sinceridade e auto-aceitação não permissiva e não repressiva são grandes ferramentas evolutivas.

Buscamos apenas o despertar das consciências para a humildade e a sinceridade consigo mesmo além das palavras. Não como cobradores espirituais, mas sim como irmãos ou companheiros que trabalham e torcem para que as pessoas se libertem das armadilhas do próprio ego milenar cristalizadas em suas manifestações.

A evolução é um mundo peculiar e cada consciência pode encontrar dentro de seu íntimo o próprio caminho.


“ FAÇAM DE SEU MUNDO, SEGUNDO SUA LUZ”

- Os Amigos de Caminhada (1) –
(Recebido espiritualmente por Vanderlei Oliveira)

- Nota: Os Amigos de Caminhada: grupo de amparadores extrafísicos.

Imprimir Email