O MISTÉRIO DO MAR DAS SETE LUAS E DO SOL

- Por Washington da Silva -

Seus pés estão imersos nas águas
Do doce e salgado mar.
Já está chegando a noite e seus mistérios.
Está sozinho e com medo.
O que vai acontecer?

Como vim parar aqui?
A vida é a vida, murmura para si mesmo... E no céu estrelado aparecem sete luas.
E elas emitem suas suaves emanações energéticas
Em seus corpos*.

Na base de sua coluna, uma lua se instala.
E ela diz: “paciência e calma aqui, baby!”

Perto de seus órgãos genitais, outra lua
Toma morada e diz: “controle das energias
É sempre bom. Vamos equilibrar e repartir
Essa energia com a pessoa certa, na hora certa!”

A terceira lua brilha e pulsa perto do umbigo
E sussurra em seu ser: “controlar as emoções
É um excelente caminho para a totalidade
De seu potencial. Vamos sempre nessa força!”

A quarta lua crava uma cratera no meio de seu peito
E grita para todos ouvirem: “SOU AMOR,
DOU AMOR E BRILHO AMOR.
VENHAM TODOS! APROXIMEM-SE
E CANTEM A HARMONIA DOS CORAÇÕES!”

Uma lua simpática e sábia abre
As cordas vocais e o ensina a escrever e cantar
E a esculpir e fotografar os cardíacos de todos!

A outra pulsa e canta e dança bem no meio
De seus olhos, convidando-o ao caminho
Da Sabedoria do Espaço, Morada Original
De todos os que estão com os pés na Terra.

E a sétima faz rodopiar sua cabeça
Na dança mais maluca e feliz que já dançou:
A dança da Fraternidade, da Bem-Aventurança.

O medo já foi embora.
O tal mar já não é mais estranho.
A noite da ignorância fugiu,
Para nunca mais voltar.

Luas e Sol fundindo-se
E criando o Silêncio do Amor!
Não há perguntas mais:
Quem sou, o que estou fazendo aqui,
Para onde vou...

Não, só há a Eterna Consciência de Existir
Na Morada do Sol do Amor Eterno.
Sol este que sempre existiu e existirá
Para todo o sempre...
Levando a Marca Registrada do Seu Criador:
“FEITO NO CORAÇÃO DO AMOR!”

(Dedicado à Madrinha Genecilda).


- Nota de Wagner Borges: Washington da Silva é professor de Português e Literaturas Brasileira e Portuguesa há mais de dez anos. É praticante de Yoga e amante da cultura da Antiga e Sagrada Índia, país que muito marcou a sua alma. É muito interessado na Filosofia do Tantra, especialmente as escolas que estudam e praticam o Maithuna (alquimia sexual). Apesar de amar várias filosofias da Índia, está sempre disposto a aprender tudo de outras escolas filosóficas espirituais ou não, a fim de colocar em prática na vida cotidiana.
Atualmente, está dedicando-se ao Daime Xamanismo e aprendendo a ver a Natureza e a vida de outras formas...
Para maiores detalhes sobre o seu trabalho, ver sua coluna na revista on line de nosso site – www.ippb.org.br

- Nota do texto:
* Sete Luas: Metáfora para os sete chacras situados ao longo da coluna vertebral.

Imprimir Email