Experiências Fora do Corpo e Caráter de Luz

 experiencias fora do corpo e carater de luz
 
 
EXPERIÊNCIAS FORA DO CORPO E CARÁTER DE LUZ
(Falando das Jornadas Espirituais no Contexto Iniciático)
 
Nenhuma loja do universo vende caráter!
Pois isso só se encontra no coração do próprio homem.
Esse era o cerne das iniciações espirituais de outrora...
A profundidade do neófito estava na medida exata do seu caráter.
Os hierofantes* ensinavam isso e falavam da Força da Luz!
Esclareciam que o caráter de um homem era como uma acha de fogo vivo...
E esse fogo d’alma era a essência de seu coração.
Eles sabiam ler nas energias e, por isso, conheciam a verdade de cada um.
Eles diziam: “O Todo é o Seu Primeiro Amor, a Sua Primeira Luz!”
Ensinavam que haviam universos dentro de universos, físicos e extrafísicos.
E que tudo estava dentro do Coração Cósmico do Todo, o Pai-Mãe de tudo!**
Eles estimulavam as artes da Taumaturgia e o respeito às egrégoras***.
Por isso, falavam do caráter de Luz do iniciado diante das provas...
Eles ensinavam o respeito aos arcanos iniciáticos e o Poder das Estrelas.
Eles diziam: “Na escuridão, Sua Madrinha é a Deusa Ísis... Ela é a Sua proteção.”
Então, o neófito aprendia a arte de sair do corpo**** e ir aos reinos invisíveis...
Ele não viajava sozinho, pois os protetores extrafísicos o guiavam na jornada.
Eles viam o seu caráter de Luz e o levavam para as provas no Invisível Imanente.
Por onde ele seguia, a Mãe Ísis***** estava sempre em seu coração.
E, em Nome d’Ela, ele aplicava passes energéticos nos espíritos sofredores...
Ele aprendia a discernir as presenças extrafísicas, sempre com respeito.
Além da matéria, ele descortinava o véu do invisível e observava a verdade:
NÃO HÁ MORTE! A VIDA PULSA EM TODOS OS PLANOS... E ELE É DA LUZ!
Fora do corpo, ele via a realidade extrafísica, sempre cheia de vida estuante...
Ele se encontrava com aqueles que haviam transposto o limiar, todos vivos.
Eles lhe falavam da imortalidade da consciência e do valor dessa certeza.
Muitas vezes, eles o levavam aos templos extrafísicos. E, ali, ele aprendia...
Quando retornava para o corpo adormecido, ele se lembrava e refletia.
Então, ele orava à Mãe Ísis, agradecido à Ela pela excursão extrafísica positiva.
Os hierofantes sabiam de tudo e sempre exortavam ao neófito:
“Jamais faça algo negativo nessas viagens, pois o semelhante atrai o semelhante!”
E, assim, o neófito passava para o nível de iniciado, um servidor lúcido do Alto.
O seu caráter de Luz era o seu passaporte para os planos sutis...
Quando orava, ele pensava na Mãe Ísis, abraçando silenciosamente o mundo.
Então, o seu coração virava um Sol de Amor... e o Céu descia nele.
Ele estava ali por obra e graça da Luz e não pelo seu ego (e nem por galardão).
Os hierofantes o orientavam na senda, com clareza e discernimento, e diziam:
“Quem é da Luz, busca a Luz. E a Luz o reconhece, pelo seu caráter.”
 
P.S.:
Talvez, nessas linhas, esteja um pouco do nosso próprio passado...
Quem sabe, ainda estejamos levantando o véu de Ísis em mais uma vida?
Ao longo dos eóns e eóns de tempo, sempre seremos neófitos do Todo.
Oxalá, dentro ou fora do corpo, sejamos dignos da senda espiritual que amamos...
E que nossa jornada sempre seja com caráter de Luz.
(Escrevi tudo isso por inspiração de um dos mentores espirituais do Grupo Extrafísico dos Iniciados******).
 
Paz e Luz.
 
- Wagner Borges - mestre de nada e discípulo de coisa alguma.
       
- Notas:
* Hierofante - dentro do contexto das iniciações esotéricas da antiguidade, era o mestre que testava os neófitos (calouros) nas provas iniciáticas.
** O Todo - expressão hermética para designar o Poder Absoluto que está em tudo. O Supremo, O Grande Arquiteto Do Universo, Deus, O Amor Maior Que Gera a Vida. Na verdade, O Supremo não é homem ou mulher, mas pura consciência além de toda forma. Por isso, tanto faz chamá-lo de Pai Celestial ou de Mãe Divina. Ele é Pai-Mãe de todos.
*** Egrégora - do grego “Egregorein”, que significa “velar”, “cuidar” - é a atmosfera coletiva plasmada espiritualmente num certo ambiente, decorrente do somatório dos pensamentos, sentimentos e energias de um grupo de pessoas voltado para a produção de climas virtuosos no mundo.
É a atmosfera psíquica resultante da reunião de grupos voltados para trabalhos e estudos baseados na LUZ. Pode-se dizer que toda reunião de pessoas para a prática do Bem e da Virtude - independentemente de linha espiritual - forma uma egrégora específica, uma verdadeira entidade coletiva luminosa, à qual se agregam várias outras consciências extrafísicas alinhadas com aquela sintonia espiritual para um trabalho interconsciencial.
Provavelmente foi por isso que Jesus ensinou: "Onde houver dois ou mais em meu nome, aí eu estarei."
Muitos dizem que não se deve misturar egrégoras de trabalhos diferentes, porém, quando o Amor se manifesta, desaparece qualquer ideologia doutrinária, e só fica o que interessa: a LUZ.
No dia em que os homens despertarem para climas mais universalistas e cosmoéticos, com certeza esse mundo será melhor de viver.
Viva a LUZ, pouco importa o nome, o grupo ou a doutrina que fale dela. E viva os mentores espirituais que ajudam a todos, independentemente de credo, raça ou cultura esposada.
**** Projeção da consciência – é a capacidade parapsíquica - inerente a todas as criaturas -, que consiste na projeção da consciência para fora de seu corpo físico.
Sinonímias: Viagem astral – Ocultismo.
Projeção astral – Teosofia.
Projeção do corpo psíquico - Ordem Rosacruz.
Experiência fora do corpo – Parapsicologia.
Viagem da alma – Eckancar.
Viagem espiritual – Espiritualismo.
Viagem fora do corpo – Diversos projetores extrafísicos e autores.
Emancipação da alma (ou desprendimento espiritual) – Espiritismo.
Arrebatamento espiritual - autores cristãos.
***** Ísis - a Grande Mãe na cosmogonia egípcia antiga, esposa de Osíris e Mãe de Hórus. Era considerada a madrinha dos iniciados nos grandes arcanos espirituais. E sobre isso escrevi um texto há alguns anos - “No Fogo do Espírito, Face a Face com o Invisível” -, que pode ser acessado no site do IPPB, no seguinte endereço específico:
****** Os Iniciados - grupo extrafísico de espíritos orientais que opera nos planos invisíveis do Ocidente, passando as informações espirituais oriundas da sabedoria antiga, adaptadas aos tempos modernos e direcionadas aos estudantes espirituais do presente.
Composto por amparadores hindus, chineses, egípcios, tibetanos, japoneses e alguns gregos, eles têm o compromisso de ventilar os antigos valores espirituais do Oriente nos modernos caminhos do Ocidente, fazendo disso uma síntese universalista. Estão ligados aos espíritos da Fraternidade da Cruz e do Triângulo. Segundo eles, são “iniciados” em fazer o bem, sem olhar a quem.
Obs.: Para enriquecer esses escritos de hoje, deixo na sequência um texto antigo, que apresenta grandes correspondências com sua temática.
 
 
CARÁTER – OBRA DE LUZ DA CONSCIÊNCIA
 
Para deixar o clima psíquico cair, é só se deixar levar...
As pessoas adoram as coisas do mundo, que sempre passam.
Idade, aparência, posses físicas... tudo é coisa transitória.
E quem pode comprar lucidez, discernimento, Paz e Amor real?
Um copo de bebida não mata a sede de Amor e nem tira o vazio.
Ter poder sobre os outros não significa ter poder sobre si mesmo.
Viajar pelo mundo é bom, mas, sem consciência, é apenas rodar no vazio.
Conhecer o mundo não significa conhecer a si mesmo.
Um prêmio ou título acadêmico não garante sabedoria alguma.
A atitude conta mais, porque revela o que cada um é realmente.
E isso não é mensurado por valores teóricos, mas pelas opções assumidas.
As provas da vida não têm hora para chegar. Elas simplesmente acontecem.
É nas horas dos reveses que se vê a têmpera e o valor real que cada um comporta.
Na maioria das vezes, a dor é o grande acelerador evolutivo das pessoas.
E nem sempre ela é visível e tangível. Pode ser interna, como a dor do vazio.
Muitas provas acontecem dentro do coração do homem: são provas de caráter!*
Todos passam por isso, desde os homens comuns até os iniciados e mestres.
Só o Grande Arquiteto Do Universo sabe tudo!
Só o Todo compreende o Todo.
Diante das provas do caminho, o que vale é o caráter e a força do coração.
E isso não se compra em lugar algum, nem é dado a ninguém.
É valor de consciência.
É intransferível e independe de idade, raça, sexo ou cultura.
É atitude consciente.
Cada um apresenta na atitude o que já carrega dentro de si mesmo.
Isso é da vida.
A luz vem de dentro, o Amor flui do coração e se o espírito sair, o corpo desaba.
Logo, o que é real vem de dentro. A força para vencer as provas está nisso!
Ninguém compra caráter!
Nem amor, nem luz, nem paz, nem lucidez, nem equilíbrio.
Diante de um revés da vida, que valor transitório é capaz de segurar a onda?
Viver nesse mundo sem o revestimento de caráter apropriado é loucura mesmo.
Significa andar sobre espinhos com os pés descalços ou viver sem sol no coração.
Encher a cara de álcool ou drogas não preenche o vazio de consciência.
“Passar a perna em alguém” é o mesmo que cuspir para cima: sempre cai de volta...
Deixar-se levar pelas coisas e situações sempre tem um preço: a fraqueza.
Assim como se achar o máximo sempre leva a grandes derrapagens na jornada.
Às portas da morte, o que brilha é o caráter do homem, não suas posses e ilusões.
O que cada um pensa e faz é o que importa.
É a sua Luz que vale, não os seus títulos.
É na luz do coração que está a verdade de cada um. E só o Todo vê isso.
Portanto, a tarefa mais importante de todas é conhecer a si mesmo!
Para isso, é preciso caráter. E isso não se compra. É estado de consciência.
Da mesma forma, um coração medíocre não suporta um Grande Amor.
Conhecimento profundo não cabe em mentes rasas.
E quem é trevoso não quer Luz.
Não há nenhum poder no mundo capaz de ensinar alguém a perdoar e a ser feliz.
E quem poderá aplacar a dor do vazio existencial dentro do coração de outro?
Mesmo com ajuda externa, o lance da cura é interno e intransferível.
A eclosão da Luz de dentro só ocorre mediante esforço e vontade de melhorar.
As ilusões levam aos abismos da dor e os arroubos de arrogância custam caro.
Por isso, a dor chega, por dentro e por fora, para acabar com a inércia!
Contudo, quando há caráter, há compreensão. E aí, a dor não gera mais revolta.
Muito pelo contrário, traz lição. E isso não tem preço! É valor de consciência.
Só o Todo sabe o que se passa dentro de cada coração.
Todos passam reveses e altos e baixos em suas vidas. Isso faz parte da jornada.
Mas quiser mais Luz, que seja Luz!
E reforce o caráter no que é real e valoroso.
Ninguém sabe a hora de sua partida deste mundo e nem o teor de suas provas.
O que se sabe é isso: cada um dá ao mundo o que tem dentro de si mesmo.
No final das contas, o que vale é a Luz que cada um leva.
Ah, quem quer mais Luz, que se acautele, estude e trabalhe por isso...
E jamais desista, mesmo com toda pressão do materialismo do mundo dos homens.
Isso não é doutrina, é caráter! É estado de consciência, não é um lugar ou templo.
De que adianta vestir uma roupa linda se a própria aura** for uma miséria?
Ah, os iniciados espirituais estavam certos: “Quem quiser mais Luz, que seja Luz!”
O mestre Jesus sabia das coisas e ensinou: “A cada um segundo suas obras!”
Ele não estava falando só sobre as obras tangíveis e visíveis dos homens.
Ele também se referia aquelas obras sutis, que estão dentro do coração.
Aquelas obras da Paz e da Luz, que só o Pai Celestial sabe...
As obras do caráter!
 
P.S.:
Existe uma grande fome de Amor entre os homens, que coisa alguma do mundo pode aplacar. E, com esse vazio existencial grassando, o resultado é a dor.
Por isso, o lindo e profundo sábio espiritual Paramahamsa Ramakrishna*** ensinava que, “para andar sobre os espinhos do mundo e não se ferir, é preciso estar calçado com as sandálias do discernimento espiritual”.
Sim, ele estava certo. Sem a Luz do espírito para guiar a jornada da vida, o mundo se torna apenas um lugar de provas e expiações. E isso é um desperdício!
Esse pode ser um mundo de lições também. E a jornada, mesmo com todos os problemas, poderá ser linda, quando houver mais Luz e compreensão.
E isso é dentro de cada um. Porque, quando há Luz, tudo muda...
A vida ganha novas cores e brilhos.
Ah, Jesus estava certo mesmo:
“De que adianta a uma pessoa ganhar o mundo, se ela perder sua alma?”
(Dedicado a todos aqueles que, mesmo sob pesadas provas, ainda assim permanecem fortes e sinceros em suas jornadas espirituais, de todos os lugares e linhas, sem jamais renegarem a força do espírito em seus corações.)
 
Paz e Luz.
 
- Wagner Borges - eterno neófito da Vida e do Todo, sempre tirando lição de cada coisa...
 
- Notas:
* Na descrição clássica, caráter é o seguinte: “termo que designa o aspecto da personalidade responsável pela forma habitual e constante de agir peculiar a cada indivíduo; esta qualidade, é inerente somente à uma pessoa, pois é o conjunto dos traços particulares, o modo de ser desta; sua índole, sua natureza e temperamento. O conjunto das qualidades, boas ou más, de um indivíduo lhe determinam a conduta e a concepção moral; seu gênio, humor, temperamento, este, sendo resultado de progressiva adaptação constitucional do sujeito às condições ambientais, familiares, pedagógicas e sociais.”
No entanto, dentro de um contexto espiritual, como o desse texto, caráter é a força espiritual que anima o Ser e lhe dá forças para superar as provas da senda.
É aquela têmpera forte que, mesmo diante de diversas pressões, jamais renega a espiritualidade; que, mesmo sob o escárnio e ceticismo doentio das pessoas em volta, mantém a confiança espiritual em um Poder Maior.
Às vezes, esse caráter é chamado em algumas linhas espirituais de “Flama Espiritual”, “Luz do Coração”, “Sol das Almas”, “Sraddha” (do sânscrito, fé espiritual; confiança no Eterno), ou “Luz do Espírito”.
** Aura – do latim, aura - sopro de ar – halo luminoso de distintas cores que envolve o corpo físico e que reflete, energeticamente, o que o indivíduo pensa, sente e vivencia no seu mundo íntimo; psicosfera; campo energético.
*** Paramahamsa Ramakrishna: mestre iogue que viveu na Índia do século XIX e que é considerado até hoje um dos maiores mestres espirituais surgidos na terra do Ganges. Para se ter uma idéia de sua influência espiritual, posso citar que grandes mestres da Índia do século XX se referiram a ele com muito respeito e admiração, dentre eles o Mahatma Ghandi, Paramahamsa Yogananda e Rabindranath Tagore.
Obs.: Enquanto eu passava essas linhas a limpo, lembrei-me de um texto inspirado do mentor espiritual André Luiz. Então, reproduzo o mesmo logo abaixo.
 
 
DIA E NOITE
 
- Por André Luiz -
Recorda que a tua noite é a continuação do teu dia.
Repousado o veículo denso – o corpo a que te junges -, o viajor, que és tu mesmo, prossegue na romagem constante das horas.
E não te faltarão companheiros na sombra, a copiarem perfeitamente os companheiros que preferes perante a luz.
Se malbaratas o tempo em conversações infelizes, decerto avançarás, treva adentro, intoxicando a ti mesmo com o verbo envenenador.
Se te comprazes no vício, cerradas as janelas da visão na carruagem carnal, identificarás, junto de ti, quantos se alimentam à mesa do vampirismo.
Se te confias à cólera e à agressividade, tão logo te retires do campo físico, partilharás o pesadelo dos que se nutrem de ódio e perseguição.
Se te agrada a idéia de enfermidade, em cujas teias te conformas, sem qualquer resistência, em favor do trabalho que te redimiria a imaginação, assim que te afastas do corpo, à influência do sono, entrarás na companhia deplorável de doentes do espírito, que fazem da inércia sua razão de ser.
Vale-te do dia para criar valores novos e substâncias que te enriqueçam a vida.
Lembra-te de que nossos laços inferiores com o passado não jazem de todo extintos, e numerosos desafetos de ontem nos espreitam a invigilância de hoje para reconduzir-nos a novas flagelações amanhã, e quase todos aguardam a escuridão para multiplicar apelos delituosos e sugestões infelizes.
Saibamos conquistar a noite, aproveitando os recursos do dia para estender o bem, porque no símbolo do sol e da sombra, temos a imagem da vida e da morte, dependendo de nós mesmos fazer a existência um cântico de beleza e harmonia, fraternidade e trabalho, para que o término de nossas tarefas represente abençoada renovação.
(Recebido espiritualmente por Francisco Cândido Xavier.)
 

ImprimirEmail