Viajando Espiritualmente nas Ondas dos Mentores Essênios

 Viajando Espiritualmente nas Ondas dos Mentores Essênios
 
 
VIAJANDO ESPIRITUALMENTE NAS ONDAS DOS MENTORES ESSÊNIOS
(Relato de uma Assistência Espiritual nas Montanhas do Oriente Médio)
 
- Texto Postado Originalmente na Lista Interna do Grupo de Estudos e Assistência Espiritual do IPPB -
 
Pessoal, espero que esse meu relato de hoje sirva de alerta para todos vocês.
No último sábado, das 14h às 20h, realizei o curso de Ocultismo no IPPB. Trata-se de um material bem extenso e que exige muita atenção e profundidade na abordagem dos temas. A primeira parte foi dedicada ao estudo dos preceitos herméticos do Caibalion e da Tábua de Esmeralda de Hermes Trismegistro (além de muitas informações relativas às experiências fora do corpo no contexto iniciático clássico).
Ao final do curso, quando quase toda a turma já tinha saído, tive a intuição de fazer um trabalho de energia adicional. Então, mesmo cansado de tantas horas de aula, fui para a salinha adjacente ao salão principal e me preparei para essa atividade extra.
Ainda estavam lá o Márcio, o Luiz, e a Lígia (que fazem parte do grupo de trabalho de irradiação energética de quarta-feira à tarde comigo), além do Juan e da Paula (ambos integrantes do grupo de estudos). Então, chamei-os para participar dessa atividade. Durante o trabalho, eu vi um lance que quero comentar com vocês, devido à sua importância (até mesmo como alerta consciencial pertinente).
Essa irradiação energética durou aproximadamente trinta minutos, onde todos que ali estavam emanaram vibrações sadias a favor da humanidade.
No meio desse tempo, eu vi, pelas vias da clarividência*, o seguinte lance: numa área desértica, vários espíritos desencarnados densos se arrastavam pelo chão. Eles se deslocavam na direção de umas cavernas que ficavam na encosta de uma montanha (área montanhosa que me pareceu ser no Oriente Médio). Pareciam mais como um bando de monstros famélicos tentando se livrar da luz solar, que os incomodava. Por isso, queriam chegar na escuridão daquelas cavernas.
Vi bem como estavam configurados extrafisicamente: cabeças grandes desproporcionais, olhos esverdeados esbugalhados, boca espumando uma gosma viscosa, arrastavam-se pelo chão, vestidos de farrapos. Alguns deles tinham tentáculos no lugar dos braços. Enfim, era uma horda de entidades dantescas. E mesmo à distância, eu sentia um cheiro horrível, além de também sentir a malignidade que emanava deles.
Eu sabia que eles estavam sendo assistidos invisivelmente pelos mentores extrafísicos e que nossas energias estavam indo para lá como suporte a esse trabalho.
Então, surgiu um homem vestido como um pastor montanhês da região, inclusive portando um cajado. Ele tinha um capuz marrom sobre a cabeça, mas dava para ver o seu longo cabelo (já meio grisalho) e o seu rosto. Era um homem branco e barbudo, de aparência bondosa e risonha. Dele emanava uma atmosfera de serenidade e lucidez, típica das consciências extrafísicas  positivas e benfeitoras. Ou seja, ele era um dos mentores que coordenava aquela assistência espiritual.
E aí, ele se identificou para mim e me disse, pelas vias mentais, que trabalhava num grupo extrafísico ligado às vibrações dos essênios e aos ensinamentos de Jesus. Também me confirmou que ali era uma região do Oriente Médio e que o seu grupo de trabalho opera por ali.
Enquanto eu via aquele grupo de entidades horrorosas se arrastando em direção à montanha, ele projetou várias imagens em minha mente, para que eu pudesse compreender o que estava rolando... Eu vi aqueles espíritos praticando obsessões sobre várias pessoas. E a atuação deles era sobre o chacra coronário** de suas vítimas, por onde eles drenavam energias invisivelmente. Também os vi sugando psiquicamente diversos usuários de drogas, e depois penetrando em hospícios para vampirizar os pacientes e quem estivesse dando mole por lá. Ou seja, esses caras eram barra pesadíssima e estavam espalhando coisas ruins pelo mundo.
Então, perguntei-lhe porque era permitido que eles saíssem de seus rincões trevosos do astral inferior para espalhar o mal no mundo...
Ele respondeu mostrando-me que aquela turba trevosa era oriunda de certo local extrafísico umbralino, concomitante com aquelas cavernas (no duplo astral), e que por ali eles se deslocavam para fora, atraídos principalmente pelo clima de violência que campeia no mundo e pela atmosfera das drogas que tanto corrompe as energias das pessoas. Segundo ele, era a própria loucura da humanidade que os atraía por sintonia. Ele também enfatizou que tais coisas acontecem por causa do vazio consciencial das pessoas, que trafegam pela vida comandadas pela ignorância e egoísmo.
Ele me mostrou tudo isso de forma bem positiva, pois não havia nele qualquer postura de superioridade ou crítica leviana e moralista quanto à humanidade. Ele apenas me esclarecia de forma bem clara e amistosa.
Na sequência, eu o vi vibrar energias por aquele cajado em direção daquela horda estranha. E, finalmente, eu os vi se arrastando, como se uma barreira invisível os empurrasse para dentro das reentrâncias na base daquela montanha.
Quando o último deles entrou ali, eu vi uma rajada de energia branca brilhante selando extrafisicamente aqueles buracos escuros. E aí, eu sabia que estava tudo finalizado e que eles não passariam mais por ali.
Então, aquele mentor tão simpático me disse: “Esses enfermos extrafísicos que você viu são muito densos. Portanto, hoje era necessário um aporte de energia de um grupo de pessoas encarnadas apropriadas para tal empreitada espiritual. Foi por isso que você foi intuído pelos seus mentores a fazer essa doação energética com os seus amigos. Aliás, agradeça-os por mim.
Eu estou aqui nessa região em missão de amparo fraterno. Eu e o meu grupo somos antigos essênios e conhecemos bem o astral dessa área do mundo. E é nosso trabalho conter a ação essas hordas de entidades carentes de Luz. No atual estágio de demência consciencial em que estão, tornam-se perigosos para as pessoas encarnadas que caírem sob sua influência tenebrosa. Por isso estamos aqui, para monitorarmos suas condições e trazê-los de volta quando arranjam um jeito de escapar (sempre atraídos pela própria imaturidade da humanidade).
São espíritos que não têm mais condições de convívio normal com ninguém. Estão isolados nessa área do mundo em certos bolsões energéticos densos. Eles detestam a Luz! E sob essa montanha, no duplo extrafísico correspondente, há um portal que interliga o ambiente a uma enorme comunidade trevosa, de onde eles tentam acessar o mundo para suas atividades nefandas.
Mas nós continuaremos contendo-os aqui enquanto o Alto determinar, pois essa é nossa missão! E no momento apropriado, toda essa comunidade será exonerada da Terra. Eles serão realocados para outros orbes mais compatíveis com seu nível evolutivo. Não há mais condições deles serem integrados à família da humanidade terrestre.
Eles reencarnarão em lugares apropriados, para dissolução de suas crostas densas em meios-ambientes severos e serão muito exigidos, até que se acertem e engrenem novas etapas evolutivas mais saudáveis e conscientes.
Há muitas entidades trevosas aninhadas no astral do planeta. Há seres entranhados milenarmente no mal. Existem coisas escabrosas nas sombras (e não é permitido aos homens dessa era saberem detalhes sobre isso, para sua própria segurança).
O que cabe aos homens é o seu progresso e despertar consciencial para climas saudáveis e criativos. A escuridão do passado cheio de magias pesadas ficou para trás e é hora de ir para a Luz. É hora de crescer!
Mais uma vez, obrigado pelo suporte energético de hoje. E isso só prova a importância de grupos de trabalhadores espirituais da Terra. O Bem que é feito honra sua passagem pelo orbe. Por isso, é vital que todos os que mourejam nessa seara fiquem firmes em suas atividades e pensem na melhoria da humanidade.
Somos todos filhos do Pai Celestial!
Só Ele conhece o tempo certo da ascese de cada um.
O que nos cabe é o trabalho justo. Somos seus servidores.
Que você e os seus fiquem firmes na Luz.
Não julguem ninguém! Só continuem trabalhando no Bem, sempre...
Sejam abençoados com a “Água da Vida” dos Essênios.
(No tempo certo, você e os seus saberão o que isso significa).
Paz e Bem para todos.”
Ah, meus amigos, ele fez um gesto de despedida e saiu flutuando para longe...
Outra coisa: ali, em torno de nós, num círculo espiritual, havia um grupo de índios extrafísicos protegendo o ambiente da salinha. Eu também vi um outro mentor***, mais sutil, que foi quem sustentou todo o trabalho nos bastidores e a ligação com aqueles mentores essênios. Inclusive, ele me falou algumas coisas, que guardei em meu coração com gratidão.
Logo depois, eu voltei ao meu normal totalmente energizado e cheio de alegria por ter participado de uma lance legal desses. E o pessoal também.
Na sequência, conversamos e cada um contou o que tinha sentido e visto durante a reunião. E foi isso... fizemos hora extra no sábado à noite. E como valeu a pena!
Eu quis narrar tudo isso como forma de contribuição ao esclarecimento consciencial pertinente à essa área de estudos tão querida por todos nós. Assim fazendo, ajudo a outros estudantes e trabalhadores espirituais a compreenderem suas próprias experiências e motivações.
Trabalho espiritual não é brincadeira mística! É coisa séria demais.
Valorizem mais a presença de pessoas que realmente tragam Luz a suas vidas.
Não se deixem levar por climas negativos e nem se afastem da atividade espiritual por nada nesse mundo. Não se enganem: todos nós precisamos estar firmes nessa jornada e interligados com o Alto.
Sem a Luz, nós estaríamos fritos!
 
- Wagner Borges - seu colega de evolução, mestre de nada e discípulo de coisa alguma.
São Paulo, 29 de junho de 2015.
 
- Notas:
* Clarividência – do latim, clarus - claro; videre, ver – é a faculdade perceptiva que permite ao indivíduo adquirir informações acerca de objetos, eventos psíquicos, cenas e coisas, físicas ou extrafísicas, através da percepção parapsíquica de imagens ou quadros mentais.
** Chacra Coronário - é o centro de força situado no topo da cabeça, por onde entram as energias celestes. É o chacra responsável pela expansão da consciência e pela captação das ideias elevadas. É também chamado de chacra da coroa. Em sânscrito o seu nome é “sahashara”, o lótus das mil pétalas. Está ligado à glândula pineal.
Obs.: A pineal é a glândula mais alta do sistema endócrino, situada bem no centro da cabeça, logo abaixo dos dois hemisférios cerebrais. Essa glândula está ligada ao chacra coronário, que, por sua vez, se abre no topo da cabeça, mas tem a sua raiz energética situada dentro dela. Devido a essa ligação sutil, a pineal - também chamada de “epífise” - é o ponto de ligação das energias superiores no corpo denso e, por extensão, tem muita importância nos fenômenos anímico-mediúnicos, incluindo nisso as projeções da consciência para fora do corpo físico.
(Chacras - do sânscrito - são os centros de força situados no corpo energético e têm como função principal a absorção de energia - prana, chi -, do meio ambiente para o interior do campo energético e do corpo físico. Além disso, servem de ponte energética entre o corpo espiritual e o corpo físico. Os principais chacras são sete – que estão conectados com as sete glândulas que compõem o sistema endócrino: coronário, frontal, laríngeo, cardíaco, umbilical, sexual e básico).
Ver o texto “Chacras e Cura Psíquica – II”, no seguinte link do site do IPPB: http://www.ippb.org.br/bioenergia/chacras-e-cura-psiquica-ii
  (E para mais informações detalhadas sobre bioenergia, aura e chacras, ver a seção específica no site do IPPB, no seguinte link: http://www.ippb.org.br/bioenergia).
*** Mentor extrafísico – entidade extrafísica e positiva que ajuda na evolução de todos; amparador extrafísico; protetor astral; auxiliar invisível; guardião astral; guia espiritual; benfeitor espiritual.
Obs.: Aquele mentor essênio chamou aquele bando de espíritos infelizes de “Falange dos Rastejantes”. E depois eu me lembrei de um texto dos Espíritos da Companhia do Amor que fala justamente sobre isso, embora em outro contexto. Então, por sua correlacão temática, posto o mesmo na sequência.
 
ALERTA AOS RASTEJANTES, DA TERRA E DO ASTRAL
(Falando de Apegos e Outras Emoções Na Lata!)
 
Vocês sabem por que muitos espíritos atrapalhados gostam de sugar os despojos psíquicos das pessoas? É porque eles já faziam isso em vida! Nutriam-se de emoções pesadas em seus relacionamentos. Contentavam-se com o bagaço emocional resultante de ciúmes descabidos e brigas ridículas.
Alguns até diziam que, sem uma briguinha, o relacionamento ficava murcho. Ou seja, gostavam de uma encrenquinha básica! Nem se pode dizer que amavam o parceiro(a) no leito, que seria melhor denominado de rinha.
Pois é! Quem se acostumou a chafurdar na lama emocional sente falta depois, mesmo no Astral. E o pior é que os caras ainda se acham injustiçados pela vida.
O que é que eles queriam, depois de tanta encrenca semeada pela vida?
Não eram parceiros(as), eram carrascos casca grossa!
Não se respeitavam e, por isso, nunca respeitaram os outros.
Hoje, padecem de carências afetivas violentas e danam a sugar as energias dos encarnados com comportamentos semelhantes aos deles. Vagam à cata de emoções baratas e de climas psíquicos degradantes. Foram rebaixados pelas suas próprias intemperanças.
Em alguns lugares, são chamados de “rastejantes”, pois estão catando as migalhas emocionais dos outros.
É bom que as pessoas da Terra saibam: emoções pesadas viciam o corpo espiritual!* A cada vez que alguém se permite o rebaixamento afetivo, torna-se prisioneiro de vibrações psíquicas muito ruins e acostuma o seu veículo astral a vibrações semelhantes. E aí, quando a morte catapulta o sujeito para fora do corpo, é só lambança psíquica registrada em suas energias. É só carência cobrando atenção e satisfação grosseira.
Então, os caras choram desesperados e culpam a vida; pode, isso?
Não sacaram que atitudes violentas machucam, não apenas os outros, mas a eles também?
Agora, só lhes resta se arrastar por aí, humilhados, se alimentando invisivelmente do rebotalho emocional dos homens da Terra.
Esses caras parecem burros, cheios de “cangas emocionais” fazendo-os olhar para baixo. E, por onde passam, arrastam as correntes pesadas de suas loucuras emocionais.
É bom a galera da Terra prestar atenção nisso, para não dar mole! É bom começar a trabalhar as emoções daninhas e a pensar em amar direito, com motivos melhores e atitudes legais.
Violência, não! Amor, sim!
Leitos de amor, sim! Rinha, não!
Fofoca, não! Conversa legal, sim!
Porcaria afetiva e cobranças descabidas, não! Em lugar disso, que tal ser feliz?
E não pensem que a galera atrapalhada do Astral está entregue a própria sorte, não! Muita gente legal tenta ajudá-los, mas eles são turrões de marca maior. Na verdade, precisam de mais tempo rastejando, para valorizarem algo melhor em suas vidas.
Quando eles erguerem a cabeça para além de seus interesses mesquinhos, com certeza serão guindados a níveis extrafísicos mais amenos. Serão embalados pela galera da Luz. Contudo, até lá, ainda ralarão um monte, para quebrar a crista do orgulho e da violência que ainda os dominam.
Tomara que a galera da Terra fique esperta (e desperta), para não entrar numa furada dessas. Rezem ao Papai do Céu para Ele iluminar suas emoções, para vocês serem felizes.
Quem é legal, merece ser feliz!
Não façam por menos. Não se rebaixem afetivamente. Ergam a cabeça para além dos dramas e vejam outros horizontes surgindo...
Elevada auto estima a todo vapor!
Olho vivo em cima das tolices.
Não façam por menos.
Sejam felizes!
E sempre agradeçam ao Papai do Céu! Ele merece!
Até mais!
 
- Companhia do Amor –
A Turma dos Poetas em Flor**.
(Recebido espiritualmente por Wagner Borges – São Paulo, 08 de junho de 2006.)
 
- Notas:
* Corpo espiritual - Cristianismo - Cor. I, cap. 15, vers. 44.
Sinonímias: Corpo astral - do latim, astrum - estrelado - expressão usada pelo grande iniciado alquimista Paracelso, no séc. 16, na Europa, e por diversos ocultistas e teosofistas posteriormente.
Perispírito - Espiritismo - Allan Kardec, séc. 19, na França.
Corpo de luz – Ocultismo.
Psicossoma - do grego, psique - alma; e soma, corpo. Significa literalmente "corpo da alma" - Expressão usada inicialmente pelo espírito André Luiz nas obras psicografadas por Francisco Cândido Xavier e por Waldo Vieira, nas décadas de 1950-1960, que atualmente é mais usada pelos estudantes de Projeciologia.
** A Companhia do Amor é um grupo de cronistas, poetas e escritores brasileiros desencarnados que me passam textos e mensagens espirituais há vários anos. Em sua grande maioria, são poetas e muito bem humorados. Segundo eles, os seus escritos são para mostrar que os espíritos não são nuvenzinhas ou luzinhas piscando em um plano espiritual inefável. Eles querem mostrar que continuam sendo pessoas comuns, apenas vivendo em outros planos, sem carregar o corpo denso. Querem que as pessoas encarnadas saibam que não existe apenas vida após a morte, mas, também, muita alegria e amor. Os seus textos são simples e diretos, buscando o coração do leitor.
Para mais detalhes sobre o trabalho dessa turma maravilhosa, ver os livros "Companhia do Amor - A Turma dos Poetas em Flor – Volumes 1 e 2" - Edição independente - Wagner Borges -, e sua coluna no site do IPPB (que é uma das seções mais visitadas no site): http://www.ippb.org.br/textos/companhia-do-amor
 

ImprimirEmail