Você... (Nas Entrelinhas da Espiritualidade)

Você olhou para o Céu buscando purificação...
E, no entanto, isso estava em seu próprio coração.
 
Você procurou o Divino nos tomos sagrados...
E bastava tê-lo visto no brilho dos olhos de cada Ser.
 
Você encontrou-se com muitos gurus...
Mas não encontrou-se com o mais importante: você mesmo.
 
Você praticou diversos rituais...
Porém, não honrou e nem agradeceu o dom da vida.
 
Você viu os defeitos dos outros...
Mas ignorou as suas próprias mazelas internas.
 
Você doutrinou os outros...
Mas nunca venceu a si mesmo.
 
Você peregrinou por lugares considerados sagrados...
E não percebeu que sagrada é a vida – em todos os lugares.
 
Você se disse iniciado espiritual...
E não notou que era eterno neófito* do Todo.
 
Você falou muito de iluminação espiritual...
E não notou as trevas que rondavam o seu coração.
 
Você almejou viagens espirituais aos planos sutis...
No entanto, quis fazer isso de forma arrogante – e sem Luz.
 
Você queria encontrar as grandes respostas...
E elas estavam nas pequenas coisas – que você não notou.
 
Você queria ter um samadhi...
E o Eterno tocou o seu coração – mas você não sentiu.
 
Você se ajoelhou para orar...
Mas a crista do seu ego continuou de pé!
 
Você meditou e jejuou...
Mas continuou julgando a conduta alheia.
 
Você se banhou nos rios sagrados...
Mas isso não lavou seu coração das emoções densas.
 
Você estudou os diversos mecanismos da reencarnação...
E, no entanto, continuou racista  e bairrista ferrenho.
 
Você praticou muitas disciplinas – ocidentais e orientais...
Mas os seus chacras continuaram opacos – e suas energias sem viço.
 
Você também procurou despertar os poderes parapsíquicos...
Porém, tentou fazer isso pela arrogância do poder - sem querer a sabedoria.
 
Você “amou sem amar” – e desdenhou a própria vida com sua empáfia...
E não despertou sua consciência – só ficou mensurando a espiritualidade alheia.
 
Você queria grandes revelações espirituais...
E o Eterno fez esses escritos chegarem até você.
 
Você...
Paz e Luz.
 
P.S.:
Agora você sabe: o samadhi**acontece todo dia...
E é em seu coração – em Espírito e Verdade.
O Eterno está bem perto... Dentro de você mesmo.
Então, ache-o... E reencontre a si mesmo.
E, assim, você O verá brilhando em tudo.
Sim, você verá estrelas, se o Céu estiver em seu olhar.
E sentirá um Grande Amor passando por seu pequeno coração...
E, aí, você dirá: “isso não se explica, só se sente...”
Ah, isso é certo: quando o leitor está pronto, o texto aparece!
(Às vezes, poucas linhas dizem muito. E as entrelinhas dizem mais...)
 
- Wagner Borges – espiritualista com qualidades e defeitos, igual a todos, mestre de nada e discípulo de coisa alguma... Sempre na senda, contente.
 
- Notas:
* Neófito – calouro; iniciante.
** Samadhi – do sânscrito - expansão da consciência; estado de consciência cósmica.
Obs.: Enquanto eu digitava essas linhas, lembrei-me de um grande amigo, o Paulinho Sorriso, que hoje mora lá em cima, na “Casa das Estrelas”. Por isso, deixo na sequência um texto onde falo sobre ele, que continua sendo o cara simples de sempre.
Oxalá acrescente algo mais nesses escritos de hoje.
Então, vamos ao texto.
 
 
 
CONVERSANDO SOBRE VIDA E CONSCIÊNCIA
(Um Bate-Papo Extrafísico na Simplicidade da Amizade)
 
Olá, meu amigo.
Faz um tempo que você não dava as caras por aqui.
É bom vê-lo sorridente e cheio de energia. 
Pena que não posso contar para sua família.
Eles não iriam acreditar mesmo.
Para encobrir a dor de sua perda, eles abraçaram a religião.
É estranho. Nunca mais vi algum deles sorrindo como antes.
No entanto, você está alegre, bem vivo; pena que eles não entendem.
Se você aparecer para eles, cuidado, pois será confundido com o demo.
Sei lá, cara! Jesus é tão legal! Por que esse pessoal é tão amargo?
Feliz é você, que perdoou o cara que causou a morte do seu corpo.
É legal saber disso. Tem gente que fica magoada por muito menos.
Tem até espiritualista querendo pena de morte, mesmo sabendo que ninguém morre; e outros, que, estudam reencarnação, mas continuam racistas.
Engraçado. Você levou uma bala na cabeça, mas não perdeu a inteligência.
Todavia, tem gente com a cabeça inteira, mas com a consciência vazia.
Você saiu do corpo definitivamente, mas continua vivo e pensando.
Enquanto isso, aqui na Terra está cheio de zumbis que se arrastam sem pensar.
Quem será o fantasma nessa história? Você, que continua vivo e rindo?
Ou aqueles que não pensam e “vivem sem viver”, arrastando-se sem rumo?
Quem será o demo por aqui? Você, com essa energia maravilhosa?
Ou aqueles radicais cheios de ignorância e de olhares injetados de doutrinação?
Se alguém vir você, dirá que viu um espírito. Mas eu só vejo aqui o meu amigo.
De alma penada, você não tem nada! Pelo contrário, vejo você e quero rir junto.
Ainda mais sabendo que você não guarda rancor. Que legal isso, rapaz!
E agora, explique-me como é esse negócio de perdoar quem ferra com a gente.
Vai contando enquanto eu escrevo...
 
P.S.:
Somos duas consciências interagindo; apenas dois amigos entre planos.
Eu, na Terra; você, no Astral. Ambos vivos e pensantes.
E, para nossa sorte, ambos estamos rindo muito. Ainda bem.
 
(Dedicado a Paulinho Sorriso, que não é fantasma, demônio, elemental nem forma mental, mas apenas um amigo que mora no plano extrafísico - e que é feliz porque não carrega rancor de nada nem de ninguém).
 
Paz e Luz.
 
- Wagner Borges – mestre de nada e discípulo de coisa alguma.
 

Para acessar os textos anteriores dessa seção, por favor, clique aqui.

ImprimirEmail