Coração Ardente

Coração Ardente
 
CORAÇÃO ARDENTE
(Um Relato de Fogo Espiritual)
 
(Texto Postado Originalmente na Lista Interna do Grupo de Estudos e Assistência Espiritual do IPPB)
 
Olá, amigos.
Hoje, pela manhã, tive uma experiência muito interessante, que acho legal relatar. Estou escrevendo sobre o lance agora, horas mais tarde, e após ter refletido bastante em cima do que rolou. Além disso, esperei para ter confirmação de algumas informações que me foram passadas (algumas delas, já confirmadas. E já tenho indícios que outras estão em andamento e se confirmarão em breve).
Tudo começou bem cedinho, quando despertei na cama com um solavanco físico, bem típico do momento de volta do corpo espiritual ao corpo denso (quando dá a sensação que você está caindo de grande altura no corpo abaixo, como se estivesse se fundindo abruptamente com ele). Aliás, todo projetor conhece bem esse sintoma projetivo de repercussão física na volta de sua viagem espiritual (1).
Então, eu me vi paralisado. Estava totalmente consciente e sem poder mover o corpo, na clássica condição de catalepsia projetiva (2). Até pensei que teria outra projeção extrafísica, mas nada aconteceu.
Porém, percebi um movimento no quarto. Em seguida, eu vi um vulto passar à minha direita e ir na direção dos meus pés. E, ali, surgiu uma pequena chama, como de uma vela acesa, controlada por alguém extrafísico que eu não via.
Essa inteligência sutil manipulava essa pequena acha de fogo e passava a mesma nas solas dos meus pés, como se fosse um passe de limpeza com o fogo. Notei que o foco de sua ação era em cima dos chacras situados no meio das plantas dos pés.
A seguir, a chama subiu e veio até minhas mãos, concentrando-se bem no meio delas, ou seja, com o foco de sua ação nos chacras palmares. Depois subiu até a região dos ombros (onde também têm chacras, que são ligados à certos mecanismos anímico-mediúnicos), com o mesmo movimento de passe de limpeza.
Então, apaguei por alguns minutos. Depois, quando despertei, já estava com o movimento normal do corpo e não havia mais ninguém no quarto. Em seguida, levantei-me e fui tomar água e, logo depois, ao banheiro... Tudo estava normal no apartamento.
Escolado por tantos anos de vivências projetivas e anímico-mediúnicas, esperei, pois sabia que aquela inteligência sutil se manifestaria novamente. Então, deitei-me novamente e fiquei atento, mas nada aconteceu. Cochilei um pouco, mas perdi o sono de vez. Além disso, eu sentia um calor diferente na região dos ombros.
Levantei-me de vez e fui para a cozinha fazer um lanche. Comi um pedaço de bolo com chá mate e ainda fiz duas ligações no celular (sobre coisas de trabalho). Em casa, tudo normal. Em seguida, dei ração para o Rama (3) e fiquei pensando se já começaria a trabalhar naquela hora...
No entanto, resolvi sentar-me no sofá da sala e meditar um pouco. O Rama deitou-se ao meu lado, encostado na minha perna esquerda e logo cochilou ali.
Minutos depois, para minha surpresa, surgiu novamente aquela acha de fogo em cima do meu chacra coronário (parecia a chama de uma vela pairando em cima do alto de minha cabeça, quase encostada no couro cabeludo). Só que essa chama era de cor violeta.
E ela me trazia uma sensação de bem-estar e paz de espírito. Eu sentia que era uma coisa boa sendo projetada a meu favor. E fiquei quietinho, observando o fenômeno e também curtindo o lance agradável...
Foi quando, repentinamente, eu vi, por clarividência (4), a inteligência extrafísica responsável por aquela ação. Ela estava à minha esquerda, concentrada, e direcionava aquela chama sobre minha cabeça. Era algo espantoso!
Tratava-se de um Ser de fogo. Sim, isso mesmo!
Era como um homem de fogo, plasmado extrafisicamente só até a metade do corpo, na altura da cintura. Ele veio e ficou à minha frente e eu o vi muito bem. Na verdade, percebi que ele queria mesmo que eu o visse claramente.
Ele não tinha consistência, era fogo em movimento ondulante, na forma humana difusa. Lembrava muito o tocha humana, do Quarteto Fantástico.
Então, ele movimentou suas mãos de fogo e fez a acha de fogo aumentar em cima de minha cabeça. Eu entrei num estado alterado de consciência na hora! E experimentei um prazer energético intenso. Também senti que o Ser de fogo era totalmente consciente, mas de uma forma diferente do ser humano comum. Ele era inteligente e positivo, mas de outra maneira. E era clara a sua intenção de me passar algo bom.
Daí, ele apontou suas mãos de fogo na direção do meu peito e projetou ali uma rajada de energia (mais parecia fogo líquido, como prata derretida). Eu senti uma onda de sentimento bom me preenchendo ... Em seguida, eu vi o meu chacra cardíaco se ativar, como um vórtice de fogo, na cor rosada brilhante. Era “fogo amoroso”.
Então, ele se comunicou comigo mentalmente (num tipo de telepatia muito diferente, bem veloz, onde eu pensava algo e ele respondia a isso antes mesmo de eu completar o pensamento), e me disse que aquilo era o “coração ardente”. E me pediu para que eu prestasse muita atenção nessa expressão, que, segundo ele, tem um significado muito profundo espiritualmente.
Com uma chama violeta em cima da cabeça e uma chama rosada no peito, e aquele Ser à minha frente, entrei num estado vibracional intenso, como se toda aquela energia fosse fogo vivo varrendo o meu corpo inteiro, de cima para baixo, e de baixo para cima, na sequência (5). E eu no meio disso, sentindo um prazer incrível e uma força espiritual enorme em mim.
Nisso, levei minha atenção para a testa e concentrei-me no chacra frontal. Imediatamente ele se ativou, como se fosse um vórtice de fogo amarelo dourado mesclado com azul e rosa no meio, numa mescla de vibrações maravilhosas.
À essa altura, eu estava com três chacras ativados (ou, melhor dizendo, vibrando em chamas rodopiantes e virtuosas): coronário, frontal e cardíaco (6).
Daí, resolvi concentrar-me no chacra umbilical e ver o que acontecia. Mas o Ser de fogo me disse mentalmente que isso não era necessário naquele momento e que ele estava ali para mexer só do chacra peitoral para cima.
Novamente voltei a minha atenção para o chacra frontal. E aí, ele projetou em minha tela mental interna os rostos de algumas pessoas que são minhas conhecidas (algumas delas eu estou ajudando espiritualmente). Eu percebi que estava indo uma assistência extrafísica para elas naquele momento. E mais: eu vi o processo de duas delas com muitos detalhes, pois ele destacou isso claramente para mim. Uma delas, por arrogância e também por influência de obsessores extrafísicos (7), estava com uma massa escura sobre os seus olhos. Ele me mostrou isso e projetou fogo em cima, dissolvendo aquilo e dizendo-me que isso era consequência do orgulho. E ainda me disse que esse era um dos principais males do ser humano.
A seguir, ele me mostrou o rosto da outra pessoa. Eu vi uma massinha escura aderida em seu peito. Por intuição, eu sabia que aquilo era tristeza. Então ele novamente projetou aquele fogo e dissolveu aquela coisa escura do peito dela. E mais: rodeou o seu chacra cardíaco com chamas esverdeadas e encheu-a de esperança. Ele me disse que ela chorava por dentro, mas o seu orgulho não deixava que ela tivesse a percepção clara dos motivos de sua dor afetiva, e que ele a ajudaria secretamente.
À essa altura, turbinado por aquele fogo todo, eu mesmo já sabia das coisas, só de olhar. E, novamente, ele me disse: “coração ardente, não se esqueça!”
E, assim, eu vi várias coisas, assistido pelo Ser de fogo...
Observando-o de tão perto, eu pensei em muitas coisas... Lembrei-me dos exús e entidades do fogo que trabalham na Umbanda e nas magias de velas. Lembrei-me também de tudo que já tinha lido em obras ocultistas e teosóficas, sobre devas e elementais do fogo (as tais salamandras e quetais); e ainda lembrei-me dos trabalhos do casal Roerich e dos rituais hindus alusivos ao Deva Agni (a divindade do fogo). Mas eu sentia que aquele Ser de fogo não era nada disso!
Ele percebeu os meus pensamentos e me disse: “Tudo isso que você pensou são apenas nomes e convenções criadas pelos homens, suas culturas e doutrinas. Eu sou assim, como você me vê. O meu trabalho é secreto, só de conhecimento do Alto. Essa não é a primeira vez que venho até você. Das outras vezes, permaneci invisível, atuando nos bastidores e protegendo-lhe espiritualmente. Aliás, estou novamente aqui por isso, em função do seu trabalho, para sua proteção. Hoje, fui autorizado a aparecer para você. Já era hora disso acontecer. Você pode contar tudo para os seus parceiros de jornada espiritual, pois isso irá fortalecê-los também. Saiba que há outros trabalhadores espirituais sendo protegidos da mesma maneira secreta, principalmente nesses dias de festejos de momo, onde há todo tipo de exacerbações psíquicas e físicas, que são exploradas pelos espíritos trevosos. Essa é a época em que eles se refestelam das energias roubadas dos encarnados que lhes permitem o acesso deletério.”
E, novamente, ele me lembrou daquela expressão: “Coração ardente”.
Em seguida, ele se afastou e sumiu num lampejo...
Eu fiquei aqui, cheio de energia e Amor circulando em mim. E isso perdura até agora, horas depois. Sinceramente, não me interessa de onde ele veio e nem quem o enviou até aqui. O que sei é que foi um lance incrível. O resultado disso foi o Bem fluindo para outras pessoas, como deve ser...
Tenho 53 anos de “encadernação”, estudo e trabalho com o lado espiritual desde os 15 anos, sempre com dedicação e responsabilidade, mas sou sempre surpreendido pelo plano espiritual e aprendendo muito.
E que legal é isso, ser veterano e menino ao mesmo tempo...
Que legal saber que eu não sei tudo e estou sempre aberto para crescer e me acertar (e que não sou mestre de nada e nem discípulo de coisa alguma).
Ah, que legal ver esse Ser de fogo!
E saber que muitas tolices e arrogâncias só são queimadas no fogo do discernimento e da consciência esclarecida.
Então, que haja uma cremação no centro do meu coração... E que minhas tolices sejam incineradas no “Fogo da Sabedoria”.
Ah, eu não vou me esquecer: “Coração ardente”.
Agradeço ao Ser de fogo, não só pela proteção, mas pelos ensinamentos e atenção que me foram dispensados. E também pela ajuda secreta irradiada para aquelas pessoas visualizadas. E também agradeço ao Poder Superior que o enviou.
 
P.S.:
Ah, o “Fogo da Alegria” desceu aqui... Mas não me queimou. Só cremou o que precisava: as minhas tolices de dentro! E é nesse fogo que eu vou em frente...
Pelo Bem. Pela Luz. Pelo Amor. Pela Paz. Pela Espiritualidade.
Ou seja, por Deus, sempre!
Meus amigos, um grande abraço para todos vocês.
 
- Wagner Borges - seu colega de evolução, de “coração ardente”.
São Paulo, 12 de fevereiro de 2015.
 
- Notas:
1. Projeção da consciência – é a capacidade parapsíquica - inerente a todas as criaturas -, que consiste na projeção da consciência para fora de seu corpo físico.
Sinonímias: Viagem astral – Ocultismo.
Projeção astral – Teosofia.
Projeção do corpo psíquico - Ordem Rosacruz.
Experiência fora do corpo – Parapsicologia.
Viagem da alma – Eckancar.
Viagem espiritual – Espiritualismo.
Viagem fora do corpo – Diversos projetores extrafísicos e autores.
Emancipação da alma (ou desprendimento espiritual) – Espiritismo.
Arrebatamento espiritual - autores cristãos.
2. Catalepsia projetiva – sintoma projetivo clássico, onde a pessoa desperta e não consegue se mexer. Isso se deve ao metabolismo estar baixo e às ondas cerebrais ainda em transição, o que ocasiona um estado alterado de consciência e uma soltura das energias do corpo espiritual para fora do seu encaixe com o corpo denso.
Obs.: Ver a descrição desse sintoma projetivo no meu livro “Viagem Espiritual – Vol. 2”, e também no clássico “Projeção do Corpo Astral”, de autoria de Hereward Carrington e Sylvan Joseph Muldoon (publicado na América do Norte em 1929 e traduzido para o português pela Editora Pensamento).
3. Rama - é um cãozinho da raça Yorkshire Terrier, de cor escura mesclada com tons claros, atualmente com cinco anos de idade.
4. Clarividência – do latim, clarus - claro; videre, ver – é a faculdade perceptiva que permite ao indivíduo adquirir informações acerca de objetos, eventos psíquicos, cenas e coisas, físicas ou extrafísicas, através da percepção parapsíquica de imagens ou quadros mentais.
5. Estado vibracional – Aceleração das energias pela força da vontade, visando o desbloqueio energético e a mobilização e ativação dos chacras e das energias da aura.
6. Chacras - do sânscrito - são os centros de força situados no corpo energético e têm como função principal a absorção de energia - prana, chi -, do meio ambiente para o interior do campo energético e do corpo físico. Além disso, servem de ponte energética entre o corpo espiritual e o corpo físico. Os principais chacras são sete – que estão conectados com as sete glândulas que compõem o sistema endócrino: coronário, frontal, laríngeo, cardíaco, umbilical, sexual e básico.
Obs.: Ver o texto “Chacras e Cura Psíquica – II”, no seguinte link do site do IPPB: http://www.ippb.org.br/bioenergia/chacras-e-cura-psiquica-ii
(E para mais informações detalhadas sobre bioenergia, aura e chacras, ver a seção específica no site do IPPB, no seguinte link específico:
7. Obsessores extrafísicos – espíritos maldosos; espíritos perseguidores; verdugos extrafísicos; assediadores espirituais.
Obs.: No dia seguinte, postei na mesma lista os esclarecimentos que estão na sequência:
“Pessoal, ontem eu escrevi esse relato anímico-mediúnico, mas, devido a um problema com a operadora, fiquei sem conexão com a Internet. Então, só estou postando o mesmo hoje, um dia depois do ocorrido. E rolaram outras coisas depois que escrevi...
Uma delas é que fui para a Rádio Mundial para gravar o programa de domingo. Contei para o Evaldo Ribeiro tudo o que havia rolado desde então. Ele ficou emocionado e impressionado com a minha narrativa e me pediu para contar tudo no programa. E assim fiz... Portanto, se vocês escutarem o programa do próximo domingo, saberão mais detalhes sobre esse relato anímico-mediúnico
Outra coisa: fiquei com a energia quente em vários pontos do meu corpo, e isso só foi amenizado à noite. O curioso é que, apesar da intensidade da energia circulando pelo meu corpo, eu estava bem tranquilo de mente e coração.
Fiquei até a madrugada observando as repercussões bioenergéticas em mim. E hoje, ainda sinto muito calor, principalmente nos ombros e no peito. Mas a sensação é de vitalidade circulando e se ajustando de alguma maneira ao meu padrão psicofísico.
Seria bem legal se mais alguém estivesse junto comigo no momento, até mesmo para me ajudar a mensurar os efeitos disso, e também para aproveitar o lance. Mas, faz parte atravessar sozinho iniciações como essas... O difícil é segurar a onda depois, pois também faz parte de minha natureza o compartilhamento (como libriano, isso é certo).
Ao longo dos anos, muitas pessoas pensaram me conhecer profundamente. Porém, só o plano espiritual sabe do meu coração. Isso só pode ser percebido numa sintonia espiritual adequada, simbolizada pela expressão “em Espírito e Verdade”. Só assim para sentir algo verdadeiro de alguém.
Quem procura alguém só pela forma física e pelas emoções, jamais saberá o que é isso. Como vocês verão no relato abaixo, o lance é de “fogo d’alma” (flama espiritual).
Só assim para se conhecer alguém verdadeiramente.
Bom, leiam a minha narrativa e, se puderem, aproveitem algo para vocês mesmos.
Eu só sei que esse é o fogo do espírito e nos deixa cheio de prana e alegria.
E é essa alegria que desejo para vocês.”
 
Um abraço.
Wagner Borges.
        
 

ImprimirEmail