AMOR – SOL E LUA NA ALMA DOS HOMENS

- Por Wagner Borges -
 
Quando se ama, o mundo ganha novas luzes.
Tudo fica luminoso.
Porque o amor ilumina o coração e a luz brota pelos olhos.
O amor não se explica, mas é o que dá sentido à vida.
O prazer de viver se intensifica e tudo muda!
As canções ficam mais lindas.
E um pôr de sol vira uma festa maravilhosa.
Tudo ganha motivo nos olhos que brilham.
Tudo muda! Tudo brilha!
O amor é clarividente, vê além...
É telepático, compreende sem palavras.
Sente a vida, escuta as canções, inspira os poemas e faz tudo vibrar.
Faz o olhar ganhar o brilho da aurora. Faz viver.
Ao amanhecer, é o sol nos olhos e a gratidão pela vida.
Ao anoitecer, faz a lua descer no coração.
Quando se ama, tudo é possível.
E quem poderá explicar os seus mistérios?
Não, não é coisa daqui.
Vem do céu e encanta o Ser.
É o sol nos olhos e a luz no coração.
Faz ver além...
Sente, sem palavras. Compreende.
Quando se ama, o mundo ganha novas luzes.
Isso não se explica, só se sente*.
 
Paz e Luz.
 
São Paulo, 22 de fevereiro de 2008.
 
- Nota:
* Enquanto passava a limpo essas linhas, lembrei-me de Fernando Pessoa, o grande poeta português, que, em 1919, escreveu a seguinte pérola:
 
“Pastor do Monte, tão longe de mim com as tuas ovelhas.
Que felicidade é essa que pareces ter – a tua ou a minha?
A paz que sinto quando te vejo, pertence-me, ou pertence-te?
Não, nem a ti nem a mim, pastor.
Pertence só à felicidade e à paz.
Nem tu a tens, porque não sabes que a tens.
Nem eu a tenho, porque sei que a tenho.
Ela é ela só, e cai sobre nós como o sol,
Que bate nas costas e te aquece,
E tu pensas noutra coisa indiferentemente,
E me bate na cara e me ofusca, e eu só penso no sol.”
 
- Fernando Pessoa -

ImprimirEmail