AMPARADORES EXTRAFÍSICOS II

- Por Wagner Borges -
 

Em relação aos amparadores extrafísicos (1), as pessoas assumem as posturas mais variadas: há aquelas que são fanáticas por "guias espirituais" e não são capazes de fazer algo sozinhas. Se não sentem a presença do amigo extrafísico junto de si, perdem a confiança e se desestruturam perante as tarefas espirituais que lhes foram confiadas.
Essas pessoas se esquecem de dois fatores importantes:
1. O amparador tem o corpo espiritual bem sutil e, por isso, embora esteja presente no ambiente, sua presença pode ser imperceptível para o encarnado.
2. Assim como o amparador é um espírito, a pessoa encarnada também é, e traz dentro de si um potencial anímico e espiritual maravilhoso.
Por outro lado, há pessoas que não admitem a influência de seres extrafísicos em suas atividades. Abominam o auxílio extrafísico e renegam qualquer contato espiritual. Esquecem-se de que na atividade espiritual não há "trabalho solo", pois o próprio termo "espiritual" é derivado de espírito.
Baseado na experiência de muitos anos no estudo da projeção consciente, bem como da mediunidade e das várias capacidades parapsíquicas do ser humano, posso afirmar ao amigo leitor o seguinte: "NÃO HÁ TRABALHO SOLITÁRIO NA CAMINHADA ESPIRITUAL, POIS OS ESPÍRITOS ESTÃO PRESENTES EM TODAS AS ATIVIDADES HUMANAS, PRINCIPALMENTE AS QUE TENHAM CONOTAÇÃO ESPIRITUAL!"
Se os objetivos da pessoa são sadios, os amparadores se farão presentes, tentando ajudá-la invisivelmente de alguma maneira. Porém, se seus objetivos são de baixo nível, os obsessores extrafísicos estarão em seu encalço, atraídos pelas energias densas de seus anseios inferiores.
Muitas pessoas pensam que a influência dos amparadores espirituais é maior nos fenômenos mediúnicos. No entanto, isso não corresponde à realidade. A influência deles é muito maior nas experiências fora do corpo. Isso pode ser explicado da seguinte maneira: a mediunidade é um fenômeno intracorpóreo (2), onde o ser extrafísico se manifesta do plano extrafísico para o plano físico, por intermédio de uma pessoa encarnada sensível à sua influência – ou seja, um médium (3).
A projeção da consciência é um fenômeno extracorpóreo (4), onde o espírito encarnado se projeta para fora do seu corpo físico, isto é, manifesta-se extracorporeamente do plano físico para o plano extrafísico.
Obviamente que isso evidencia o seguinte: os espíritos vivem no plano extrafísico (onde o projetor se manifesta), pois é seu habitat; é onde se manifestam após o descarte (morte, desencarnação) do seu corpo denso. Pois é justamente aí que o projetor consciente vai se manifestar durante o sono de seu corpo físico, isto é, no meio dos espíritos!
Mesmo que o projetor não os perceba, devido às suas energias demasiado sutis, eles estão lá, observando e conduzindo-o sutilmente. Praticamente não há "projeção solo", já que de planos sutis os amparadores estarão monitorando o projetor por onde quer que ele se manifeste.
Baseado nisso, muita gente pode achar que ao sair do corpo vai dar de frente com uma multidão de espíritos. Contudo, a realidade não é essa. Se a projeção ocorre no meio-ambiente terrestre, a possibilidade do projetor se encontrar com espíritos é muito relativa. Por exemplo, se o projetor se encontra projetado na rua em que mora, durante a madrugada, é bem provável que não veja ninguém na rua, seja encarnado ou desencarnado. Obviamente que isso não é regra geral, pois a projeção varia de projetor para projetor e de experiência em experiência. Mas, na maioria das vezes é assim que acontece.
Se o projetor se encontra projetado em algum ambiente onde haja aglomeração de pessoas, é muito provável que veja junto a elas várias entidades extrafísicas.
Se são amparadores ou obsessores, isso depende da situação, do ambiente, das pessoas e das energias ali presentes. Naturalmente que até isto é também relativo. Mas, qualquer projetor veterano ou qualquer clarividente ou médium experiente sabe, por experiência própria, que onde há pessoas, há espíritos.
Se o projetor se encontra projetado no plano extrafísico, é praticamente certo que veja ou sinta a presença de seres espirituais.
Se estiver no plano extrafísico atrasado, verá espíritos sofredores, de aspecto grosseiro e desagradável. Por outro lado, se estiver projetado em ambientes extrafísicos sutis, verá espíritos luminosos, amparadores de consciência, que lhe trarão conhecimentos e energias maravilhosas.
Os aspirantes a projetores conscientes devem ter em mente o seguinte: há uma grande diferença entre trabalhar "SOB OS AMPARADORES" (isto é, calçado na competência deles e não na própria), e trabalhar "COM OS AMPARADORES" (isto é, buscando a autonomia espiritual, mas trabalhando em equipe com eles, funcionando em conjunto na direção de objetivos sadios).

* * *

RECADO AO PROJETOR EXTRAFÍSICO E ESTUDANTE SADIO DO TEMA:

Tendo tudo isto em vista e visando uma melhor integração espiritual com os amparadores, pois eles podem ajudá-lo, não só no desenvolvimento de suas experiências extracorpóreas, mas também em seu crescimento humano e espiritual como um todo, observe três posturas suas em relação ao trabalho com eles (5):

1. HUMILDADE: não seja um projetor rebelde como vários projetores que conheço. Os amparadores nunca irão lhe sugerir alguma ação extrafísica que não esteja baseada no bom senso e na Cosmoética. Siga sua intuição, pois ela é o principal canal por onde eles lhe enviarão as instruções. Em outras vezes, eles se comunicarão pela telepatia. Em muitas ocasiões, você se sentirá conduzido sutilmente até ambientes e situações (físicas ou extrafísicas) programadas por eles.
Lembre-se: não seja dependente deles, busque sua autonomia espiritual. Você não é um garoto de recados espiritual ou uma "marionete espiritual" manipulado por seres invisíveis e inatingíveis. Porém, ser autônomo não significa ser rebelde e insensato.
Em se tratando de projeção consciente, os amparadores são os "craques do assunto". Por isso, seja modesto e preste muita atenção em seus ensinamentos. No momento eles vivem livres das travas de um corpo denso e por isso têm uma percepção mais abrangente das situações do que quem está encarnado. Eles têm visão larga em todos os sentidos e podem orientá-lo sempre para o melhor (6).

2. RESPEITO: tenha grande respeito por esses espíritos que sutilmente lhe ajudam. Eles merecem, pois se deslocam dos maravilhosos ambientes sutis do plano extrafísico para o denso ambiente terrestre com a finalidade de lhe ajudar a crescer.

3. CONSIDERAÇÃO: não crie mitos na sua relação com os amparadores. Eles não são anjos, semideuses ou potestades cósmicas. São somente seus amigos fiéis, companheiros de jornadas astrais (e também físicas). Estão sempre buscando o melhor para seu crescimento consciencial. Tanto que, em algumas projeções, eles lhe chamarão a atenção para suas falhas, da mesma forma que um professor admoesta seu aluno (7). Podem ser chamados apropriadamente de "professores da consciência". Tenha a maior consideração por eles: são seus reais guias de Viagem Espiritual.

Paz e Luz.

(Texto extraído do livro "Viagem Espiritual Vol. II – Wagner Borges – Editora Universalista – 1995).

- Notas:
1. Os amparadores extrafísicos são os espíritos desencarnados, amigos do projetor, que o ajudam na projeção. São os chamados guias espirituais, benfeitores espirituais, protetores astrais, guardiões extrafísicos, mentores espirituais, mestres extrafísicos etc.
Durante toda a projeção, os amparadores estão presentes, assistindo e orientando o projetor, mesmo que ele não os perceba. Na maioria das vezes, eles ficam invisíveis e intangíveis ao projetor. A projeção em que o amparador ajuda o projetor a sair do corpo é denominada de "projeção assistida".
2. Intracorpóreo - de fora do corpo para dentro da sua aura (extrafísico/físico).
3. Médium – do latim – intermediário; agente interplanos.
4. Extracorpóreo - de dentro do corpo para fora de seu perímetro energético (físico/extrafísico).
5. Isso também é válido para os trabalhadores espiritualistas de uma maneira geral.
6. Favor não confundir humildade com servilismo ou falta de personalidade ou de opinião. Sob o rótulo de humildade, encontramos muitas vezes exemplos de demagogia religiosa ou política. A humildade a que me refiro é o somatório de simplicidade e modéstia, isto é, exatamente o contrário de ostentação e orgulho.
7. Isso pode ser chamado de "broncas astrais" ou de "admoestações extrafísicas". Confesso honestamente ao amigo leitor, e sem vergonha alguma disso, que em todos esses anos trabalhando como projetor consciente e médium, já levei muitas broncas dos espíritos e isso foi muito útil para meu crescimento espiritual.

ImprimirEmail