ASSISTÊNCIA RADIANTE I, II, III, IV e V

A série de textos “Assistência Radiante” visa mostrar um pouco dos bastidores das atividades ligadas à assistência espiritual realizada pelos amparadores.

Como, freqüentemente, participo dessas atividades como elemento interdimensional, penso que as narrativas contidas nesses textos possam ser úteis a outros trabalhadores e estudantes espiritualistas.

Daí a seleção desses quatro textos postados aqui em conjunto, para dar uma idéia seqüenciada dos lances que rolam além dos olhares humanos, naquelas vibrações extrafísicas concomitantes com esse nosso plano físico.

Espero que a leitura desses textos possa ser útil.


Paz e Luz.

Wagner Borges – São Paulo, 10 de agosto de 2004.

======================
ASSISTÊNCIA RADIANTE I
======================

Há cerca de uns dois anos, eu passava de carro junto com uma amiga pela Rua Domingos de Morais (zona sul de São Paulo). Eram por volta de 23h50min e a noite estava bastante chuvosa e fria. Eu estava voltando para casa após um curso e minha amiga estava me dando uma carona providencial.

Estávamos conversando, quando fomos surpreendidos por um forte barulho de batida de carro e vidros estilhaçados na pista contrária a que estávamos indo. Olhamos para o outro lado e vislumbramos no meio da chuva dois carros batidos e saindo muita fumaça. Imediatamente, descemos do carro e fomos prestar socorro às vítimas que ainda estavam atordoadas dentro dos veículos. Junto com outras pessoas que também pararam para ajudar, nós retiramos os feridos para fora dos carros. Eram quatro pessoas no total. Estavam bastante ensangüentadas e uma delas tinha cacos de vidro dentro dos olhos.

Minha amiga ligou do celular para um quartel do corpo de bombeiros que ficava perto. Em alguns minutos, surgiu uma viatura de socorro dos bombeiros e ali mesmo no local eles prestaram ajuda aos feridos. Ficamos um pouco afastados olhando aqueles homens trabalharem no meio da chuva.

Desde o comandante da equipe até os soldados, todos demonstraram um alto grau de profissionalismo e atenção para com aqueles feridos, principalmente para com a moça que estava com os cacos de vidro nos olhos (ela estava muito nervosa, naturalmente).

Eu observava a dedicação daqueles homens trabalhando, quando percebi uma atmosfera cor de rosa preenchendo o ambiente da rua em volta de todos nós, mas principalmente em volta dos bombeiros. Eram as energias dos amparadores que davam assistência aos bombeiros. Emanações cor de rosa são características de vitalidade e amor. Elas estavam ali comprovando aquela máxima espiritualista: "Semelhante atrai o semelhante!".

Prestados os primeiros socorros, os bombeiros embarcaram na viatura a moça com o problema nos olhos e uma colega que estava com várias escoriações pelo corpo.

Nesse ínterim, passou uma ambulância do Hospital do Jabaquara na pista oposta. Seus integrantes viram a cena do acidente, fizeram um retorno rápido (contrário à direção em que estavam seguindo) e pararam junto a nós. Desceram da viatura dois enfermeiros e perguntaram se os bombeiros precisavam de ajuda. Explicaram que estavam voltando para o hospital e poderiam levar os pacientes. Porém, os bombeiros já estavam de partida e preferiram completar o serviço.

Observei os dois enfermeiros. Eram um homem e uma mulher negros, simpáticos, bem fortes, atarracados, na faixa dos 35 anos de idade. Seus olhos brilhavam demais e que maravilhosa simpatia emanava dos dois! Em torno deles, havia uma atmosfera energética branca radiante. E que energia!

Por frações de segundo, vislumbrei uma equipe de amparadores que acompanhava invisivelmente aquele pessoal em seus trabalhos de assistência. Até a ambulância tinha a mesma aura radiante.

A seguir, eles partiram e fiquei observando de longe a ambulância radiante sumir no meio da noite chuvosa.

Ao chegar em casa, tomei um banho quente e fiz um lanche. Ainda estava impressionado com as energias daquele pessoal. Nem os bombeiros ou os enfermeiros perceberam, mas os espíritos estavam junto com eles o tempo todo. Eles não haviam feito preces ou evocado ninguém, estavam apenas trabalhando com boa vontade. Por isso, aquelas energias maravilhosas abençoavam seus procedimentos assistenciais.

Resumindo: - Tudo é uma questão de sintonia! Nossos pensamentos e sentimentos determinam a qualidade de nossas energias na vida.


PS: Há pessoas boas trabalhando anonimamente no mundo, física e extrafisicamente. A mídia e as pessoas pessimistas desconhecem seu valor, mas elas estão por aí espalhando sua luz. São pessoas radiantes! E como é bom escrever que elas existem...


- Wagner Borges - São Paulo, 17 de janeiro de 1999.


=======================
ASSISTÊNCIA RADIANTE II
=======================

“Meus irmãos, levem a sério esses estudos e práticas espirituais.

Vocês não percebem, mas enquanto realizam esses exercícios, suas auras são purificadas de manchas antigas. Os amigos extrafísicos aproveitam esses momentos de convergência energética para efetuarem vários mecanismos de assistência espiritual, tanto para os participantes do grupo, quanto para outras pessoas distantes, físicas e extrafísicas.

Ocorrem muitas coisas nos planos sutis referentes à uma reunião de cunho espiritualista, desde a pura e simples desobsessão espiritual até o desbloqueio dos centros de força (chacras); desde a limpeza energética dos participantes até a implantação de ondas de intuição extremamente sutis em seus centros coronário, frontal e cardíaco.

A ação dos amparadores é plenamente eficaz, mas ocorre fora dos padrões de percepção comum dos encarnados. Seu trabalho é realizado em freqüências dimensionais quintessenciadas fora do alcance das ansiedades humanas. Não obstante seu anonimato, estão presentes! São invisíveis aos olhos físicos, mas são operantes e não buscam mérito algum em suas atividades. Estão ligados a vocês por sintonia de objetivos sadios.

Por isso, executem com diligência e seriedade as práticas espirituais sugeridas. Elas são portas abertas para um maior contato com seus amparadores. Mantenham um padrão de consciência elevado, com humildade e respeito pelas leis maiores que governam a existência de todos. Mente aberta em todos os procedimentos e muita LUZ NO CAMINHO!”

* * *

“Meus amigos,

Podemos fazer um bom trabalho individualmente, mas, quando unidos a outras consciências em elevado padrão consciencial, transformamo-nos em poderosas ondas espirituais a favor do Bem de todos os seres. Encarnados e desencarnados, em harmonia de objetivos, operam a maravilha da assistência espiritual no mundo dos homens e em suas dimensões extrafísicas mais densas.”

* * *

“Há pessoas que entram e saem de suas vidas. Porém, os amparadores continuarão presentes! Durante a romagem terrena, na hora da morte e no período extrafísico, entre as vidas, eles sempre estarão presentes com vocês! Ninguém está sozinho! Pois, como dizia o mestre Jesus: "Na casa do Pai há muitas moradas". E nessas moradas extrafísicas vivem os amparadores de várias freqüências. Eles trabalham e torcem para que vocês sigam os preceitos do amor e do bom senso ao longo da vida.”

* * *

“Isolados, somos simples farol aceso em meio às brumas de nossas dúvidas e frustrações. Juntos, na sintonia do Bem, somos um Sol de amor. Somos LUZ NO CAMINHO!”

P.S.: - Os amparadores que me passaram esses escritos não querem identificar-se. Preferem ficar no anonimato, pois, segundo eles, suas individualidades não são significativas. Para eles, o importante é ventilar idéias benéficas às pessoas.
(Estes escritos estão direcionados, em primeiro plano, para os alunos do curso "LUZ NO CAMINHO" aqui de Salvador. Contudo, seu teor pode ser útil a muitos leitores.)

(Recebido espiritualmente por Wagner Borges - Salvador, 02 de fevereiro de 1999.)

* * *


- Nota de Wagner Borges:

Enquanto eu recebia esses escritos, os amparadores me mostraram, por clarividência, a ação de um grupo de médicos extrafísicos em algum lugar da África. Dentre eles, estava o meu querido amigo Dr. Luiz Raphael, que há tempos eu não via. A equipe estava aplicando passes energéticos para efetuar o desprendimento espiritual de várias pessoas que haviam desencarnado por lá hoje. Vi muitos cadáveres de pessoas de cor negra estirados no chão (boa parte eram de crianças) cobertos de moscas. Por incrível que pareça, às bordas do século XXI, com tanta tecnologia no mundo, ainda há muitos seres humanos desencarnando por causa da miséria.

Olhando a dedicação daqueles espíritos e sua ação organizada, lágrimas de admiração tomaram-me de assalto e não pude evitar o choro solitário na calada da madrugada. Já vi e participei de trabalhos assim (dentro e fora do corpo) centenas de vezes, mas, em certas ocasiões, as ondas de sentimento são tão intensas que não há como permanecer incólume emocionalmente, mesmo lastreado por anos de experiência prática nisso.

Paradoxalmente, enquanto observava as cenas à distância e escrevia, lembrei-me de várias pessoas envolvidas em estudos espirituais. Pensei nos pesquisadores teóricos ("burocratas conscienciais") da Projeciologia e dos fenômenos parapsíquicos em geral. Onde se encaixaria seu virtuosismo técnico e sua nomenclatura opulenta naquelas ondas de sentimento dos amparadores?...

Lembrei-me das pessoas que aparecem em cursos e palestras espiritualistas cheias de leviandade e egoísmo em suas aspirações místicas. Onde se encaixaria a leviandade da maioria desse pessoal no trabalho daqueles amparadores?... Haveria alguma ressonância espiritual entre eles?...

Lembrei-me, também, do pessoal do nosso Grupo de Estudos e dos vários grupos de irradiação de energia do nosso espaço em São Paulo. Onde se encaixaria o egoísmo e o personalismo barato de alguns deles na ação dos amparadores?... Que sintonia haveria entre suas mediocridades emocionais, suas reclamações de coisas ínfimas e seus objetivos místicos fúteis e os envolvimentos espirituais superiores dos amparadores?...

Se todo esse pessoal pudesse ver os amparadores trabalhando com tal dedicação e amor, será que seus olhos brilhariam mais?... Será que seus objetivos espirituais seriam mais dignos e suas presenças em grupo mais responsáveis?...

Será que eles entenderiam essa canção?:

"Vem, minha criança!
Segura na minha mão.
Atravessaremos os portais luminosos
Junto com os anjos da aurora.
Eles nos guiarão pelas alamedas do Céu.
Entraremos no coração do Bem-amado,
Lar da luz imortal,
Onde as estrelas nos saudarão.
Vem, solte-se do corpo,
Velha morada da dor,
E vamos para a luz.
Os anjos estão aqui trabalhando em silêncio.
Eles nos guiarão nas luzes do amor pelas alamedas do Céu..."

Paz e luz!



========================
ASSISTÊNCIA RADIANTE III
========================

Madrugada de 5a feira.

Estou em Salvador, a ensolarada capital da Bahia.

Está rolando o curso "Tambores Celtas" aqui no Hotel Vila Velha, onde estou hospedado. Hoje foi o segundo dia do curso.

Rolou um lance que ainda está se desdobrando até agora. Por isso, para facilitar o entendimento do leitor, passo a relatar a parte inicial do lance logo abaixo.


* * *

Nunca faço um curso ou palestra sem antes me concentrar bem. Faço um trabalho de energia e abro a mente e o coração ao AMOR QUE GERA A VIDA buscando aquela inspiração para fazer o melhor na atividade espiritual.

Enquanto pulsava luz nos chacras, tive a intuição de realizar com os alunos do curso uma prática de ativação e limpeza vibracional dos chacras frontal, cardíaco e sexual (1).

Preenchido de contentamento por estar levando para a turma um monte de coisas legais, peguei o material de aula e saí do quarto para o corredor do sétimo andar. Enquanto esperava o elevador chegar, fiz uma bola de luz com a mão direita e joguei-a pela extensão do corredor (à minha direita) até a parede. Ela correu pelo corredor e interpenetrou a parede. A seguir, fiz outra bola de luz, agora com a mão esquerda, e projetei-a pela extensão do corredor (à esquerda, onde o meu quarto fica no fim do mesmo) – Porém, ela não chegou até a parede. Havia um campo energético em frente a porta do quarto, e ela bateu nele e se dissolveu.

Observei melhor e vi que era um campo de proteção feito pelos amparadores bem na entrada do quarto. Agradeci mentalmente ao carinho desses amigos extrafísicos tão legais.

Peguei o elevador e desci para o auditório. Chegando no andar térreo, em frente à recepção do hotel e bem de frente com a porta principal de acesso à Avenida Sete de Setembro, percebi uma gritaria forte lá na rua. Olhei naquela direção, mas não havia agitação nenhuma por ali.

Segui para o auditório e logo de início ensinei para os alunos aquela prática intuída pelos amparadores. O efeito foi fantástico e o clima espiritual da turma e do ambiente ficou muito enriquecido de vibrações sadias, principalmente pela presença de uma amparadora que sempre aparece quando faço os cursos aqui na cidade. Ela se apresenta como uma dançarina hindu, lembrando a deusa Lakshmi, esposa de Vishnu na cosmogonia hinduísta. Suas energias e o seu amor são contagiantes.

No entanto, enquanto o exercício rolava, novamente percebi aquela mesma gritaria lá na rua. Então, pela clarividência vi uma turba de espíritos sofredores passando pela rua em frente ao hotel. Eram sujeitos horríveis, vários deles de capuz escuro, mas que não escondiam suas fisionomias deformadas. Em torno deles havia uma atmosfera cinzenta e viscosa.

Aproveitei o clima excelente do ambiente e emanei energias na intenção da melhoria daqueles sofredores extrafísicos, "vivos do lado de lá", mas que ainda se arrastam em meio aos "vivos do lado de cá".

A aula do curso seguiu de forma maravilhosa, e até brinquei com a turma dizendo que aqueles espíritos já estavam em Salvador para guardar lugar para o carnaval.

Depois da aula, tomei um banho e fiz um lanche leve (um pedaço de mamão com um suco) – Tinha almoçado um prato forte (um maravilhoso ensopado de pitú, do qual sou fã e sempre que venho a Salvador traço essa iguaria), e não queria sobrecarregar o organismo com um jantar.

Assisti ao noticiário na TV e depois li uma revista deitado na cama.

A seguir, cochilei por cerca de uns quinze minutos aproximadamente.


* * *


Despertei e perdi o sono de vez.

Li mais um pouco na cama, mas logo levantei-me.

Resolvi abrir o note-book que trouxe comigo na viagem e passar alguns textos a limpo. Coloquei um CD para tocar num aparelho de som que um amigo aqui de Salvador me emprestou.

Em dado momento, percebi algumas presenças sutis dentro do quarto. Fechei os olhos e concentrei-me para ver o que estava rolando espiritualmente.

Para minha surpresa, aquela amparadora maravilhosa (uma gata extrafísica, ou melhor dizendo, um verdadeiro "avião extrafísico") estava sentada bem no meio da cama em posição de meditação. Estava caracterizada com a mesma indumentária de dançarina hindu.

Ela saudou-me com um gesto de cabeça e fechou os olhos em sua meditação profunda. Um perfume sutil permeou o ar do quarto.

Contente com a presença dela aqui juntinho, procurei entrar numa sintonia elevada também. Pulsei luz branquinha no chacra frontal e esperei para ver o que aconteceria.

Então, em minha tela mental interna surgiram várias imagens de um resgate extrafísico que os amparadores estavam realizando naquele momento numa praça do Campo Grande, o bairro que é a seqüência da Avenida Sete de Setembro, e onde já estão instalando diversas armações metálicas para o carnaval.

Havia várias colunas de luz violeta projetadas do céu até o nível da rua. Vi vários amparadores vestidos de branco levando espíritos sofredores para dentro daquelas colunas. Quando eles entravam nelas, imediatamente eram sugados para algum ponto bem acima, provavelmente para algum local extrafísico transitório preparado para o tratamento daquele pessoal (2).

Reconheci naqueles espíritos a mesma turba que gritava há horas atrás na avenida em frente ao hotel.

Fiquei contente, pois de alguma maneira eu sentia que estava envolvido energeticamente naquele processo de ajuda a eles. Procurei emanar mais sentimentos legais para colaborar naquela assistência invisível.

Olhei para a cama e a amparadora ainda estava lá na mesma posição.

A seguir, surgiu um dos amparadores da equipe extrafísica de Ramatís bem em frente a minha cadeira, e pediu-me para anotar algumas informações pertinentes aquele trabalho que eu estava vendo.

Aproveitando que o note-book estava ligado, registrei imediatamente, à medida em que ele me passava mentalmente, as seguintes informações:

"Meu irmão,

A morte é o descarte final do corpo denso. Ela é a grande reveladora do que se passava dentro da consciência.

Sob sua ação, o que há para esconder?

Na natureza extrafísica não há como bloquear a exteriorização espiritual daquilo que se é. O psicossoma (3) revela energeticamente o clima consciencial da entidade.

As pessoas se desprendem do corpo finalmente, e são atraídas para os ambientes extrafísicos aos quais sintonizaram em vida. Elas seguem direto para as companhias extrafísicas que lhes são afins.

Essa ligação não é determinada pela morte, mas pela manifestação da pessoa em vida. Os seus pensamentos e emoções constituem o clima psíquico que lhe acompanhará extrafisicamente.

A cada um segundo suas obras!"

Em seguida, ele fez um gesto de saudação com as mãos e sumiu no ar à minha frente. Olhei para a cama e , infelizmente, a moça também tinha sumido.

Confesso que não consegui evitar um pensamento sacana:

"Que pena que essa mulher maravilhosa se mandou. Agora vou passar mais um noite sozinho nesse quarto de hotel sem sentir o perfume dela."

Depois, achando que o lance tinha terminado, levantei-me da cadeira e espreguicei o corpo. Tomei água e fui ao banheiro.


* * *


Passo a narrativa agora para o momento presente.

Estou sentado novamente em frente ao note-book ligado. Sinto que ainda há algo para completar a noite. As imagens das colunas de luz violeta ainda estão registradas em minha mente. Coloco o mesmo CD de antes (4) para tocar baixinho, pois não quero incomodar a nenhum outro hóspede a essa hora da madrugada.

Escuto a música com os olhos fechados aqui em frente a tela aberta do note-book. Sinto uma onda de amor chegando... os dedos formigam... a aura da cabeça se expande... lágrimas espontâneas rolam pelo rosto... penso no Cristo envolvendo o mundo invisivelmente.

Alguém invisível me abraça, e mentalmente me diz:

"Meu irmão em Cristo,

Saudações daqueles que velam em silêncio pelos homens.

No centro da noite ecoam os gritos e lamentações daqueles que se deixaram levar em vida pela sedução das luzes ilusórias do mundo. Ele se arrastam nas trevas de suas dores em meio a loucura que devasta suas mentes desalinhadas.

A escuridão que carregavam por dentro, agora é o próprio meio ambiente que se lhes apresenta em torno. Uma nuvem escura, resultado de suas formas mentais dantescas, paira sobre eles por onde vão.

Vagam na noite à procura dos encarnados incautos que lhes dêem guarida em seus vícios e tolices. Costumam misturar-se em ambientes de grande algazarra e leviandade. Vivem a cata de emoções densas e das pessoas que lhes são afins energeticamente. São andarilhos invisíveis da tristeza agregados invisivelmente à humanidade incauta que lhes fornece o alimento psíquico sem saber de sua existência nefasta.

No entanto, apesar de suas incongruências, ainda são centelhas vivas do Pai Celestial. São amados pelo AMOR QUE AMA SEM NOME!

Sem que eles saibam, a luz do Alto está vertendo sobre seus destinos.

A luz do Cristo está agindo sobre eles agora mesmo. Raiou a aurora da assistência espiritual em seus caminhos. É hora de ir para casa!

Em silêncio, as hostes de benfeitores invisíveis estão resgatando-os por intermédio dos portais luminosos abertos pela ação amorosa do Cristo.

Você é um homem privilegiado por perceber e participar espiritualmente de tal ação desobsessiva no mundo. É a graça do Cristo que também lhe guia.

Uma de suas tarefas é relatar para os homens o que se passa nos bastidores invisíveis do mundo. Continue fazendo isso, meu amigo.

Agora, deite o corpo no leito e eleve os pensamentos e o coração ao Cristo.

Desprenda-se do casulo carnal e venha participar das atividades dos tarefeiros extrafísicos que ajudam a humanidade em silêncio.

Basta dormir pensando no Cristo... e ser servo do amor.

Vamos voar, irmão. Por onde seguirmos, projetaremos a luz da cura e da boa vontade entre os homens. Sem julgamentos, sem alarde, e sem vergonha de curvar-se aos desígnios superiores.

Vamos voar juntos, pois o Amor do Cristo nos abraça e nos convida a prática do bem."

Tocado por ondas de amor que não tenho palavras para expressar, abro os olhos em meio às lágrimas silenciosas, e vejo um espírito vestido a moda dos primeiros cristãos da época do Império Romano. Ele é um homem de cerca de uns 60 anos de idade. Tem barba branca e uma expressão muito simpática. Ele sorri e abre os braços de forma amistosa. Atrás dele surgem mais três amparadores. Um deles também tem barba branca, mas os outros dois aparentam ter uns 45 anos aproximadamente. Os três estão vestidos do mesmo jeito e apresentam o mesmo ar simpático.

Pelas suas energias, sinto que são amparadores ligados às vibrações de Jesus.

Vou seguir a orientação espiritual e deitar a carcaça no leito logo. O trabalho irá continuar fora do corpo e não quero perder a carona espiritual desse grupo de amparadores tão legais que está na área.

Espero ser útil! (5)

Paz e Luz.

- Wagner Borges - sujeito com qualidades e defeitos, 41 anos de idade, que não segue nenhuma doutrina criada pelos homens da Terra, que admira muito a Jesus, Buda e Krishna, mas que se "amarrou" mesmo foi na amparadora hindu.)

Salvador, 23 de janeiro de 2003.

- Notas:
1. Essa prática será postada oportunamente em um dos próximos envios de texto.

2. Muitas vezes, esses locais transitórios de assistência espiritual se apresentam como autênticas naves extrafísicas pairando sobre os locais aonde o trabalho assistencial está sendo desenvolvido.

3. Psicossoma (do grego): Psique: Alma; Soma: Corpo – Corpo da alma.
Termos equivalentes: Corpo astral (Teosofia), Perispírito (Espiritismo), Corpo espiritual (Cristianismo – Coríntios II, Cap. 15; vers. 44), Corpo de luz (Ocultismo).

4. O CD chama-se "Sila" – Chris Theriault – Evergreen Music Records - 1993. Trata-se de um trabalho New Age muito inspirado e calmo. É excelente para meditação e práticas espirituais diversas. Obs. Não é um CD fácil de conseguir.

5. Enquanto passava a limpo esses escritos, lembrei-me da "Grande Invocação" passada espiritualmente à Alice Bailey na primeira metade do século XX:

A GRANDE INVOCAÇÃO

Do ponto de Luz na mente de Deus
Que flua Luz nas mentes dos homens
Que a Luz desça à Terra

Do ponto de Amor no coração de Deus
Que flua Amor nos corações dos homens
Que Cristo retorne à Terra

Do centro onde a vontade de Deus é conhecida
Que o Propósito guie as pequenas vontades dos homens
O Propósito que os Mestres conhecem e servem

Do centro a que chamamos a raça dos homens
Que se realize o plano do Amor e de luz
E feche a porta onde se encontra o mal

Que a Luz, o Amor e o Poder restabeleçam o Plano Divino sobre a Terra!



=======================
ASSISTÊNCIA RADIANTE IV
=======================

Madrugada de 6a feira.

Desperto depois de umas duas horas de sono.

A princípio, por alguns instantes não reconheço o ambiente onde estou. Mas, logo reconheço o quarto do Hotel Vila Velha, em Salvador, onde estou hospedado há alguns dias.

Acendo a luz do pequeno abajur de cabeceira, levanto-me do leito, tomo água e vou ao banheiro.

Sinto-me meio estranho, meio que perdido no centro da madrugada. Uma sensação de solidão vem chegando de mansinho e se apoderando de meu estado íntimo. Percebo que essa sensação não é minha, pois ela dói no fundo de minha alma, e não tem muito a ver com o meu jeito natural de ser.

Disposto a não assimilar aquela sensação, sento-me na cadeira junto a mesinha aonde está o note-book. Ligo o bichinho para prevenir qualquer possibilidade eventual de escrever algo de improviso. Fecho os olhos, elevo os pensamentos e começo a exteriorizar energias pelos chacras principais e pelas mãos - literalmente dando um passe energético no ambiente do quarto.

Então, vejo um dos amparadores extrafísicos do grupo dos Iniciados (1) em pé ao lado da cama. Mentalmente, ele me diz (e eu vou escrevendo ao mesmo tempo):

"As sensações estranhas que você está sentindo são decorrentes da presença de dois espíritos apegados que nossa equipe está tratando espiritualmente. Eles são companheiros de longa data na mórbida atividade do vampirismo extrafísico. Um deles está perto da porta do quarto tremendo de medo. Boa parte das sensações que você captou são dele. O outro está lá fora seguro por dois de nossos trabalhadores. Ele é o mais agressivo dos dois, e o seu companheiro aqui do quarto está apavorado por estar sem a sua presença segura ao lado.

Se você concordar, nós vamos trazê-lo aqui para o quarto também. É nossa intenção que ele preste um depoimento esclarecedor sobre suas impressões astrais, antes de levá-lo para um ambiente extrafísico apropriado para o seu tratamento vibracional e psíquico.

O depoimento dele é importante para os estudantes e trabalhadores espiritualistas encarnados, pois revelará aspectos psicológicos e energéticos do que se passa no íntimo de alguém na sua condição.

Enquanto você estiver ligado energeticamente com ele, será normal sentir uma forte pressão no alto da cabeça e na boca do estômago. Isso poderá ocasionar ligeiras tonturas e sensações de leve náusea, além de uma certa irritabilidade vinda dele. Contudo, isso será transitório, só enquanto ele estiver aqui."

Concordei (como se ele já não soubesse que eu iria fazer isso), e preparei-me energeticamente para agüentar o tranco vibracional.

Em seguida, dois amparadores hindus atravessaram a parede do quarto trazendo um homem branco, de uns 34 anos aproximadamente, forte, cabelos castanhos claros, feições grosseiras, sem camisa, e vestido com uma bermuda amarela (estilo daquelas de surfistas) – Pela sua expressão, o sujeito estava irritadíssimo.

Imediatamente o quarto ficou com uma atmosfera embaçada, e o clima pesou.

Nesse instante, vejo o outro espírito perto da cama olhando para cá meio assustado. Esse aparenta ser mais jovem e tímido. É branco, magro (também está sem camisa, e de bermuda), tem o rosto sardento e um olhar de quem quer aprontar alguma coisa errada.

Ele está perto da mesinha de cabeceira, logo atrás do abajur aceso. Há um relógio-despertador em cima dela e algumas revistas e livros.

A essa altura, o ambiente do quarto já está todo alterado energeticamente. Tenho a sensação de que o campo energético (duplo etérico) do quarto está tremendo. Então, percebo que o relógio está se movendo lentamente em cima da mesinha. De relance, vejo que um copo e uma lata vazia de guaraná em cima da geladeira (que fica a uns dois metros de onde o espírito está) também estão se movendo lentamente. E surgem repentinamente diversos estalidos vindos do armário e da televisão (fenômenos de efeitos físicos ocasionados pela ação do ectoplasma exteriorizado no ambiente)

Nessas horas, a experiência de muitos anos como sensitivo e o discernimento das coisas conta muito. Permaneci bem tranqüilo e concentrado, pronto para qualquer negócio.

Percebo o amparador que apareceu primeiro, perto da cama controlando energeticamente o espírito atormentado.

O outro sujeito, o irritadinho, foi colocado pelos outros dois amparadores ao meu lado direito, à cerca de um metro de distância aproximadamente. Eles ficaram postados logo atrás, como dois seguranças extrafísicos bem firmes e concentrados em seu trabalho.

Fico tonto e enjoado, mas permaneço atento.

Daí, o sujeito começa a chorar de raiva e falar bem alto e cheio de expressões agitadas com as mãos. Escuto sua voz dentro de minha mente (acho que esses espíritos pensam que um médium é uma espécie de alto falante onde é só chegar e gritar para o mundo as suas desventuras) e digito velozmente o que ele diz:

"Cara, lá fora está chovendo tanto! (2)
Dizem que Deus está lá em cima chorando por nós.
Será verdade?
Será que Ele ama até mesmo a nós, os párias do Além?
Os espíritos luminosos dizem que sim, e que é hora de voarmos.
Sabe, o que dói mais é o esquecimento das pessoas.
Parece que nem existimos um dia em suas vidas.
Como as pessoas são imbecis!
Nem sacam que estamos colados nelas, com o "bafo em seus cangotes".
Quando elas dormem, às vezes nos vêem, mas pensam que é pesadelo.
Pesadelo é a vida fútil delas mesmas!
A maioria recebe o que merece, nem mais nem menos.
E nós somos testemunhas de suas babaquices.
Reconhecemos as nossas falhas, mas elas são iguais às da maioria.
E que ninguém venha nos dizer o que é certo ou errado.
É uma grande dor viver no vazio, cara.
E nós despencamos feio num abismo de agonia.
Mas os espíritos luminosos sempre falam de nossa possível redenção.
Talvez seja hora de acreditar numa Força Maior acima de nós todos.
Talvez as gotas dessa chuva sejam as lágrimas de Deus.
Espero que isso seja verdade, que alguém nos ama muito.
E que nenhum cara religioso venha com sermão para cima de nós.
De hipocrisia, já basta a nossa.
Mas prometemos aceitar a luz que nos é oferecida de forma justa.
Cara, isso é tudo!
Vamos entrar na abertura luminosa e ver no que dá...
Tomara que Deus não seja chato, senão nós voltamos para cá!
E obrigado por nos ouvir, e não nos julgar.
Agora é entre nós e Deus, no Astral.
Se tudo der certo, prometemos melhorar, devagar e sempre.
Tomara que Deus seja legal... e nos ame, e perdoe.
Como não somos dos piores, é quase certo que Ele quebre o nosso galho.
Valeu aí, cara!"

Em seguida, ele se afasta e vejo os amparadores enchendo o ambiente do quarto com energias branquinhas bem suaves. Tudo fica leve e as sensações estranhas desaparecem por completo. Na seqüência, eles acenam em despedida e atravessam a parede com os dois sujeitos.

O ambiente fica bem gostoso por aqui. O lance foi penoso, mas valeu a pena.

Muitas vezes são os espíritos obsessores que falam as grandes verdades na cara, sem firulas, direto na veia.

Bom, executei bem o serviço que me deram. Agora vou encostar o esqueleto no leito tranquilamente. O meu coração está leve, minhas energias estão branquinhas e suaves, o ambiente do quarto é só leveza, e agora é hora de nanar, e talvez dar uma voltinha espiritual enquanto isso (3).

Paz e Luz.


- Wagner Borges – Salvador, 24 de janeiro de 2003.


- Notas:

1. Os Iniciados: Grupo extrafísico de espíritos orientais que opera nos planos invisíveis do Ocidente passando as informações espirituais oriundas da sabedoria antiga adaptadas aos tempos modernos e direcionadas aos estudantes espirituais do presente. Segundo eles, são "iniciados" em fazer o bem sem olhar a quem.

2. Na verdade, aqui em Salvador não está chovendo agora (e nem choveu antes) – Porém, no Rio, Minas Gerais e São Paulo está chovendo bastante. Será que esses dois espíritos foram trazidos de outra cidade para cá?

A outra possibilidade é a de que esteja ocorrendo aqui mesmo em Salvador uma chuva energética. Digo isso porque muitas vezes os amparadores promovem uma chuva energética no duplo extrafísico dos ambientes densos. Isso descarrega a atmosfera das formas-pensamento densas que estão gravitando em torno desses ambientes e expõe os espíritos pesados às vibrações sadias emanadas do Alto.

Essa chuva energética não depende de estar chovendo no plano físico no mesmo momento. Pode ocorrer no umbral (plano extrafísico denso) ou no duplo extrafísico adjacente a diversas áreas do plano físico.

Na maioria das vezes, essa chuva é localizada em determinadas áreas das cidades, principalmente em áreas de prostituição, tráfico de drogas, cemitérios e outros lugares com climas pesados.

Em situações mais pesadas (isso ocorre mais no umbral), os amparadores patrocinam massas de fogo vivo que limpam crostas de energias pesadas aderidas aos ambientes e às entidades que estão por ali.

Já vi essas chuvas e esses fogos por diversas vezes, enquanto estava projetado junto com os amparadores em trabalhos de assistência extrafísica.



======================
ASSISTÊNCIA RADIANTE V
======================

(Amparo Espiritual e Aprendizado Consciencial) (1)

Fim de tarde de 4a feira. São 17h45 min.

Hoje é dia da reunião do grupo de estudos e assistência espiritual do IPPB.

Estou no meu apartamento trabalhando e escutando um belo CD de música New Age (2). Enquanto trabalho em alguns textos no note-book, sinto um forte cheiro de coisa podre, lembrando muito o cheiro de algum cadáver em putrefação. A seguir, sou tomado por uma forte sensação de tristeza, sem motivo algum. Escolado em muitos anos de experiências anímico-mediúnicas, sei que isso é devido à presença extrafísica de algum espírito desencarnado enfermo no ambiente.

Continuo o trabalho por mais um tempo, mas fico ligado energeticamente, pronto para qualquer coisa. Por intuição, sinto que os amparadores espirituais estão presentes na área, sutilmente, e que está rolando alguma assistência extrafísica no ambiente.

Então, alguém dá um toque em minha cabeça, e uma forte descarga de energia atravessa todo o meu corpo, num forte arrepio mediúnico. Fecho os olhos e sinto uma onda de compaixão chegar em meu coração. Naturalmente, lembro-me de Jesus, e deixo o coração derreter de amor só de me lembrar desse amigo incondicional dos homens.

Para entrar no clima, visualizo uma enorme bola de luz (como se fosse uma bola viva, de mercúrio líquido pulsante) projetando-se de minha testa e dilatando-se por toda a frente do meu corpo. Mantenho a esfera brilhante pulsando e fico pensando em Jesus.

Entro num estado alterado de consciência, entre a vigília e o sono, bem em frente ao computador ligado. Uma parte de mim sabe de algo que está rolando neste momento, mas não em um nível consciente. De olhos fechados, percebo movimentos em direção ao quarto onde faço os meus trabalhos de energia. Sei que alguém está sendo carregado para lá.

Totalmente concentrado, levanto-me e vou até lá.

Coloco o mesmo CD para tocar novamente. Sento no sofá do quarto, que está uma bagunça, pois o chão está cheio de papéis, slides de cursos e transparências variadas de palestras. É a sobra do trabalho de ontem à noite, que não consegui terminar de organizar nas pastas apropriadas. Ignoro a bagunça e continuo bem concentrado.

Sentado, de olhos fechados, coração aberto e boa vontade para ser útil naquilo que me seja possível, novamente embarco nas vibrações amorosas de antes. Novamente o meu coração me faz lembrar de Jesus. E o coração derrete de amor...

O meu chacra frontal se ativa espontaneamente e passo a perceber vários clarões dentro da testa, junto com diversas imagens de rostos de amparadores na tela mental. Atrás deles, a figura de dois olhos imensos imersos em uma luz cor de vinho suave.

Envolvido nesta atmosfera generosa, percebo alguém se arrastando e sentando no sofá em frente. O foco da clarividência melhora, e então eu vejo quem é. Trata-se de um espírito desencarnado sofredor, vestido com um traje marron esfarrapado e com um capuz cobrindo-lhe a cabeça. Imediatamente sinto o cheiro de cadáver novamente e aquela atmosfera de tristeza, e vejo que isso vem dele.

Ele se ajeita com dificuldades no sofá em frente e murmura palavras que não entendo. Na verdade, ele parece não se dar conta da minha presença.

Continuo concentrado e emano energias na direção dele, com os chacras da testa e do peito, e logo exteriorizo pelas mãos também. Penso em tudo de bom na intenção dele.

Então, ele me nota e fica surpreso, e tenta se encolher no sofá, como uma criança com medo. Emano pensamentos de paz e amor para ele e lhe digo que ele foi trazido aqui para ser ajudado. Lentamente ele se acalma. E eu continuo emanando energias para ele e concentrado só em coisas boas. Ao mesmo tempo, sinto as energias amorosas dos amparadores passando por mim e seguindo para ele, e junto com elas a sensação generosa da presença das vibrações de Jesus.

A essa altura, o cheiro de podre e a tristeza sumiram, sob a ação das energias benfeitoras. Ele se ajeita no sofá novamente, desta vez mais calmo e confiante, e olha para mim. Devido ao seu capuz, só vejo o brilho amarelado de seu olhar, mas não o seu rosto.

Dou um sorriso para ele e digo-lhe para ficar à vontade. Neste instante, sei que o meu rosto está cheio de luz e que a minha expressão está amorosa, como a dos amparadores. Sei que a compaixão está fluindo pelos meus olhos, como sei, também, que tudo isso é por causa da onda de amor que vem daquela presença sutil, daqueles dois olhos imensos por trás de todo este trabalho assistencial.

Imerso nessa atmosfera suave, ele afasta o capuz para trás e tira o manto inteiro. E então eu vejo o seu corpo nu e esquálido, cheio de placas putrefatas amareladas aderidas em sua pele espiritual. O seu rosto está descarnado e os seus olhos são grandes e esbugalhados. Há uma viscosidade nojenta por todo o seu corpo.

Baseado em experiências anteriores ao longo dos anos, sei que ele é um suicida que está recebendo ajuda dos amparadores. Não sei se ele estava ainda junto ao cadáver e somatizando psicossomaticamente o estado do mesmo, por repercussão energética, ou se os amparadores o trouxeram do Umbral extrafísico.

Ao ver sua situação, emano mais carinho em sua direção, com cuidado e tato, para não feri-lo com a exposição demasiada de energia. Em casos assim, não basta só saber manipular energias, é preciso também saber emanar compreensão, calor humano e solidariedade verdadeira. Por isso, converso mentalmente com ele e lhe falo de um amor que a tudo compreende, falo da imortalidade da consciência e sou sincero ao dizer-lhe que sou apenas um ser humano normal, e que ele foi trazido aqui por outras consciências amigas, essas sim as responsáveis pelo amor e paz que ele estava recebendo.

Ao mesmo tempo em que converso com ele, percebo várias energias suaves chegando e sei que há muitas consciências extrafísicas, em planos diferentes, vibrando por ele. Tocado pela beleza do momento, digo-lhe que ele é muito amado e que não foi esquecido, e que é hora de ir para casa, no seio da luz, onde alguém querido lhe espera.

Ele me olha profundamente, enquanto sinto que dentro dele está sendo travada uma luta entre o seu ego e as ondas de amor que permeiam o seu ser neste instante. Finalmente, ele se entrega e o seu coração se derrete também nas ondas de amor. Lágrimas silenciosas vertem pelo seu rosto descarnado e ele se estica no sofá.

É incrível, mas não me sinto diante de uma entidade repelente e viscosa, pois neste instante ele mais parece uma criança carente, e algo em meu coração me faz senti-lo como um irmão querido.

Ele senta novamente e mais uma vez me olha profundamente. Sorrio para ele mais uma vez... e maravilhado vejo um facho de luz bem largo descer sobre ele. Em meio ao brilho, ele lentamente vai sumindo dentro dela. Está na hora dele voltar para a casa espiritual, para ser tratado, e posteriormente encetar novas etapas de seu progresso como ser espiritual imortal e cheio de possibilidades criativas para frente.

Fico quietinho mais um pouco no quarto, curtindo a última música do CD e deleitando-me nas energias remanescentes deste trabalho.


* * *


Agora, enquanto digito estas linhas, percebo a presença de um dos amparadores, e ele me diz:

"Meu amigo, é por obra e graça do Cristo que a assistência espiritual é realizada. Felizes são os que participam de trabalhos assim, pois quando a compaixão sublime é vertida dos planos mais altos da Espiritualidade, os corações se tornam luminosos e os espíritos mais lúcidos e pacíficos. Sob a ação do Cristo, encarnados e desencarnados são abençoados na mesma luz. Esse é o amor que não se explica, que nenhuma doutrina humana pode dizer que é sua detentora, que varre as dores e limpa os seres integralmente, levando-lhes a novas consecuções em suas jornadas evolutivas.

Meu amigo, felizes são aqueles que são canais do amor do Cristo.

Nesta hora de assistência auspiciosa, agradeça muito pelas chances de participar de tais atividades benfeitoras. Fique contente por ser um trabalhador esforçado e continue a ajudar os espíritos, da Terra e do Espaço, em nome do amor e da paz.

É o Cristo que lhe abençoa. É Ele que sabe o momento certo de cada coisa. Ele é o amor que compreende e a luz que cura. Ele é a paz perene.

Fique na luz!"

* * *

Sob o impacto de tudo isso, agora tenho que correr para a reunião do grupo. Espero que a turma esteja na sintonia legal, para viajarmos juntos em mais uma oportunidade de realizarmos a maravilha do esclarecimento e da assistência espiritual.


Paz e Luz.

- Wagner Borges -
São Paulo, 29 de setembro de 2004, às 19h49min


P.S.: Esclareço aos leitores que não tenho como atender a pedidos pessoais de mensagens de pessoas desencarnadas. Os textos que disponibilizo são sempre no intuito de clarear um pouco a temática espiritual no sentido geral de esclarecimento consciencial.

Esclareço, também, de que não sou ligado a nenhuma linha espiritual em particular. Procuro fazer aquilo que é para ser feito no momento adequado a finalidade sadia de passar (ou melhor dizendo, repassar) alguma coisa boa dentro da temática espiritual, seja ela oriental ou ocidental, anímica ou mediúnica, bioenergética ou projetiva. Fazendo assim, tenho ajudado de forma universalista a pessoas das áreas mais diversas.

Não sou cristão e nem sigo nenhuma doutrina criada pelos homens da Terra, seja ela oriental ou ocidental. Às vezes, alguém que quer me rotular de acordo com algum parâmetro doutrinário, me pergunta: "Você é o quê?"

Naturalmente, respondo a verdade: "Sou um espírito!"

Contudo, diante da surpresa que esta resposta causa nos outros, acrescento: "Mas, se quiser, e lhe for mais fácil ao entendimento, coloca aí que sou espiritualista ou universalista."

Tem horas em que o meu coração derrete de amor só de ouvir o nome de Jesus. Em outros momentos, isso acontece só de pensar em Krishna ou Buda. Por isso não me preocupo com a referência histórica ou com os mitos criados em cima de seus ensinamentos, pois prefiro seguir o que a minha intuição me diz dentro de mim mesmo.

Chamar a onda de amor de força Crística, ou de força Búdica, para mim tanto faz, pois o que me importa é o amor, não os nomes que os homens criaram para rotular isso ou aquilo. Sendo bom e útil ao progresso de todos, pouco me importa o nome ou a fonte de luz. E nem interessa, também, ficar fazendo campeonato de mestres para ver quem é o avatar (3) tal da nova era. Isso é tolice e perda de tempo, pois há consciências evoluídas, anônimas e serenas, que ajudam invisivelmente a humanidade sem sequer serem percebidas. Elas trabalham em nome do AMOR QUE AMA SEM NOME!

O MESMO AMOR QUE GERA A VIDA.

No caso dessa assistência relatada aqui, o grupo de amparadores que estava patrocinando o trabalho é ligado à egrégora (4) de Jesus no plano extrafísico. Por isso a sintonia forte com ele no momento em que o lance rolava. Porém, em outros momentos, a sintonia forte vem de outras equipes espirituais, tão competentes quanto essa, mas ligadas às atmosferas espirituais do Oriente.

Nunca ligo para quem é quem no momento de trabalhar espiritualmente, simplesmente me entrego integralmente às vibrações de amor que chegam e procuro ser digno delas enquanto faço a minha parte. Se o lance é de esclarecimento consciencial ou de assistência espiritual (5), isso não importa, pois procuro fazer ambas as tarefas de forma clara e correta, de acordo com a necessidade e o momento, sem ficar preso a parâmetros conscienciais limitados ou submetido àquilo que os outros acham sobre a programação existencial que realizo. Inclusive, porque aqueles que rotulam o trabalho alheio não estão ralando nisso, pois, em sua maioria, são teóricos de plantão ou patrulheiros ideológicos de alguma linha consciencial ou espiritual espreitando a tarefa alheia e julgando-a de acordo com seus parâmetros bitolados, e por isso, não realizam a sua própria programação existencial. Olhando a dos outros, perdem o tempo que precisam para realizar a sua própria tarefa!

Deixo aqui o meu agradecimento aos amparadores espirituais, de todas as linhas espirituais, por todo o aporte de recursos físicos, psíquicos e conscienciais que eles vêm me passando ao longo dos anos de jornada espiritual e humana.

É muita gente legal ajudando, de diversos planos, e as eventuais falhas apresentadas no trabalho são por causa de minhas deficiências como elemento interdimensional. Mas estou melhorando e tocando a bola para frente... sem vergonha de assumir a tarefa espiritual de levar esclarecimento consciencial e assistência espiritual por onde for.

André Luiz, Pai Joaquim, Ramatís, Vyasa, Sanat Khum Maat, Mataji, Babaji, Tao Mao, Aivanhov e tantos outros... muito obrigado, por tudo.



- Notas:

1. Os quatro primeiros textos estão postados em minha coluna da revista on line de nosso site: "Assistência Radiante I, II, III e IV" - www.ippb.org.br

2. O CD chama-se "Sila" - Chris Theriault - Relaxation Series - Vol. 2 - Evergreen Music Records - 1993 - E.U.A. - Trata-se de um trabalho New Age muito inspirado e calmo. É excelente para meditação e práticas espirituais diversas. Obs.: Não é um CD fácil de conseguir.

3. Avatar (do sânscrito): Emissário celeste, Canal da divindade, Enviado Celeste.

4. Egrégora (do grego "Egregorien", que significar "velar", "cuidar"): É a atmosfera coletiva plasmada espiritualmente num certo ambiente, decorrente do somatório dos pensamentos, sentimentos e energias de um grupo de pessoas voltado para a produção de climas virtuosos no mundo. É a atmosfera psíquica resultante da reunião de grupos voltados para trabalhos e estudos baseados na LUZ. Pode-se dizer que toda reunião de pessoas para a prática do Bem e da Virtude (independente de linha espiritual) forma uma egrégora específica, uma verdadeira entidade coletiva luminosa, à qual se agregam várias outras consciências extrafísicas alinhadas com aquela sintonia espiritual para um trabalho interdimensional.

Provavelmente foi por isso que Jesus ensinou: "Onde houver dois ou mais em meu nome, aí eu estarei."
Muitos dizem que não se deve misturar egrégoras de trabalhos diferentes, porém, quando o Amor se manifesta, desaparece qualquer ideologia doutrinária, e só fica o que interessa: a LUZ.
O dia em que os homens despertarem para climas mais universalistas e cosmoéticos, com certeza esse mundo será melhor de viver.
Viva a LUZ, pouco importa o nome, o grupo ou a doutrina que fale dela. E viva os mentores espirituais que ajudam a todos, independentemente de credo, raça ou cultura esposada.

5. Para que os leitores compreendam melhor as condições de um espírito sofredor, reproduzo na seqüência um texto contendo um relato projetivo de assistência extrafísica. Esse texto é a quinta parte de uma série chamada "O Projetor Azul e Dourado", que está postada na minha coluna da revista on line de nosso site - www.ippb.org.br





===========================
O PROJETOR AZUL E DOURADO V
===========================

O projetor azul e dourado despertou fora do corpo nas furnas umbralinas.

O ambiente era terrível, e havia muitos espíritos em condições dolorosas após a morte, estacionados vibracionalmente ali.

Ele aplicou passes energéticos e procurou minorar o sofrimento daqueles seres infelizes.

Em dado momento, sentiu a presença sutil de seu amparador, que o monitorava de um plano mais avançado.

Telepaticamente, ele recebeu o comando mental de seguir até determinada área daquele ambiente carregado.

Era uma caverna fétida. Por intuição, ele sabia que dentro dela havia um espírito em condições muito precárias, e que sua tarefa era resgatá-lo para a assistência extrafísica.

Antes de entrar, ele ergueu os pensamentos e fez uma prece silenciosa. Lembrou-se de Jesus, o amigo dos homens e médico das almas tristes.

Com o coração aberto, ele entrou. No ambiente escuro da caverna, ele viu um ser estranho, humanóide, mas cheio de chagas e grunhindo pavorosamente. Algumas partes de seu corpo estavam cobertas por escamas escuras e também havia uma gosma estranha nelas. Instintivamente, o projetor foi tomado por uma sensação de asco.

No entanto, ele lutou com aquela sensação e ergueu as mãos para aplicar passes.

De suas paramãos, emanaram descargas potentes de energia em forma de clarões. Porém, o espírito gritava de dor enquanto recebia as energias. Para alguém tão traumatizado por longos anos nas trevas, a luz machucava.

O projetor parou a aplicação energética e ponderou a situação. Parte dele lutava com a sensação de asco e era necessário um grande esforço para manter a lucidez naquela condição densa.

Então, o amparador novamente comunicou-se telepaticamente com ele e explicou-lhe:

"Lute contra o asco. Exerça sua força de vontade. O ser à sua frente é seu irmão e precisa de seu apoio. As escamas agarradas nele não passam de formas-pensamento cristalizadas em dramas antigos e aderidas há muito tempo nas energias de seu psicossoma. Suas chagas refletem as suas auto-culpas profundas, oriundas de atos nefastos de seu passado turbulento. Há muito tempo ele vaga sofrendo as repercussões de suas antigas violências no campo da magia e da manipulação dos outros. Porém, o amor do Pai Celestial é maior do que tudo. Sob a ordem do Alto, está na hora desse irmão galgar os degraus da redenção. Ajude-o. Irradie luz por todos os poros energéticos de seu psicossoma. Torne-se um sol de amor e resgate seu irmão."

O projetor pensou: como ajudá-lo, se a luz intensa o fere? O ser olhou com medo para ele, e seus olhares se encontraram.

Então, algo incrível aconteceu: o projetor viu o olhar de Jesus dentro daquele olhar sofrido. Uma onda de amor o possuiu, e ele abraçou o irmão ferido no centro da alma. Uma coluna de luz roxa brilhante desceu sobre os dois, e eles flutuaram no ar abraçados. Choraram juntos sob a força de um amor que jamais julga ou abandona os seus filhos. Um portal se abriu acima dos dois e puxou para dentro apenas o espírito carente.

A essa altura, suas escamas tinham caído, e ele adormecera suavemente, como há muito não fazia. Sua aparência mudou, e ele voltou a ser homem na condição normal. Do outro lado do portal, os amparadores o aguardavam para o longo processo de assistência extrafísica em andamento. Emocionado, o projetor foi tracionado de volta para o corpo físico. Mais uma vez ele participara da maravilha da assistência fraterna com os amparadores. Mais uma vez uma onda de paz se instalara em seu coração junto com a sensação de ser útil.

Deitado no leito, ainda sob o impacto do que vivenciara, ele agradeceu ao Alto por tudo. Ele sabia que haviam caído as escamas de seu irmão sofrido. Mas, também sabia que qualquer assistência e esclarecimento prestado a alguém, seja na Terra ou no espaço, fazia caírem as escamas de antigos males aderidos ao seu próprio coração. Por isso, ele agradecia a chance de ajudar. Na verdade, eram as suas escamas que estavam caindo por causa do trabalho sadio. Na calada da madrugada, o projetor ergueu os pensamentos a Jesus, o amigo dos homens e médico das almas tristes. Lembrou-se de seu olhar meigo e de seus ensinamentos e dormiu sorrindo e em paz.


Paz e Luz.


(Essas linhas são dedicadas a Ramatís, mentor e amigo dos projetores responsáveis)


- Wagner Borges -
São Paulo, 29 de maio de 2002, às 19h50min

ImprimirEmail