CONSCIÊNCIA E ESPIRITUALIDADE II*

- Por Wagner Borges - Há muitas querelas inúteis entre os homens. A luz é a luz, não há como confundi-la na senda. Mas se os homens confundem suas emoções densas com o amor verdadeiro, é mais do que previsível que eles confundam os seus anseios inferiores com os verdadeiros objetivos espirituais. Conhecimento não é sabedoria, mas muitos se arrogam como doutores da consciência. Espiritualidade é um estado de consciência, não é doutrina. Inclusive, muitos a perdem por causa de doutrinas alienantes da realidade. Euforia não é o mesmo que alegria equilibrada; é arroubo emocional que faz perder a lucidez. Violência não é força, é fraqueza. E passividade não significa serenidade. Cruzar as pernas não significa pacificar a mente. Meditação não é acrobacia. Castigar o corpo não harmoniza a consciência. Imolar a carne não dissolve o egoísmo.
Dobrar os joelhos não significa dobrar a arrogância. Tem gente rezando com bombas na cintura. E outros maldizendo quem segue caminhos diferentes. Reprimir as emoções não é o mesmo que educá-las. Fugir da vida não tem nada a ver com emancipar a consciência das peias do ego. Espiritualidade não tem nada a ver com cara amarrada e julgamento da conduta alheia; tem mais a ver com o nível de lucidez e felicidade que cada um realiza com a própria ação no mundo. E, se não for para ser feliz estudando e ponderando sobre a temática espiritual, tão rica de valores de imortalidade e coisas boas - que alargam os horizontes conscienciais -, de que adianta estudar tais temas? Espiritualidade é apenas isso: ser consciente e contente, na Terra ou no Espaço. Resumindo: é ser feliz, dentro ou fora do corpo**. Paz e Luz. São Paulo, 04 de setembro de 2007. Notas: * A primeira parte desse texto está postada no site do IPPB, na seção de textos periódicos do mesmo – texto 760 –, no seguinte endereço específico: http://www.ippb.org.br/modules.php?op=modload&name=News&file=article&sid=5004. ** Enquanto digitava esses escritos, lembrei-me de um belo poema do poeta brasileiro Amado Nervo. Segue-se o mesmo logo abaixo. A ALMA É A ESSÊNCIA DE TUDO Nada está longe de ti. Às distâncias! Que valem as distâncias? Bem sabes que as distâncias existem Somente para o teu corpo. A tua alma se acha perto de todas as coisas. Melhor ainda: tua alma Está na essência de todas as coisas. Fora de teu corpo, nem a luz, Com a sua velocidade de trezentos mil Quilômetros por segundo, Igualaria ao vôo do teu pensamento. Se bem olhares, tudo virá ao teu alcance. Não há estrela a que não possa chamar tua. Move teu pensamento com liberdade absoluta. Acostuma-o aos altos vôos progressivos. Tenta o recorde de altura... Deixa que ele vá e venha através do universo. Cada dia, assim, melhor verás A aparência mentirosa de tua jaula. Com a noção de tua liberdade imácula, Aumentar-se-te-ão as ânsias De posses eternas. E há, por certo, uma posse que se te oferece A cada instante e que não tem limites: - A posse de Deus! Aceita-a. - Amado Nervo -

ImprimirEmail