CONSCIÊNCIA, EGRÉGORA E RESPONSABILIDADE ESPIRITUAL

(Texto postado originalmente na lista do Grupo de Estudos e Assistência Espiritual do IPPB)

Olá, pessoal.
Sempre insisti com vocês sobre a prática da assistência espiritual como um dos objetivos dos estudos que fazemos. Inclusive, essa é uma das maneiras de sermos úteis no contexto planetário e também aumenta as ligações sutis com os amparadores extrafísicos.
Quando reunidos em grupo, ajudamos na manutenção da egrégora (1) com o somatório dos nossos pensamentos, sentimentos e energias. Tornamo-nos co-criadores de uma intensa atmosfera luminosa, junto com os amparadores de várias linhas espirituais interessados no bem de todos.
Por isso, a participação de cada um de vocês, seja em que trabalho espiritual for, é importante na medida em que cada participante é um colaborador interdimensional.
Baseado nisso, não podemos perder tempo com picuinhas pessoais das pessoas em grupos ou em listas das quais participam.
Se fulano(a) transou com alguém, isso não é da sua conta.
Se você tem alta estima baixa, isso é problema seu, não do grupo.
Se você participa de alguma atividade espiritual só pelos seus motivos egoístas, então tome cuidado, pois os obsessores extrafísicos adoram esse tipo de postura personalista.

* * *

Alguns procedimentos são básicos num estudo espiritual:
- Ore e medite mais.
- Leia mais e pondere as coisas.
- Aumente sua alegria, vibre mais, e seja mais amigo de si mesmo e dos outros.
- Cuidado com a arrogância, nunca se julgue detentor de altos conhecimentos nem doutor em consciência.
- Da mesma forma que você toma banho diariamente, acostume-se a dar um banho de luz em sua aura diariamente, no momento que lhe for possível.
- A violência está campeando no mundo e colhendo pessoas próximas de nós, por isso é tão bom o acesso que temos ao conhecimento espiritual, pois nos capacita a compreendermos as coisas por outros ângulos - não tira a dor da perda, mas ajuda demais na superação das provas.
- Estude e trabalhe com dignidade, discernimento e amor na jornada.

* * *

Não se pede santidade de ninguém para participar de um trabalho espiritual. O que se pede é o mínimo de boa vontade de crescer e tocar a bola pra frente com dignidade.
Há muitos rolos acontecendo no mundo, físico e extrafísico, mas podemos fazer alguma diferença para algo bom quando nos reunimos e praticamos a manutenção da egrégora a favor do bem de todos. E para isso é necessário colocar em prática o que estudamos.
Portanto, DELETE as picuinhas de sua vida. E quando notá-las em seu procedimento diário, sinta-se envergonhado de ter permitido aquilo se instalar em você. Isso não tem nada a ver com a postura dos outros, mesmo que ela seja medíocre, tem a ver com você e a sua dignidade interior.
Todos nós temos defeitos e precisamos das experiências que a vida nesse planeta oferece, caso contrário não teríamos baixado por aqui mais uma vez. Porém, as picuinhas estão fora disso, são coisas inaceitáveis no atual estágio em que estamos.
Defeitos? Tenho sim, não nego, mas estou trabalhando em cima do jeito que dá!
Picuinha? Não! Chega de pagar mico consciencial.
Quando sou útil? Quando ponho os meus desejos pessoais de lado e penso no bem de todos.
Quando atrapalho? Quando coloco minhas tralhas emocionais na frente dos objetivos.
Quando fico cinzento? Quando me esqueço da divindade que mora em mim.
Quando fico luminoso? Quando lembro que sou um espírito imperecível e que a maioria das coisas que rolam por aqui são pequenas e não merecem tanta valorização quanto eu pensava antes.
Resumindo: façam com que os estudos espirituais sejam a melhor coisa desse mundo. Sejam felizes nesse contexto e irradiem algo bom com isso. Não permitam que as picuinhas e as coisas medíocres se interponham entre vocês e os objetivos conscienciais elevados. Valorizem mais a sua participação em algum contexto espiritual legal. E nunca se esqueçam da assistência espiritual...

Um abraço.

- Wagner Borges -
São Paulo, 08 de setembro de 2003.

-Notas:
1. Egrégora (do grego “Egregorien”, que significar “velar”, “cuidar”): É a atmosfera coletiva plasmada espiritualmente num certo ambiente, decorrente do somatório dos pensamentos, sentimentos e energias de um grupo de pessoas voltado para a produção de climas virtuosos no mundo.
É a atmosfera psíquica resultante da reunião de grupos voltados para trabalhos e estudos baseados na LUZ. Pode-se dizer que toda reunião de pessoas para a prática do Bem e da Virtude (independente de linha espiritual) forma uma egrégora específica, uma verdadeira entidade coletiva luminosa, a qual se agregam várias outras consciências extrafísicas alinhadas com aquela sintonia espiritual para um trabalho interdimensional.
Provavelmente foi por isso que Jesus ensinou: "Onde houver dois ou mais em meu nome, aí eu estarei."
Muitos dizem que não se deve misturar egrégoras de trabalhos diferentes, porém, quando o Amor se manifesta, desaparece qualquer ideologia doutrinária, e só fica o que interessa: a LUZ.
O dia em que os homens despertarem para climas mais universalistas e cosmoéticos, com certeza de que esse mundo será melhor de viver.

Viva a LUZ, pouco importa o nome, o grupo ou a doutrina que fale dela. E viva os mentores espirituais que ajudam a todos, independente de credo, raça ou cultura esposada.

ImprimirEmail