ENSINAMENTOS ESPIRITUAIS DE SANAT KHUM MAAT

(PROJEÇÃO DA CONSCIÊNCIA, MATURIDADE CONSCIENCIAL E DICAS PSICOFÍSICAS)

1. Dias de tempestade não são bons ou ruins, são apenas o jogo climático da natureza e seus procedimentos de limpeza atmosférica. Porém, aquelas tempestades de mau humor que assolam o coração são nefastas e antinaturais.
Essas não são da natureza, são do ego, e não limpam a atmosfera emocional onde ocorrem, pelo contrário, sobrecarregam o fígado e deixam os olhos congestionados de confusão.


2. Não é na calada da noite que os assédios espirituais ocorrem. Eles acontecem simplesmente por sintonia, na calada sombria dos sentimentos nefastos que se escondem nos corações que não são dignos.
Há pessoas carregando calabouços cheios de ódio e intriga no próprio coração.

3. Quem se utiliza suas capacidades parapsíquicas para obter domínio sobre os outros e manipulá-los, ou mesmo para praticar assédios interdimensionais, é um tolo! Pois enquanto pratica os seus desmandos, já está em ligação direta com os seres trevosos que também gostam de tais coisas negativas. E eles têm mais experiência nisso, e fatalmente acabarão por manipular o tolo que lhes der guarida por sintonia de propósitos.
Quem semear confusão e desmandos, principalmente na seara espiritual, colherá espiritualmente o fel que projetar no mundo.

4. Os amparadores trabalham sob o prisma da Cosmoética (1). Por isso, não julgam o comportamento de ninguém. Contudo, isso não significa que eles não estejam atentos ao que as pessoas fazem. Eles sabem o que se passa no mais íntimo de cada um, e procuram olhar aquilo que seja sadio, mas não costumam compactuar com a leviandade e as tolices que percebem.
Eles sempre aproveitam o que for positivo nas atitudes das pessoas, e deixam o lixo psíquico delas para o tempo e a Lei do Carma acertarem.

5. Visualize uma coluna de luz branca brilhante descendo do Alto sobre sua cabeça. Pense num oceano de serenidade espiritual desaguando sobre você.
Sintonize as "águas etéreas", fonte de cura e inspiração. Por meio da coluna luminosa, e ligados ao coração que labora com dignidade e compaixão, os devas (2) aportarão os eflúvios balsâmicos e curadores da alma. Eles são os guardiões dos templos de cura no Astral superior e nos níveis do plano mental.
Pense nisso: as águas etéreas cheias daquela serenidade que não é desse mundo, mas que são oferecidas a todos aqueles que sintonizam com os valores mais altos da consciência.
As colunas brilhantes são avenidas interdimensionais para os devas.

6. Muitas pessoas procuram os fenômenos parapsíquicos espalhafatosos, mas o amparo espiritual é sempre sutil e de acordo com os méritos de cada um.

7. O projetor consciente não é só aquele que busca a lucidez extrafísica durante os seus bordejos extrafísicos, mas aquele que busca ser útil com essa lucidez.

8. Sair do corpo é algo natural, mas também é natural que o medo do desconhecido se apresente nos momentos mais inoportunos das vivências espirituais. A razão recomenda que, mediante o estudo ponderado e amoroso da espiritualidade, o desconhecido se transforme em conhecimento, e o medo em amor. Logo, o conhecimento aliado ao amor alçará o projetor aos planos da sabedoria.

9. A dignidade não está na postura altiva do corpo, mas no brilho que emana do coração e projeta-se pelos olhos. Esse brilho é portentoso, muito embora no plano físico raros o percebam.

10. Serenidade e modéstia são as companheiras fiéis dos sábios.

11. As saídas do corpo e a mediunidade precisam ser temperadas com altas doses de maturidade, amor e boa vontade de evoluir. Essas não são áreas de estudo para pessoas presas a objetivos mundanos e posturas pulsilânimes.
Quem trafegar por essas áreas sem o embasamento espiritual compatível com os valores mais elevados, certamente padecerá de intrusões psíquicas indesejáveis. Porém, que aqueles que estudam seriamente tais temas sintam-se cada vez mais estimulados em seus estudos e trabalhos, pois nunca lhes faltará o amparo sutil justo.

12. Mentes obtusas não suportam objetivos magnos. E sentem-se afetadas por questionamentos profundos. Como defesa do ego inferior, costumam projetar fortes camadas de leviandade e ironias cáusticas para permanecerem impermeáveis aos chamados do despertar superior.

13. O justo é o justo! A cada um de acordo com os seus procedimentos.

14. Visualize uma gema azulada brilhante incrustada dentro da testa (chacra frontal). Projete os raios azulados dessa gema para baixo, como um poderoso feixe brilhante que irradia para dentro do corpo, desde a testa até os pés.
Pense no TODO! Sinta-se ligado ao Supremo Hierofante (3), o mestre de todos.

15. Os grupos de pessoas que se reúnem para práticas espirituais voltadas para o bem da humanidade, independente de suas linhas de trabalho, são muito úteis no contexto geral da humanidade, pois formam bolsões luminosos (egrégoras) (4) que são utilizados pelos amparadores ligados aquele trabalho em seus diversos processos de assistência invisível.

16. A virtude de um sábio não vem da adoração cega que os discípulos e simpatizantes fazem a ele, mas de sua capacidade de irradiar amor e serenidade para o bem de todos os seres. Um mestre não pertence ao seu grupo de discípulos nem a alguma linha espiritual específica, pois ele é igual a um sol consciencial, e a sua luz é para todos. Pena que a cegueira dos seguidores não permita a eles o discernimento e o universalismo para compartilharem o bem que receberam com aqueles que nunca tiveram a mesma oportunidade de aprendizado espiritual (5).

17. Um projetor sadio é uma jóia incrustada na pele do mundo. Mas ele tem a noção correta de que a maior parte do seu brilho vem do aporte silencioso dos amparadores que assistem o seu trabalho. Ele sabe que nunca está sozinho, e sabe que não sabe tudo. E tem consciência de que a projeção espiritual é apenas mais uma ferramenta parapsíquica para o seu crescimento, mas não a única. Por isso, ele estuda de tudo, com a mente aberta e o coração generoso.

O projetor sadio sabe que é apenas um ser humano comum, com o mesmo potencial de todos os outros seres humanos, mas também sabe que carrega uma jóia secreta dentro de seu coração. Em seu brilho está a sua riqueza maior.

18. Arrogância é doença! Mas o tempo e o Carma (6) curam tudo!

19. Os olhos têm a mesma natureza do sol: o brilho.

20. O despertar da consciência é semelhante ao nascer de uma estrela.

21. Os sábios são Supernovas de amor e serenidade. Do firmamento, no céu da consciência, além do alcance dos olhares levianos, eles irradiam aquele brilho estelar no centro dos corações. Felizes são aqueles que percebem esse brilho.

22. O projetor sadio é uma jóia consciente. Os sábios são supernovas conscienciais. Que portentoso é quando o brilho dos sábios-estrelas reflete-se na jóia-coração do projetor e irradia para o mundo a maravilha da assistência espiritual invisível.

23. Os defeitos alheios não são da alçada de um espiritualista consciente, que sabe que isso é da alçada do tempo e do Carma. Porém, ele sabe que os seus defeitos são de sua total alçada e atenção!

24. Para caminhar em segurança pelos caminhos espinhosos do mundo, que tal calçar as botas do bom senso? (7)

25. Só o Grande Hierofante sabe tudo, pois o TODO está em tudo!


Paz e Luz.

- Sanat Khum Maat (8) -
(Recebido espiritualmente por Wagner Borges – São Paulo, 10 de março de 2003.)

- Notas de Wagner Borges:
1. Cosmoética: Ética espiritual, Código de ética cósmico baseado nos valores imperecíveis da consciência.
2. Devas (do sânscrito): Seres celestiais, Anjos.
3. Hierofante: Nas iniciações esotéricas do antigo Egito, era o mestre iniciador que submetia os neófitos às provas iniciáticas que aferiam o real valor do candidato.
4. Egrégora (do grego “Egregorien”, que significar “velar”, “cuidar”): É a atmosfera coletiva plasmada espiritualmente num certo ambiente, decorrente do somatório dos pensamentos, sentimentos e energias de um grupo de pessoas voltado para a produção de climas virtuosos no mundo.
É a atmosfera psíquica resultante da reunião de grupos voltados para trabalhos e estudos baseados na LUZ. Pode-se dizer que toda reunião de pessoas para a prática do Bem e da Virtude (independente de linha espiritual) forma uma egrégora específica, uma verdadeira entidade coletiva luminosa, a qual se agregam várias outras consciências extrafísicas alinhadas com aquela sintonia espiritual para um trabalho interdimensional.
Provavelmente foi por isso que Jesus ensinou: "Onde houver dois ou mais em meu nome, aí eu estarei".
Muitos dizem que não se deve misturar egrégoras de trabalhos diferentes, porém, quando o Amor se manifesta, desaparece qualquer ideologia doutrinária, e só fica o que interessa: a LUZ.
No dia em que os homens despertarem para climas mais universalistas e cosmoéticos, com certeza, este mundo será melhor de viver.
Viva a LUZ, pouco importa o nome, o grupo ou a doutrina que fale dela. E viva os mentores espirituais que ajudam a todos, independente de credo, raça ou cultura esposada.
5. O adorador cego padece de um sério problema consciencial: é que enquanto ele pratica sua adoração exagerada, a sua devoção faz brotar estranhas emoções em seus centros vitais, e aí a sua lucidez e capacidade de discernimento sofrem uma queda de qualidade. O resultado disso é que com o nível de lucidez entupido de emoções densas ele já não tem mais capacidade de compreender os ensinamentos passados pelo seu mestre com tanto carinho.
Em lugar de aprender e evoluir, como seu mestre fez com tanto sacrifício, o discípulo cego só desenvolveu a capacidade de se atolar emocionalmente. Isso não é devoção sadia, é enrosco psíquico mesmo!
Com o coração sujo, de que adianta alguém fazer preces ou cantar mantras? Mais vale aquele que fez da sua boa atitude diária a sua prece, e de suas palavras generosas os seus mantras.
Só é mestre quem domina a si mesmo.
6. Carma (do sânscrito): É a lei de causa e efeito universal.
7. Para enriquecer estes escritos, deixo aqui dois toques dos espíritos da Cia do Amor:
“Quem gosta de trapacear os outros, cuidado! O Carma não gosta de jogar pôquer, e ele nunca blefa!”
“Pratique o Karatê do bom senso. Dê um golpe nos seus medos e defeitos.”
8. Para saber mais sobre o amparador extrafísico Sanat Khum Maat, ver os seus textos (que devido a profundidade de seus apontamentos, é um dos amparadores mais queridos dos leitores, que frequentemente enviam e-mails pedindo mais textos de sua autoria espiritual), postados na seção de textos periódicos do site (www.ippb.org.br): 111, 138, 139, 203, 231, 337, 353, 357, 369, 371, 373, 411, 418, 463, 470, 478, 482, 490 e 530.
Para dar mais detalhes sobre o seu trabalho, reproduzo na seqüência o texto 138 (postado pelo site em 1999), onde revelo alguns detalhes sobre sua presença espiritual.
continua

ImprimirEmail