FALANDO DE ALQUIMIA INTERIOR

Olá.

O material que segue postado logo abaixo é uma pequena seleção de textos sobre o tema da alquimia interior que ocorre no processo de crescimento consciencial de cada pessoa envolvida seriamente em estudos espirituais. Originalmente foi preparado para uma aula sobre o tema, e hoje está sendo postado para todos os cadastrados em nosso site (atualmente cerca de sete mil pessoas recebem os textos que enviamos, além dos mesmos serem reproduzidos em diversos outros sites e listas de discussão da Internet).

Peço desculpas pela extensão dos textos, mas não havia como enviá-los em separado, pois isso diluiria a sinergia e o propósito com o qual eles foram selecionados (alguns dos textos já foram postados no site, e outros não).

Espero que esses escritos sejam úteis nas reflexões conscienciais de cada um, assim como são úteis para minha própria reflexão e aprendizado.

Em especial, espero que esses escritos infundam ânimo e energia nas pessoas que estão tristes pela perda de entes queridos, e também naqueles que se deixaram levar pelas ilusões sensoriais e desistiram de suas jornadas criativas e abandonaram os seus sonhos, permitindo que os vírus da dúvida e das incompreensões humanas lhes tolhessem a vontade de crescer e de realizar algo de bom no mundo.

Também peço ao Grande Arquiteto Do Universo que nos inspire, para que mesmo cercados pela incompreensão e pelas coisas estranhas que rolam no mundo, todos nós possamos seguir em frente em nossas jornadas existenciais (humanas e espirituais) com dignidade, paciência, compreensão, discernimento, alegria e amor.

Do fundo do coração, que alguma coisa boa possa rolar na alquimia dos nossos pensamentos, sentimentos e energias, lembrando-nos de nossa imortalidade espiritual e de nossa condição de herdeiros da Luz Divina.

Sejamos felizes, mesmo que ninguém entenda o por que.

Que mesmo em meio às dificuldades do cotidiano, possamos viver com brilho nos olhos.

DISCERNIMENTO. EQUILÍBRIO. FLEXIBILIDADE. BOM HUMOR.

PAZ E LUZ.

- Wagner Borges - neófito da vida, que sempre agradece ao TODO, por tudo!
São Paulo, 24 de outubro de 2003, às 03h23min

TRABALHO ALQUÍMICO

O verdadeiro trabalho alquímico é saber transformar a mediocridade em riqueza.
É saber conviver com as situações, pessoas e coisas.
É ser simples e manter o bom humor.
É saber surfar nas ondas cármicas e deslizar com alegria nos ritmos da natureza.
É saber servir sem se onerar e sorrir sem se descuidar.
É saber movimentar as vibrações dos pensamentos, dos sentimentos e do CHI* dentro do corpo e da aura.
É saber desmontar os esquemas negativos do próprio ego.
É saber purificar as emoções e ampliar os sentimentos lúcidos.
É saber ver o melhor em tudo e em todos.
É saber sorrir com os olhos, a mente e o umbigo sintonizados.
É perceber as ondas de CHI no ar, na música, no abraço e nas idéias que se intercomunicam no espaço consciencial da alma.
É simplesmente amar e sorrir nos caminhos que a vida apresenta.
Dominar o CHI em si mesmo é fundamental para as pretensões do espiritualista que quer alcançar o equilíbrio vital.

-Tao-Chi e Os Iniciados ** -
(Recebido espiritualmente por Wagner Borges – Extraído do livro "Viagem Espiritual III" - Editora Universalista - 1998.)

- Notas:
* CHI (do chinês): "Força vital", "Energia".
** Esses escritos foram passados em colaboração interdimensional por dois amparadores extrafísicos, um da equipe dos Iniciados, e outro da equipe do Tao-Chi. Para maiores detalhes sobre esses dois grupos extrafísicos que me passam escritos espiritualistas há muitos anos, deixo na seqüência uma pequena explicação sobre eles (lembrando ao leitor de que há muitos textos deles postados na seção de textos periódicos enviados pelo site):
- Os Iniciados: Grupo extrafísico de espíritos orientais que opera nos planos invisíveis do Ocidente passando as informações espirituais oriundas da sabedoria antiga adaptadas aos tempos modernos e direcionadas aos estudantes espirituais do presente. O grupo é composto por amparadores hindus, chineses, egípcios, tibetanos, japoneses e alguns gregos. Eles têm o compromisso de ventilar os antigos valores espirituais do oriente nos modernos caminhos do Ocidente, fazendo disso uma síntese universalista. Estão ligados aos espíritos da Fraternidade da Cruz e do Triângulo. Segundo eles, são "iniciados" em fazer o bem sem olhar a quem.
- Tao-Chi: Equipe extrafísica de amparadores ligados à egrégora (atmosfera espiritual) do Taoísmo. Originalmente eram duas equipes: a equipe Tao e a equipe Chi. Posteriormente, as duas equipes se fundiram numa só: Tao-Chi. Esse grupo me passa ensinamentos oriundos do Taoísmo adaptados à realidade ocidental e aos estudos espirituais modernos, notadamente sobre as projeções da consciência e os estudos de Bioenergia. São exímios manipuladores de energia e ajudam a muitos projetores.

Obs. Tao (do chinês): "O Caminho"; "a essência de tudo"; "O Todo". Na verdade, o TAO não pode ser descrito ou explicado por palavras humanas. Por isso, deixo a cargo do sábio Lao-Tzé uma explicação mais apropriada:

"Há algo natural e perfeito, existente antes de Céu e Terra.
Imóvel e insondável, permanece só e sem modificação.
Está em toda parte e nunca se esgota.
Pode-se considerá-lo a Mãe de tudo.
Não conhecendo seu nome, chamo-o TAO.
Obrigado a dar-lhe um nome, o chamaria Transcendente."

- Lao Tzé - in "Tao Te King" -



LUZ NO CAMINHO

O sábio Vyasa (1) chamou os discípulos para um trabalho de energia a favor do mundo e lhes disse:
"Que nossas mentes estejam sintonizadas com os rishis (2), rumo aos objetivos superiores;
Que no papel de seres humanos temporários na crosta planetária, nós sejamos OM TAT SAT na alma do mundo;
Que nem as críticas ácidas e nem os elogios fantasiosos possam tirar nossa paz de espírito;
Que nossas ações sejam úteis no contexto evolutivo da humanidade.
Há luz no caminho e a trilha é gloriosa.
Possamos entrar juntos na suave alquimia do saber".

- Os Iniciados -
(Recebido espiritualmente por Wagner Borges – Extraído do livro "Viagem Espiritual III" – Editora Universalista – 1998.)

- Nota:
1. Vyasa: Sábio mentor extrafísico ligado às vibrações espirituais de Krishna.
2. Rishis (do sânscrito): Sábios espirituais realizados na consciência cósmica..



ENSINAMENTOS HERMÉTICOS

O homem é um ser estelar!
2. O seu coração é um sol.
3. A humildade faz o ser brilhar mais.
4. Espiritualidade é alquimia interna:
5. O homem de ferro (velho) é transformado no cadinho da experiência e, então, surge o ser dourado (renovado), herdeiro da Luz.
6. Para o sábio, o passado não incomoda e o futuro não atormenta. Ele flui naturalmente pelo presente, sempre agindo em nome da Luz.
7. Estrelas brilham, os homens também! São irmãos, filhos do Todo.
8. Os homens vieram de uma estrela, estão em uma estrela e irão para outra estrela.
"Que os homens voem de um astro a outro com leveza e sabedoria, de acordo com a vontade do Todo."

- Wagner Borges -

São Paulo, 22 de agosto de 1998.

UM MERGULHO CONSCIENCIAL

Olá, meus amigos!
Não esperem a morte chegar para desenfaixá-los da carne. Comecem imediatamente um processo interno de profunda renovação consciencial.
Morrer não significa crescer! Viver é crescer.
A morte apenas faz o espírito mudar de endereço vibracional. A pessoa é a mesma, com suas virtudes e defeitos, seja dentro ou fora do corpo, em qualquer dimensão.
Não tenham medo de mergulhar em si mesmos e escalpelar o próprio ego. Rasguem a pele do medo nas trilhas do discernimento!
Contudo, não se enganem. Há dor nesse processo. Não é fácil, mas é factível a quem quer crescer municiado de plena luz interior.
O mergulho em si mesmo é uma espécie de morte: a morte do ser velho e seu renascimento constante.
Se vocês padecem do medo da dor de crescer e olhar objetivamente a si mesmos, então, pensem nas dores que já lhes acompanham tão freqüentemente: violência íntima, agonia, medo, vazio existencial, falta de motivação, falta de espiritualidade e uma terrível treva espiritual, envolvendo suas melhores aspirações.
Façam uma medição na balança de seus corações e observem o que dói mais: crescer ou ser súdito da agonia do vazio consciencial? O que dói mais? Ser medíocre e desconhecido de si mesmo ou lutar para evoluir e seguir?
O que dá mais trabalho? Manter vícios que custam tanto ou lutar para vencê-los?
Quais são seus objetivos vitais? Agonia íntima ou crescimento consciencial?
Vocês esperarão a morte sendo súditos da inércia? Ou aumentarão a motivação de viver e aprender?
Quando esse ser velho e medroso será cremado no fogo do discernimento?
Quando será o funeral de suas dores íntimas?
Quando a fagulha divina que já mora em seus corações há de brilhar mais?
Renasçam a cada instante!
Presenteiem suas vidas com uma nova luz nos pensamentos e sentimentos.
Promovam aquela alquimia íntima (ser antigo, fora! Ser renovado, agora!).
Quem poderá crescer por vocês?
Quem irá pôr fim à dor de vocês?
Que salvador poderá evoluir por vocês?
Quem poderá digerir essas toneladas de mágoas?
Quem promoverá o apocalipse do ego dentro do calendário da própria alma?
Quem liquidará o asteróide do medo no planeta de seus corações?
Mergulhando em si mesmos, sem medo, sem trevas, vocês encontrarão dores, sim, mas qual renascimento é isento de dor?
Pior já é a dor de sentir-se um estranho no próprio mundo íntimo.
Usem a água da espiritualidade e o remédio da sabedoria para lavar os sofrimentos e curar as feridas internas.
Usem o antiácido da alegria e curem as úlceras emocionais.
Agradeçam as dores do parto de um ser divino dentro de vocês. É a dor de um mestre nascendo!
Há um menino Jesus, um menino Krishna e a paz do Buda nascendo no menino coração de cada um de vocês.
Confraternizem mais, sorriam sem medo!
Ninguém morre vítima da morte, que apenas devolve a consciência à sua casa celestial. Mas é possível morrer em vida, de agonia e falta de lucidez. É possível ser um cadáver vivo: basta sentir-se vazio, sem alma, murcho de alegrias e renovações.
Meus amigos, cremem o ego e renasçam das cinzas.
Façam uma fogueira de seus medos. Depois, joguem as cinzas ao vento da vida e gritem bem alto: "Meus medos já eram! Só tem luz em meu coração! Sou divino e há um sol interno despertando na aurora de minha vida!"
Não esperem a morte para morrer só de corpo. Aliem-se à vida para que morram seus dramas e seus egos.
Que esses escritos possam matar suas dores de vazio espiritual, e que possam enchê-los de vida, de luz e de um grande amor.
Que Deus abençoe seus renascimentos!

(Esse texto é dedicado aos sábios espirituais Shankara e Paramahansa Yogananda)

- Wagner Borges –
Transcrevendo o recado de um dos amparadores extrafísicos, no quadro de aula, diante de 250 pessoas, em palestra no Instituto de Pesquisas Projeciológicas e Bioenergéticas.

São Paulo, 13 de agosto de 1999.


CLARINADAS CONSCIENCIAIS

(Texto postado originalmente na lista Paz e Luz)

Bom dia, amigos.
Está amanhecendo aqui em São Paulo e tudo prenuncia uma manhã nublada. No entanto, sei que o Rei Sol está brilhando por trás das densas nuvens. E sei que essas mesmas nuvens são temporárias. Elas passarão e a claridade derramará suas bençãos no novo dia. Se não for hoje, será amanhã ou depois.
Da mesma forma, muitas vezes somos nublados por certas nuvens de incerteza e o nosso coração fica cinzento e frio. No entanto, dentro da alma, atrás dos dramas e dissabores, está brilhando o Rei Amor.
Como as nuvens, essas sensações cinzentas passarão.
Há um novo dia raiando no cerne da alma que almeja e trabalha por climas melhores.
Os raios do Rei Amor, Sol da alma que respira o divino, derramarão suas bençãos nas luzes desse novo dia. Se não for hoje, será amanhã ou depois.
As nuvens cinzentas dos problemas são temporárias, mas os raios de amor são permanentes, pois estão no centro da alma, eterna por natureza.
O que quer que esteja mantendo as nuvens frias no céu do coração é passageiro.
Saibam disso e mantenham a confiança e o discernimento naquilo que buscam e naquilo que fazem.
O espírito André Luiz, sempre brilhante e objetivo, fala de um S.O.S (1) espiritual que ajuda a manter a serenidade e a paz íntima:

- Silêncio diante do caos;
- Oração à frente do desafio;
- Serviço perante o mal.

O trânsito da vida possui também sinalização peculiar:

- Silêncio: previne contra o perigo;
- Oração: prepara a passagem livre;
- Serviço: garante a marcha correta.

O S.O.S que o André Luiz fala aqui é a síntese de todas as respostas, pois irmana Silêncio, Oração e Serviço.

Aqui estamos em uma lista, onde somos parceiros de idéias, sentimentos e energias. Os escritos que cada um coloca aqui carregam em sua sintonia aquilo que vive no íntimo de quem os escreve. As palavras podem levar ao leitor aquele clima nublado ou aquele brilho alquímico que transforma o vil metal das desgraças em puro ouro no coração.
Somos parceiros de lista e de vibrações invisíveis que nos unem naquilo que lemos.
Podemos ser tempestuosos ou radiantes.
Cada um dá e escreve aquilo que tem em si mesmo.
Isso me lembra de uma passagem de Jesus que está no evangelho de Tomé:

"Um dia passavam Jesus e seus discípulos por um homem, que lhes proferiu injúrias em altas vozes; mas Jesus lhe retrucou só com amabilidades. Então, seus discípulos lhe perguntaram por que respondia com boas palavras a quem lhe proferia más palavras? Ele lhes respondeu: Cada um dá do que tem em sua despensa!"

Voltando ao assunto com o qual iniciei esses escritos matutinos, sei lá qual foi o motivo que levou-me a escrever isso aqui para vocês. Só sei que surgiu a vontade de postar aqui alguma coisa. Daí, abri a cortina e vi que o dia lá fora está nublado. Peguei um gancho nisso e comecei a escrever.
Não sei o motivo, mas espero que esses escritos os ajudem a lembrar que as nuvens passam, mesmo as mais escuras e tempestuosas, e que um novo dia pode estar raiando agora no horizonte de suas consciências.
Se não for hoje, será amanhã ou depois, com certeza!
Os dias terríveis não são aqueles de tempestade, onde a natureza só está limpando e descarregando a atmosfera. Os dias terríveis são aqueles em que não lembramos o nosso brilho interior e nos tornamos presas fáceis de nossa incapacidade de sermos felizes aqui e agora.
Bom, chega de escrever. Nesse finalzinho, fiquem com esse maravilhoso trecho extraído do livro "Espaço, Tempo e Além" (2):

"Não espere pelo guru, não espere pelo messias,
não espere pela segunda vinda.
O Eu real está aqui e agora - no íntimo.
ACORDE E SINTA O AROMA DO CAFÉ."

Paz e luz para vocês.

- Wagner Borges -
São Paulo, 09 de novembro de 2000, às 07h11min


Notas:
1. O S.O.S do André Luiz está no livro "Sol Nas Almas", psicografado pelo Waldo Vieira em 1964.
2. O livro "Espaço, Tempo e Além" é de autoria de dois físicos americanos: Bob Toben e Fred Allan Wolf (Editora Cultrix).




A ALQUIMIA DO AMOR

O ser humano é presa fácil do emaranhado de suas emoções mal-resolvidas e por isso facilmente perde de vista o amor. Sua teimosia se disfarça de amor próprio e leva-o para o labirinto afetivo. Em decorrência disso, ir de encontro às paredes emocionais sem saída é líquido e certo.

Logo, é correto dizer que as pessoas costumam desvalorizar o amor real e, em contrapartida, passam a valorizar as emoções viscosas em seu lugar. Porém, tudo tem um preço: o amor cura e limpa os resquícios emocionais, pois ele é pura transformação. Talvez esse seja o motivo das pessoas desgastarem o amor em seus corações: inconscientemente elas têm medo da alquimia interior causada pelo sentimento profundo. Por isso, é mais fácil deixar-se levar emocionalmente e daí estacionar em velhos dramas de auto-afirmação distorcida. E esse é o caminho mais fácil, pois já foi trilhado tantas vezes no passado, é mais familiar e confortável, apesar de sempre apresentar posteriormente os inevitáveis efeitos colaterais de não se sentir completo afetivamente.

Se o amor tem a capacidade de transformar, as emoções fazem exatamente o contrário: prendem os pensamentos nos poços de auto-culpa e jogam a auto-estima para o fundo.

E é aí que mora o perigo invisível: muitos espíritos desencarnados também estão mal-resolvidos emocionalmente após a perda do corpo físico e sentem-se atraídos inconscientemente para o perímetro energético das pessoas encarnadas que estejam na mesma sintonia. Eles costumam aderir espiritualmente na aura do pulmão, área que reflete a tristeza no corpo e que apresenta uma atmosfera acinzentada em decorrência das energias não fluírem corretamente por causa do bloqueio emocional correspondente.

Muitas vezes, principalmente quando a causa da distorção emocional está radicada em situações encrencadas de vidas passadas, forma-se uma massa escura na boca posterior do chacra cardíaco e isso acarreta um bloqueio na capacidade de sentir limpamente os sentimentos e usufruir da troca afetiva sadia. Pode-se dizer que a pessoa troca as energias rosadas do amor pela massa pesada e escura que carrega sem perceber. Alguns amparadores extrafísicos chamam isso de "fumaça consciencial".

Acho a expressão bastante apropriada, pois a pessoa não consegue ver claramente para onde suas emoções estão levando-a e a quantidade de "fuligem psíquica" aderida em suas costas.

Esse é preço que as emoções densas cobram a quem lhes dá passagem: sempre há uma fumaça impedindo a visão correta do amor verdadeiro. As pessoas não percebem, mas estão pagando um pedágio emocional caro demais para rodarem nas pistas turbulentas e cheias de buracos de suas emoções distorcidas.

Naqueles casos em que seja possível, os amparadores sempre tentam ajudar a desbloquear essas emoções escuras, seja por intermédio de intervenções espirituais efetuadas no corpo espiritual durante o sono da pessoa, quando ela está projetada temporariamente para fora do seu corpo físico de forma inconsciente geralmente, seja utilizando-se das energias de alguém próximo para isso ou intuindo-a de que o desconforto que sente é fruto de algo que não anda bem em seu íntimo.

Porém, os amparadores não fazem milagres e o seu auxílio sempre tem um limite: o livre arbítrio da pessoa. Para que eles possam auxiliar efetivamente, é preciso que a pessoa em questão esteja pré-disposta para mudar alguma coisa em suas posturas emocionais. De que adianta tentar ajudar a alguém que não quer crescer?

Espantar as moscas (as energias escuras e os espíritos atrelados nelas) e não fechar a ferida (as coisas mal-resolvidas) não adianta nada. No dia seguinte, novas moscas surgirão atraídas pela ferida ainda aberta e o processo deletério continuará.

De que adianta combater o efeito sem anular as causas que lhe são correspondentes?

Os espíritos pesados são atraídos pelas energias escuras na aura da pessoa. Por sua vez, essas são apenas efeitos das emoções doentes, a causa real do problema.

Portanto, a cura chama-se transformação! E é o amor que transforma e faz transcender os limites primários de manifestação.

Esse é o motivo que leva às pessoas a temerem o amor profundo: É QUE ELE TRANSMUTA O ÓDIO EM PERDÃO E FAZ O CORAÇÃO ESPIRITUAL TORNAR-SE UM SOL.

E poucas pessoas são capazes de agüentar um sol de amor brilhando em seus corações. Poucas são capazes de serem felizes aqui e agora, sem os dramas do passado atormentando o presente.

E por que o instante atual é chamado de presente?

É porque ele é isso mesmo: um presente. É a oportunidade de curar-se do passado e seguir em frente corajosamente para realizar os sonhos sadios na vida que chama.

A vida e o momento são sempre presentes! Mas é preciso ter coragem para receber o presente limpamente.

Da mesma forma, há pessoas que também são presentes da vida: aqueles que amamos e que nos amam, da Terra, de outros orbes e dos planos extrafísicos. Mas é preciso saber reconhecer o presente e ter a coragem de recebê-lo completamente, sem nenhuma fumaça psíquica agarrada nos abraços e beijos.

É preciso limpar a área e deixar o coração espiritual cheio de energias rosadas para receber o presente.

Amar é uma dádiva! Amar é ser um sol! Amar é estar presente!

Sim, o amor é o grande mestre alquimista: só ele é capaz de transformar as sombras do passado em flores douradas e os olhos outrora opacos em duas estrelinhas brilhando muito nos caminhos da vida que chama, aqui e agora... forever!

PS: Não sei o motivo real de ter escrito tudo isso. Só sei que me sentei e comecei a digitar enquanto rolava no som o belo cd de baladas celtas "Celtic Magic".* Talvez esses escritos possam ser úteis para reflexão de alguém (inclusive, eu mesmo).

Enquanto eu escrevia, lembrei-me tanto de Jesus e de seus ensinamentos sobre o amor, o perdão, a espiritualidade e de que "na casa do Pai há muitas moradas" e "de que adianta ganhar o mundo e perder a sua alma?"

Ele sempre esteve certo no que ensinava. Mas sempre houve muita fumaça consciencial (nosso egoísmo, nossa ingratidão, nossa religião, nossa teimosia e nossas energias cinzentas) impedindo a visão correta dos homens em cima de seus ensinamentos.

Jesus sempre foi um grande alquimista espiritual. E o amor sempre foi a sua pedra filosofal. E a sua tarefa sempre foi clara: TRANSFORMAR O HOMEM DE FERRO ENFERRUJADO DE EGOÍSMO NO HOMEM DOURADO CÓSMICO E RADIANTE.

Ele ensinou "o amai-vos uns aos outros" não por motivos religiosos, mas porque o amor transmuta e cura as dores do coração. Porque o amor é uma dádiva!

Por isso, eu que não sou cristão e nem sigo nenhuma religião feita pelos homens da Terra, dedico essas linhas a Jesus, mestre do amor e grande alquimista da alma.

Paz e Luz.

- Wagner Borges - carioca, 40 anos, ser humano com qualidades e defeitos, mas sem fumaça cinzenta aderida nas costas, pai da Heleninha e da Maria Luz e fã incondicional dos grandes alquimistas da alma que ajudam a humanidade invisivelmente)
São Paulo, 12 de março de 2002.

* Esse cd é uma coletânea de baladas celtas belíssimas. As músicas "Where Are You" e "Ready For The Storm" são maravilhosas e derretem de amor o chacra cardíaco. Esse cd foi lançado no Brasil pela Paradoxx há uns três anos atrás e pode ser encontrado nas boas lojas de disco que tenham uma sessão de música New Age ou World Music.
** Finalizando esses escritos lembrei-me de uma bela canção cantada pelo menino americano Billy Gillman (cd. "Dare To Dream"). Segue abaixo a letra traduzida para o português e na seqüência a letra em inglês. Agradecimentos a Sheila Smith pela tradução e a Carlos Alberto Moro por ter conseguido a letra original.




"MEU TEMPO NA TERRA"

Meu tempo na Terra
Longo como possa parecer
É apenas um momento
Dentro do grande esquema das coisas

Um breve refrão
Da canção infinita da vida
Cantada somente uma vez
E logo nós partimos

Meu tempo na Terra
Cada alento que eu respiro
É uma chance a mais para compartilhar meu amor
Com aqueles ao meu redor

Nós chegamos e partimos
Como estrelas cadentes
A verdade seja dita,
É somente isso que somos

Quanto mais eu souber
Mais posso ver
Quanto mais velho eu ficar
Mais eu acredito

Não é a longevidade da vida
Nem a profundidade da cova
Ao final seremos avaliados
Pelo amor que doamos

Portanto meu tempo na Terra
Depende do destino
Mas tudo o que acontece
No espaço de ponta a ponta

Depende de mim
E as escolhas que encaro
Para melhor ou para pior
São minhas para serem feitas

Quanto mais eu sei
Mais posso ver
Quanto mais velho eu ficar
Mais eu acredito

Não é a longevidade da vida
Ou a profundidade da cova
No final seremos avaliados
Pelo amor que doamos

Portanto o meu tempo na Terra
Será bem aproveitado
E quando eu deixar este mundo
Não deixarei arrependimentos
Viverei e amarei

Por tudo que vale a pena
Até terminar de viver
Meu tempo na Terra
Até terminar de viver o meu tempo na Terra


"My Time On Earth"
(Written by: T. Conners, D. Vincet Williams, A. Hughes)

My time on Earth
Long as it seems
Is just a moment
In the grande scheme of things

A short refrain
Of life´s endless song
Sung only once
And then we´re gone

My time on Earth
Each breath I breathe
Is one more chance to share my love
With those around me

We come and go
Like shooting stars
The truth be known,
That´s all we are

The more that I know
The more I can see
The older I grow
The more I believe

It´s not the length of the life
Or the depth of the grave
In the end we´ll be measured
By the love that we gave

So my time on Earth
On fate depends
But all that happens
In the space from end to end

Depends on me
And choices I face
For better or worse
They´re mine to make

The more that I know
The more I can see
The older I grow
The more I believe

It´s not the length of the life
Or the depth of the grave
In the end we´ll be measured
By the love that we gave

So my time on Earth
Will be well spent
And when I leave this world
I´ll leave with no regrets

I´ll live and love
For all its worth
´Till I live out
My time on Earth
´Till I live out my time on Earth

ImprimirEmail