KRISHNA, O GHANSHAYAM

Salve, Ó Radiante!

As galáxias rodopiam no brilho dos teus olhos. Miríades de seres vivem de tua luz, mas não te percebem. Mas aqui, no centro do olho espiritual, percebo tua doce presença alegremente.

O teu perfume espiritual inunda minhas energias. Sob o teu comando, um terno fluxo de luz ascende da base de minha coluna até o chacra coronário. Minha coluna vertebral se transforma num suave rio de luz que flui placidamente num jorro de energia-lucidez bem no centro de minha consciência.
Então, percebo tua voz sutil dizendo:

"Meu querido amigo, tu fazes parte de mim. Tua luz nasce no Meu amor.

Reflita: apenas uma ínfima parte do meu poder sustenta inumeráveis mundos e seres. Esse mesmo poder transcendental é o sustentador e renovador de tuas energias na crosta do mundo. Tua vida, teu trabalho e teus rumos são meus!
Em qualquer tempo, estamos ligados por profunda ternura.

Em nenhum momento teu caminhar é solitário. Se preencho universos inteiros, como poderia estar fora do teu coração? Se abraço até mesmo os corações endurecidos nas trevas de seus egos, como poderia esquecer dos meus trabalhadores da luz?

Continue disparando suas setas de luz na crosta do mundo. Aja em meu nome, pois tua luz é minha luz! E meu amor é seu sustentáculo em todos os mundos.”

Então, mergulhado na luz de Krishna, vejo uma estrela pairando sobre minha cabeça. Dela emanam suaves vibrações de proteção e muitas inspirações, que posteriormente se transformarão em novos textos, canções e poemas sobre temas espirituais. Mas o principal é uma alegria serena que viaja aqui no peito, filha do contentamento de ser útil e de servir espiritualmente no mundo sob os auspícios de Krishna e de um monte de amparadores legais, que sempre ajudam a todos de forma incondicional.

Penso na humanidade e me sinto agradecido demais pelas oportunidades de crescimento espiritual e humano. E vou seguindo pelo mundo dos homens, em meio a muitas deficiências, aos trancos e barrancos, tentando cumprir o dharma* que Krishna me incumbiu: projetar as luzes espirituais na crosta do mundo, e ser feliz!

OM GHANSHAYAM!**


- Wagner Borges -
São Paulo, 28 de abril de 2004.

* Dharma (do sânscrito): Dever, Missão, Trabalho, Mérito, Programação existencial.

** GHANSHAYAM (do sânscrito): "O Sempre Jovem"; É um dos epítetos de Krishna. É também um maravilhoso mantra a ser vibrado espiritualmente nos chacras. Inclusive, como adendo a essa prática de repetição do mantra mentalmente dentro do espaço interdimensional dos chacras (chamada na Índia de Japa-mantra), reproduzo na seqüência um ensinamento pertinente a isso.

-----------
JAPA-MANTRA
-----------

A repetição do mantra e a meditação em seu sentido é o caminho.

Por que deve haver repetição?

Segundo a Teoria de Samskâras (impressões no estofo mental que produz hábitos): as impressões residem na mente, e estes se tornam cada vez mais latentes e logo que têm o estímulo conveniente se manifestam. A vibração molecular nunca cessa. Esta repetição é o maior estímulo que pode ser dado aos Samskâras espirituais.

A primeira manifestação desta repetição do mantra, pensando em seu significado, é que o poder introspectivo será manifestado cada vez mais e todos os obstáculos mentais começarão a desaparecer.

Certas experiências psíquicas particulares se apresentam. Esses vislumbres fortificam a mente e fazem o estudante perseverar. Desaparecem quando são esperados.

Certos dias, ao praticardes, a mente ficará calma, concentrar-se-á facilmente e notareis progressos. Repentinamente o progresso cessará um dia e vos encontrareis, por assim dizer, encalhado. Perseverai. Todo progresso se realiza por meio desta elevação e queda.



- Swami Vivekananda* -
(Texto extraído do Jornal "O Poder" – n. 1246 - Agosto/Setembro de 1998.)

- Nota:
Swami Vivekananda, (1862-1902), Discípulo-iogue de Paramahamsa Ramakrishna.

ImprimirEmail