NAVEGANDO COM A LUZ E O DISCERNIMENTO

(Texto Postado na Lista do Grupo de Estudos e Assistência Espiritual do IPPB) - Por Wagner Borges - Olá, pessoal. Separei, ainda agora, um texto antigo com a atmosfera legal do Mikael Aivanhov para remeter para um grupo de Portugal (são estudantes do trabalho dele e se correspondem comigo há anos). Ao lê-lo, notei que o mesmo apresenta tantos toques legais, que resolvi enviá-lo para vocês também. Talvez a leitura desses escritos possa suscitar novas reflexões. Vivemos em meio a um mar de ilusões e, para fazermos a longa travessia de mais uma vida por aqui e chegarmos ao porto do equilíbrio da consciência plena, precisamos de uma embarcação forte e blindada com o discernimento. Além disso, sem amor e alegria, nossa travessia se torna bem complicada. Nossos rumos são determinados por nossas escolhas. E essas, são filhas de nossos pensamentos, sentimentos e energias. A nau viva em que navegamos possui a cor do que somos.
Somos capitães de nossas vidas! Para onde vamos, depende do que somos e pensamos. A qualidade do que sentimos, depende do amor que cultivamos e do calor que imprimimos em nossos corações. A qualidade de nossas energias reflete bem o que está dentro de nós. Por onde formos, sempre estaremos em companhia de nós mesmos, pois somos eternos. Como ensinava o mestre Aivanhov, somos o futuro de nós mesmos. Então, para estarmos em boa companhia em tempos futuros, basta melhorarmos no momento presente. Somos o nosso sonho mais lindo. Vamos realizá-lo! Somos mais do que imaginamos e sequer temos noção do potencial sideral que carregamos em nossos corações. Não estamos aqui por acaso! Mesmo navegando num mar revolto e cheio de perigos, podemos acender nossas luzes e perfurar as brumas de Maya (ilusão). Podemos fazer uma travessia mais linda e consciente. Podemos vencer as marés cármicas, navegando pela vida com sabedoria e contentamento. E ainda podemos navegar juntos, como uma frota de luz, amparando uns aos outros, como faziam os iniciados espirituais de outrora, conscientes de que é possível navegar sozinhos, mas, também, sabedores de que as jornadas são melhores quando há outras naus no mesmo rumo. Que esses rumos sejam os da consciência cósmica, onde o Grande Arquiteto Do Universo é o Capitão de todos. P.S.: Que, mesmo à distância, estejamos juntos, pelos mesmos ideais de Liberdade, Igualdade e Fraternidade. Que, mesmo que ninguém entenda os motivos, sejamos felizes, só por estarmos vivos, aqui e agora. Que jamais sejamos traidores de nossos sonhos mais lindos! Que jamais envergonhemos a trilha espiritual por onde andamos e aprendemos tanto. Que o amor seja o nosso mestre! Que a luz seja nossa companheira! Que despertemos! E que saibamos valorizar as pessoas queridas, as oportunidades de estudo e trabalho espiritual, as companhias verdadeiras - físicas e extrafísicas -, os toques conscienciais que nos fazem crescer, os lugares que amamos, e os nossos sentimentos verdadeiros, aqueles que a mente não entende, mas que o coração compreende. Possamos, simplesmente, SER! Ter é circunstancial. Mas SER é fundamental. * * * Bom, vamos aos escritos. Acabei escrevendo além da conta, de improviso. Mas, deu vontade de escrever isso aqui para vocês, participantes de um grupo e companheiros de navegação, humana e espiritual. Obs.: Enquanto eu digitava essas linhas, rolava aqui no som um CD do Marillion (banda inglesa de rock progressivo de que gosto muito). É o “This Strange Engines” – lançamento nacional, remasterizado – 1996. As músicas “One Fine Day” e “Estonia” são lindas (2ª e 4ª faixas do CD). Um abraço. São Paulo, 11 de fevereiro de 2008. * * * TOQUES ESPIRITUAIS DO MESTRE AIVANHOV Há alguns dias, vi o mestre Aivanhov*. Fazia muito tempo que eu não o via, pois ele tem trabalhado muito no Astral referente à Europa. Ele me disse: "Pense no Cristo abraçando as multidões de sofredores dos caminhos do mundo e do Além..." Ontem eu o vi novamente. Ele estava com uma expressão de intenso contentamento e seus olhos estavam coruscantes. Por diversas experiências anteriores, sei que esse brilho especial nos olhos denota grande grau de lucidez espiritual. Na hora em que ele apareceu, eu estava assistindo a um documentário na televisão. Pensei em desligá-la e fazer um trabalho de energia para ver o que estava rolando. Porém, ele fez um gesto com a mão e disse-me que estava só de passagem, que estava visitando os amigos e compartilhando silenciosamente o seu contentamento espiritual. Ele sorriu, e, em seguida, desapareceu na minha frente. Lembrei-me do seu toque de dias atrás: "Pense no Cristo abraçando as multidões de sofredores dos caminhos do mundo e do Além..." Ainda agora, enquanto eu escutava o trabalho mais recente do músico e vocalista inglês Phil Collins** (estou de férias desde ontem), fechei os olhos para apreciar melhor as músicas. Notei que o meu cérebro estava acelerado e que minhas energias estavam todas concentradas na cabeça. Isso é comum depois de uma temporada de muito trabalho, e muitas pessoas ficam assim por dias, até a mente processar que é época de descanso e renovação. Consciente desse mecanismo, deslizei a atenção para dentro da região do baixo vente, entre o chacra umbilical e o chacra sexual***, para descansar a mente ali, no ponto que os japoneses chamam de "hara" (parte inferior da barriga, centro de gravidade do corpo) e que os taoístas chineses chamam de tan t'ien inferior ou "Ching" (o lugar da essência vital). Esse deslizamento consciencial para o hara descansa a mente e faz com que o foco da atenção saia da cabeça e deixe de pressionar o cérebro com sua agitação. Senti o prazer de descansar a mente em meio às forças vitais abundantes do baixo ventre (área que muitas pessoas não gostam de trabalhar devido aos condicionamentos religiosos antiquados sobre a sexualidade). A seguir, deslizei a atenção para o centro interno do peito. Percebi ali dentro uma massa de energia rosa se expandindo. Gradativamente, fui sendo tomado por uma sensação de suave contentamento. Então, lembrei-me de vários parentes e amigos, e emanei, do próprio peito, um monte de luz rosa em sua intenção, desejando paz e luz em suas vidas. Nesse instante, percebi os pensamentos do mestre Aivanhov dentro do meu peito. Ele não estava espacialmente no meu ambiente, mas, à distância, sei lá em que plano extrafísico. No entanto, parecia que ele estava dentro do meu peito sorrindo. Daí, em meio àquela luz rosa maravilhosa, ele me disse o seguinte: "Meu rapaz, bem-querer é compartilhamento de consciência, amor e brilho. Tocar os entes queridos com a essência interior equivale a ser amparador invisível deles. Compartilhar a luz d'alma dessa maneira enriquece os relacionamentos e equilibra as energias nos centros vitais. Visitar a alma dos amigos com toques silenciosos de paz e luz é o verdadeiro presente de amigo secreto." Permaneci um tempinho nessa condição de contentamento íntimo, difícil de explicar por palavras. A seguir, vim aqui para o computador escrever o que rolou. P.S.: Interessante. Agora, a minha expressão e o meu olhar estão cheios daquele contentamento e brilho que vi no mestre Aivanhov. Acho que ele agora deve estar visitando invisivelmente outros amigos por aí, e dizendo-lhes, no mais secreto da alma: "Pensem no Cristo abraçando as multidões de sofredores dos caminhos do mundo e do Além..." (Esses escritos são dedicados à Heleninha e à Maria Luz, minhas duas estrelinhas-filhas, e aos meus amigos daqui e de outros planos, desse e de outros orbes). Paz e Luz. - Wagner Borges - São Paulo, 20 de dezembro de 2002, às 18h - Notas (escritas em 22 de dezembro de 2002.): - Há um motivo para o envio desse texto especial. É que nessa época de festas natalinas e de fim de ano, muitas pessoas ficam tristes e isoladas, pois não tiveram condições de viajar para descansar, ou os parentes e amigos estão longe. Então, pensando nessas pessoas, resolvi enviar esse texto extra, contando da presença do mestre Aivanhov e de seu bom humor. - Ninguém vive sozinho. Há muitos outros planos e dimensões cheias de consciências tão vivas e participantes do universo igual a todos nós aqui da Terra. O universo é infinito, mas dentro de cada ser humano também há multiversos incomensuráveis, plenos de pensamentos, sentimentos e energias. Há vida pulsando, dentro e fora de cada um de nós. A plantinha recebendo a luz do sol e o orvalho da madrugada, o filhote mamando a seiva vital de sua mãe, a flor desabrochando e saudando a vida, o golfinho brincando nas ondas do mar, as crianças brincando na praça, os namorados trocando carícias, os olhos de alguém brilhando, o poeta inspirado, a canção viajando pelo ar, o bebê que acabou de chegar ao mundo, a lembrança de alguém valoroso, a ascensão espiritual daqueles que viajam para fora do corpo definitivamente, o toque espiritual silencioso na caverna secreta do coração, e o sorriso dos amparadores espirituais no peito cor de rosa são expressões dessa vida que canta no infinito de nós mesmos e do universo. Somos muito mais do que percebemos e aparentamos. Somos a luz das estrelas revestida de corpo denso. Somos a essência imortal do Grande Arquiteto Do Universo. Somos eternos aprendizes da arte da vida. Por muitas vidas, pintamos quadros trevosos sob o comando do nosso egoísmo. Porém, lentamente, inspirados pelo AMOR QUE AMA SEM NOME, estamos aprendendo a pintar telas coloridas sob o comando da Espiritualidade Maior. Em alguns momentos de perda e solidão, parece que tudo fica opaco e sem objetivo. Então, deixamos de perceber essa vida pulsante, dentro e fora de nós. Porém, em nenhum instante a vida desistiu de nós. Há muitos seres espirituais que nos amam, incondicionalmente, em outros planos. Não é possível percebê-los pelos sentidos limitados da carne, mas é possível senti-los no coração espiritual. Por isso, há milhares de anos nas terras quentes do Egito, inspirado pelas estrelas, o sábio Toth (Hermes Trismegistro) ensinou um profundo conceito hermético aos iniciados daquela época: "O INEFÁVEL É INVISÍVEL AOS OLHOS DA CARNE, MAS É VISÍVEL À INTELIGÊNCIA E AO CORAÇÃO." Sim, é esse Inefável que mantém os inumeráveis sóis suspensos na tapeçaria sideral do infinito e que, com apenas um pensamento, dá vida aos multiversos; mas que, também, está dentro de nossos corações e dá vida aos multiversos interiores que habitam nossos pensamentos e sentimentos. Como é possível pintarmos quadros opacos carregando cores infinitas em nós mesmos? Como é possível falarmos de perda se a luz estelar continua brilhando dentro de nós? - Sei lá o porquê, mas me lembro agora de uma narrativa espiritual do sábio Sanat Khum Maat**** sobre a Mãe Divina levantando o véu da ignorância do iniciado em prova nas câmaras secretas e dizendo-lhe: "Ó discípulo! Não há morte! Carregas o sol dentro de ti. Tu és filho das estrelas e herdeiro de um tesouro luminoso dentro de ti mesmo. Renuncia aos desejos de poder mundano, e almeja a ascensão de tua consciência aos templos secretos do saber. O teu antigo eu jaz sob o pó das estradas das muitas vidas perdidas ao sabor das trevas de teu ego. Vem! A iniciação te fez justo. Sobe as escadas luminosas e entra no átrio dos justos que não temem a vida e a morte, apenas vivem. Tu nunca mais estarás sozinho. Por onde seguires, os mestres secretos te acompanharão. Tu não te lembrarás disso com a mente, mas teu coração saberá. Ele te guiará nas muitas jornadas de aprendizado à frente. Ele também te lembrará de que é preciso fazer o bem aos teus irmãos de jornada terrestre. Tu és um iniciado. Podes andar e voar entre mundos. Por onde seguires, entre os homens e os espíritos, faz o bem." Também me lembro de Jesus dizendo aos discípulos no Monte Tabor: "Ergue-te! E não temas! O Senhor abençoa os justos do caminho. Ele sabe o que se passa no coração de cada homem." Sei lá por que escrevi tudo isso agora. Contudo, sei que muitos compreenderão em seus corações. - Finalizando esses escritos extras, lembro-me de um ensinamento do mestre Vyasa*****, a quem devo muito por tudo o que tem me ensinado ao longo do tempo: "Visualize um estrela de cinco pontas por cima de sua cabeça na hora da meditação. Essa estrela é azul celeste. Medite nisso. A seguir, visualize que brota uma cascata de luz dourada do centro da estrela e verte sobre a sua cabeça e o seu corpo. Sinta-se preenchido por essa luz dourada e pense que todas as dores e mágoas possam ser lavadas pela luz. Por favor, seja feliz." - Novamente me lembro de um ensinamento de Sanat Khum Maat - aqui revestido com minhas palavras a partir do que ouvi dele mesmo em certa ocasião extrafísica: "Nunca traia os seus votos espirituais. Nunca permita que o seu ego obstrua a luz do sol de seu coração. Nunca cometa atos maldosos, mesmo que alguém tenha lhe feito mal. A trilha iniciática não é para covardes. Agüentar a luz do espírito pulsando conscientemente dentro de si mesmo é tarefa portentosa. Só aqueles que estiverem imbuídos de amor desinteressado de honras terrestres é que suportarão a tarefa do esclarecimento espiritual no mundo dos homens cegos à paz. Só aqueles que portarem em seus objetivos os valores espirituais sinceros e desprovidos de arrogância é que atravessarão o mar das existências seriadas com serenidade e equanimidade. Trabalhar sob a égide da luz espiritual em prol da paz é tarefa magna para todos aqueles que já superaram os desejos pelas luzes ilusórias do mundo. É tarefa para quem já percebe a luz do Espírito Supremo nos olhos de cada ser." - Nesses dias de festas de miragem e de consumo cego, envio esses escritos extras (em nome de todos os amigos, físicos e extrafísicos, que colaboram em nosso site, nesse trabalho de esclarecimento e assistência espiritual pela Internet), pensando principalmente nas pessoas que estejam se sentindo solitárias. Penso que o toque espiritual do mestre Aivanhov já diz tudo: "Pensem no Cristo abraçando as multidões de sofredores dos caminhos do mundo e do Além..."****** - Notas do Texto: * Omraam Mikael Aivanhov (1900-1986): mestre espiritualista búlgaro, que morou a maior parte de sua vida na França, onde fundou a Fraternidade Branca Universal - www.fbu.org (não confundir com a Fraternidade Branca do Himalaia, dos mestres, que se situa em planos sutis). É um dos mentores espirituais dos trabalhos do IPPB. Maiores informações sobre o seu trabalho podem ser conseguidas em nosso site - www.ippb.org.br - Basta entrar na seção de busca por palavras do site e clicar o seu nome. Daí, surgirão diversos textos dele postados em várias seções do site, e aí é só mergulhar em seus escritos e se fartar de ler textos excelentes e cheios de sabedoria espiritual e humana. Obs.: Na seção de Amparadores extrafísicos, há uma coluna específica do Mestre Aivanhov (do lado esquerdo, bem no final da página principal do site). ** O CD do Phil Collins é o "Testify" (lançamento nacional) - É um trabalho que segue o padrão comercial de seus discos anteriores. Nada que lembre o maravilhoso trabalho dele na época de ouro do Genesis. Porém, como trabalho pop sem muitas pretensões de virtuosismo musical, torna-se interessante de ouvir, sobretudo porque o Phil Collins continua cantando muito. As músicas "Its Not Too Late" e "The Least You Can Do" (sexta e oitava do CD) são muito bonitas. *** Chacras - do sânscrito - são os centros de força situados no corpo energético e que têm como função principal a absorção de energia - prana, chi - do meio ambiente para o interior do campo energético e do corpo físico. Além disso, servem de ponte energética entre o corpo espiritual e o corpo físico. Os principais chacras são sete – que estão conectados com as sete glândulas que compõe o sistema endócrino: coronário, frontal, laríngeo, cardíaco, umbilical, sexual e básico. Suas características básicas são as seguintes: - Chacra Coronário - é o centro de força situado no topo da cabeça, por onde entram as energias celestes. É o chacra responsável pela expansão da consciência e pela captação das idéias elevadas. É também chamado de chacra da coroa. Em sânscrito o seu nome é “sahashara”, o lótus das mil pétalas. Está ligado à glândula pineal. Obs.: a pineal é a glândula mais alta do sistema endócrino, situada bem no centro da cabeça, logo abaixo dos dois hemisférios cerebrais. Essa glândula está ligada ao chacra coronário, que, por sua vez, se abre no topo da cabeça, mas tem a sua raiz energética situada dentro dela. Devido a essa ligação sutil, a pineal - também chamada de “epífise” - é o ponto de ligação das energias superiores no corpo denso e, por extensão, tem muita importância nos fenômenos anímico-mediúnicos, incluindo nisso as projeções da consciência para fora do corpo físico. - Chacra Frontal - é o centro de força situado na área da glabela, no espaço espiritual interno da testa. Está ligado à glândula hipófise – pituitária - e tem relação direta com os diversos fenômenos de clarividência, intuição e percepções parapsíquicas. É o chacra da aprendizagem e do conhecimento. Em sânscrito ele é conhecido como “Ajna”, o centro de comando. - Chacra Laríngeo - é o centro de força situado em frente da garganta. É o responsável pela energização da boca, garganta e órgãos respiratórios. Está ligado à glândula tireóide. Bem desenvolvido, facilita a psicofonia e a clariaudiência. É considerado também como um filtro energético que bloqueia as energias emocionais, para que elas não cheguem até os chacras da cabeça. É o chacra responsável pela expressão criativa – comunicação - do ser humano no mundo. O seu nome em sânscrito é “Vishudda”, o purificador. - Chacra Cardíaco - é o centro de força responsável pela energização do sistema cárdio-respiratório. É considerado o canal de movimentação dos sentimentos. Por isso é o chacra mais afetado pelo desequilíbrio emocional. Bem desenvolvido, torna-se um canal de amor para o trabalho de assistência espiritual. Está ligado à glândula timo. O seu nome em sânscrito é “Anahata”, o inviolável, o invicto, o som sutil do espírito imperecível. - Chacra Umbilical – é o centro de força abdominal, responsável pela energização do sistema digestório. Está ligado à glândula pâncreas. É considerado o chacra das emoções inferiores. Quando está bloqueado, causa enjôo, medo ou irritação. Bem desenvolvido, facilita a percepção das energias ambientais. É chamado em sânscrito de “Manipura”, a cidade das jóias. - Chacra Sexual - é o centro de força responsável pela energização dos órgãos sexuais. Está ligado às gônadas – glândulas de reprodução – testículos no homem; ovários na mulher. Quando está bloqueado, causa impotência sexual ou desânimo. Quando super-excitado, causa intenso desejo sexual. Bem desenvolvido, estimula o melhor funcionamento dos outros chacras e ajuda no despertar da kundalini. É o chacra da troca sexual e da alegria. O seu nome em sânscrito é “Swadhistana”, a morada do eu – ou morada do sol; ou a morada do prazer. - Chacra Básico – é o centro de força situado na área da base da coluna. É o responsável pela absorção da energia telúrica e pelo estímulo direto da energia no corpo e na circulação do sangue. Está ligado às glândulas supra-renais e tem relação direta com os fenômenos bionergéticos e parapsíquicos oriundos da ativação da kundalini. O seu nome em sânscrito é “Muladhara”, a base e fundamento do corpo. **** Para saber mais sobre o amparador extrafísico Sanat Khum Maat, ver o texto 139 - postado pelo site do IPPB em 1999, e onde revelo alguns detalhes sobre sua presença espiritual -, no seguinte endereço específico: http://www.ippb.org.br/modules.php?op=modload&name=News&file=article&sid=3194. Há outros textos dele postados na seção de textos periódicos do site enviados semanalmente - www.ippb.org.br - Devido à profundidade de seus apontamentos, é um dos mentores mais queridos dos leitores, que, freqüentemente, enviam e-mails pedindo mais textos de sua autoria espiritual. Obs.: A coletânea de textos espirituais de Sanat Khum Maat está publicada em meu oitavo livro: "Ensinamentos Extrafísicos e Projetivos", lançado pela Editora Madras, em 2005 - o livro pode ser encontrado nas livrarias e também pode ser adquirido diretamente no IPPB - ou por telefone - e ser enviado pelo correio. ***** Vyasa é um iogue extrafísico que me orienta há muitas vidas. É um sábio espiritual que usa o nome iniciático do grande Vyasadeva, autor do Mahabharata, célebre épico da antiguidade hindu. Os seus ensinamentos sempre priorizam o bom senso e o discernimento em todas as situações. Ele mesmo é um mestre sereno e sempre ensina que Brahman ( O Absoluto, O Supremo, Deus) é o fim da saudade do amor. ****** Obviamente que não está se falando aqui do Jesus histórico mitificado pelas diversas doutrinas cristãs, mas da "Força Crística", poderosa onda de amor que abraça os homens incondicionalmente. Também é bom ressaltar que alguém pode muito bem amar a Jesus, e não ser cristão; amar o Buda, e não ser budista; amar a Krishna, e não ser hinduísta. Para amar não é preciso de doutrina ou de livros pesados e carregados de dogmas absurdos, basta ter coração. Basta ser o que se é: um espírito imortal cheio de coisas para aprender na eternidade. O AMOR QUE GERA A VIDA está em todos os corações. Independe de cultura, raça, sexo ou doutrina. Qual é a doutrina criada pelos homens da Terra que poderá se proclamar a única detentora do Amor que anima os sóis e os corações na imensidão interdimensional? Para amar, basta o amor. E isso não se aprende em nenhuma doutrina da Terra. Contudo, o coração sabe, sem que ninguém lhe ensine, que o Amor abraça as multidões de desvalidos dos caminhos da Terra e do Além... Muitas vezes, os iniciados se referiam a esse Amor incondicional chamando-o de Cristo ou de Força Crística. Na verdade, para o coração que pulsa na sintonia do Eterno, tanto faz o nome que se dê ao Amor. O importante é amar. O resto são palavras e doutrinas limitadas pelos sentidos humanos, que não refletem em nada a magnitude da vida, pois a medida da percepção dos homens da Terra não é a medida dos multiversos que vivem na mente cósmica do Pai-Mãe de todos. E Jesus ensinou isso, dizendo que "Na casa do Pai há muitas moradas!" Obs.: Finalizando esses escritos extras, não resisto e deixo logo abaixo três pequenos textos do mestre Aivanhov extraídos do primeiro volume da série de livros "Viagem Espiritual": O AMOR DA VIDA Quando se ama alguém profundamente, fazemos tudo para que a criatura amada seja muito feliz. Qualquer sacrifício é válido para vermos o nosso amor contente. Assim também é a vida conosco. Por mais que queiramos fugir, de todas as maneiras, lá está ela, presente em todos os instantes, transbordante de amor, a nos contar poemas maravilhosos, a nos fazer juras de amor eterno e a clamar para que nos casemos com ela. Parece que, em priscas eras, ela prometeu ao Criador que não nos abandonaria nunca, que tudo faria para que nós crescêssemos e fôssemos felizes. Ela quer cumprir sua promessa. Vamos deixar? Que tal marcar logo a data do casamento? A eternidade nos espera como testemunha desse amor sempre vivo. - Mikhael Aivanhov - (Recebido espiritualmente por Wagner Borges – Texto extraído do livro “Viagem Espiritual Vol. 1” – editora Universalista - 1993). PEQUENO RECADO REENCARNATÓRIO No departamento reencarnatório da Espiritualidade está bem visível, para que todo espírito reencarnante leia com atenção antes de entrar no útero, a seguinte inscrição em fogo, numa imensa placa espiritual: "O CORPO HUMANO É UM MENINO TRAVESSO QUE A EVOLUÇÃO DEU-LHE, ATRAVÉS DA REENCARNAÇÃO, PARA QUE VOCÊ, O ESPÍRITO IMORTAL E SENHOR DAS AÇÕES, EDUQUE-O ATRAVÉS DO DISCERNIMENTO. POR ISSO, AJA DIREITO!" - Mikhael Aivanhov - (Recebido espiritualmente por Wagner Borges – Texto extraído do livro “Viagem Espiritual Vol. 1” – editora Universalista - 1993). ESPIRITUALIDADE O maior presente que um ser humano pode ganhar de um espírito desencarnado é a oportunidade de participar de um trabalho espiritualista, pois enquanto a pessoa está trabalhando com amor, não há tempo de estar se comprometendo com os valores mundanos que o mundo tanto adora. Pode ser que, enquanto ele participa de um trabalho espiritualista, que é baseado na compreensão, haja incompreensão por parte de seus congêneres humanos. Isso é típico do mundo dos humanos. No fundo, a incompreensão é apenas a manifestação inconsciente da carência de valores maiores na consciência. * * * As únicas armas que um espiritualista pode possuir são a luz e o saber. Luz para enfrentar as trevas. Saber para enfrentar a ignorância. Do somatório da luz com o saber nasce o bom espiritualista: - Luminoso porque ama. - Sábio porque estuda e trabalha, sempre. - Mikhael Aivanhov - (Recebido espiritualmente por Wagner Borges – Texto extraído do livro “Viagem Espiritual Vol. 1” – editora Universalista - 1993).

ImprimirEmail