O PROJETOR AZUL E DOURADO I, II, III, IV, V, VI e VII

Os textos do “Projetor Azul e Dourado” fazem parte de uma série de textos projetivos que revela alguns aspectos importantes na abordagem da projeção da consciência. Aqui estão disponibilizados juntos os sete textos escritos até o presente momento.

Penso que os projetores e pesquisadores responsáveis (e por isso mesmo cheios de amor, dedicação e alegria na abordagem do tema) entenderão claramente (até mesmo por ressonância espiritual) o objetivo dessa série de textos.

- Wagner Borges -
O PROJETOR AZUL E DOURADO I
===========================

Ele surgiu na região trevosa, envolto numa luz azul e dourada, transbordante de sentimento puro. Flutuou sobre a multidão espiritual que o esperava e espargiu energias sadias para todos que ali estavam. De suas mãos fluíam raios coloridos, que se misturavam às auras daqueles espíritos sofredores.

Seu momento mágico era aquele. Fazia contato extrafísico com aqueles seres de profundidade desconhecida. Eles tinham medo, mas precisavam desesperadamente da luz que ele portava.

Sua missão era clara: canalizar energias balsâmicas para aqueles seres em sofrimento. Seu amparador espiritual o havia orientado corretamente: "Basta manter o pensamento elevado, o sentimento bonito e a energia pulsando".

Seu corpo espiritual brilhava intensamente, e quem o visse naquela cratera extrafísica, em meio aqueles espíritos doloridos, diria que um "ser-estelar-espiritual" visitara as furnas umbralinas.

Ele se lembrou do amparador intangível, que, situado em dimensões sutis, coordenava-lhe os deslocamentos assistenciais nas regiões densas.

Conduzido telepaticamente por ele, exteriorizou as energias salutares para aquela multidão de desvalidos das sombras. Terminada a tarefa, ele volitou novamente ao plano terrestre, onde seu invólucro físico dormia profundamente. Não estava preocupado se iria se lembrar ou não daquela projeção. Pois, sentia-se bem por ter sido útil no contexto evolutivo da humanidade.

Projetores desse porte são o "ouro" dos amparadores, assim como estes são o "ouro" dos bons projetores.

- Savananda (Os Iniciados) -
(Recebido espiritualmente por Wagner Borges, Caxias do Sul, 03/06/96)


* * *


O PROJETOR AZUL E DOURADO II
============================

No silêncio da meditação profunda, vejo surgir um ser espiritual de luz pura. Sinto uma "alegria serena" interpenetrar-me, e daí vem a inspiração de escrever um texto direcionado aos projetores e estudiosos de consciência.

Intuído pelo ser luminoso e pelo sábio Savananda, que também está aqui comigo, pego a caneta e concentro-me. Vejo várias imagens extrafísicas e lembro-me do projetor azul e dourado. As idéias fluem e o texto surge suavemente.

Viajando nas ondas sutis dos planos interiores, vejo surgir nos mundos celestiais o projetor azul e dourado. Seu corpo espiritual está radiante.

Está projetado nos planos sutis, mediante os créditos espirituais dos trabalhos assistenciais bem realizados.

Levado até lá pelos amparadores, ele funde a mente nas correntes cósmicas da inspiração superior. Vejo-o preenchido de "AMOR LÚCIDO" e permeado pelas consciências extrafísicas avançadas. Inspirado, ele irradia uma prece sutil na intenção de todos os projetores conscientes e trabalhadores:

- FONTE ETERNA DE AMOR E LUZ, que nós sejamos como "projetores-estrelas" inseridos no coração da vida espiritual, brilhando como OM MANI PADME HUM*! Que nós sejamos projetores universalistas, inspirados pela luz de Krishna, de Jesus, de Buda, de Lao-Tzé e de todos os amigos da humanidade. Que nós possamos seguir projetados na direção de tudo aquilo que for positivo. Que nós sejamos "TUDO DE BOM" em todos os momentos. Que nós sejamos projetores "PAZ E LUZ".

OM TAT SAT!

- Wagner D. Borges -
(Este texto foi extraído do livro "Viagem Espiritual III")

Notas: * OM MANI PADME HUM (do sânscrito): "Salve a Jóia no Lótus!"; É um dos mantras mais famosos do Oriente. É muito usado pelos budistas tibetanos. É considerado um mantra de evocação da compaixão divina, personificada na figura de avalokitesvara (bodhisattva da compaixão) para os tibetanos e na figura de Kwan-Yin pelos chineses.


* * *


O PROJETOR AZUL E DOURADO III
=============================

O projetor azul e dourado despertou fora do corpo em uma dimensão extrafísica sutil.

À sua frente, flutuava uma consciência extrafísica avançada em meio a uma atmosfera azul celeste. Era o seu amparador tão querido. Ele saudou-o telepaticamente: "NAMASTÊ!"*

Por intuição, ele sabia que estava ali para renovar seu voto consciencial.

Antes de adormecer o soma, ele pensara: "Já faz tempo que não vejo o meu amigo hindu extrafísico. Gostaria de encontrá-lo para discutir com ele algumas abordagens em cima dos temas espirituais. Estou com saudades de sua sabedoria e serenidade integradas. Sei que ele está muito ocupado extrafisicamente, mas será que ele está acompanhando minhas atividades aqui na crosta terrestre? Será que ele está me percebendo no meio desse denso nevoeiro de pensamentos, emoções e energias conturbadas do viver terrestre? Estarei correspondendo às suas expectativas e realizando minha tarefa reencarnatória a contento? Estarei fazendo juz ao seu aval espiritual perante às assembléias extrafísicas superiores?"

Naquela atmosfera extrafísica azulada, o projetor estava muito lúcido diante do amparador sereno. O amor que emanava entre eles era de uma sintonia indescritível. Ambos estavam preenchidos de amor-lúcido. Parecia qua a própria luz azul sussurrava-lhes invisivelmente suaves harmonias e motivações elevadas.

De consciência a consciência, luz na luz, para-olhos** nos para-olhos, pura fusão-lúcida-espiritual, o amparador comunicou-se com seu pupilo encarnado:

"Saudações, meu amigo.

Escutei sua voz silenciosa ecoando dentro da câmara secreta do meu lótus-coração espiritual. Por isso estou aqui com você. Trago-lhe um recado dos mestres extrafísicos. Eles são os verdadeiros fiadores espirituais de sua vida e de seu trabalho na crosta do mundo. Confie neles, pois são os sustentadores invisíveis de suas tarefas.

Eles cumprimentam-no em nome do Amor Supremo e enviam-lhe as seguintes orientações:

1. Ame a todos incondicionalmente!

2. Ajude seus irmãos terrestres no esclarecimento espiritual. Ande com eles, sorria com todos, atue com simplicidade e sirva-os no chamado da consciência espiritual.

Estude com eles e faça sua tarefa com alegria. Eles são seus irmãos! Servindo-os, você estará servindo a Deus.

3. Caminhe com sabedoria por todos os caminhos e ampare os fracos de espírito.

Erga-os em nome de Deus!

4. Use sempre uma linguagem de fácil entendimento e aproxime mais as pessoas.

5. Vasculhe seu ego e combata com diligência e disciplina férrea as trevas que encontrar instaladas em si mesmo. No entanto, tenha profunda compreensão com os defeitos alheios. Muitas pessoas padecem de dores atrozes em seu íntimo. É por isso que elas deslizam no cometimento de atitudes tacanhas e portam em suas almas emanações psicofísicas torpes, oriundas de sérios desequilíbrios psíquicos internos. Elas estão doentes de consciência, meu amigo. Compreenda-as e abrace-as espiritualmente em silêncio. ELAS NÃO SABEM O QUE VOCÊ SABE!

6. Você não é mestre ou discípulo, é apenas uma consciência trabalhando com as idéias espirituais na crosta do mundo. Trabalhe com eficiência e seja luz no caminho interdimensional.

7. Seu verdadeiro amparador é o AMOR!

8. Há muitas consciências extrafísicas ajudando seu trabalho. Permaneça no mundo dos homens como um igual, lado a lado com eles, sempre ventilando espiritualidade e alegria.

9. Você sabe, os portões espirituais das dimensões sutis estão sempre abertos para você. E o seu passe de entrada é a sua dedicação no trabalho de esclarecimento espiritual."

O amparador olhou o projetor com imensa ternura e abraçou-o.

Ficaram um tempo bem quietos, consciências fundidas em um só objetivo.

De suas auras emanavam miríades de cores em profusão.

Eles eram agentes da cura espiritual e do esclarecimento consciencial em plena consciência cósmica.

Momentos depois, os dois projetaram-se juntos para o plano mental, morada das consciências puras irmanadas ao TODO.

Mais tarde, antes que o projetor voltasse ao corpo, o amparador ainda disse-lhe:

"Agora, volte para o soma adormecido e desperte-o. Lembre-se de nossa conversa interdimensional e pondere bem sobre todos os aspectos abordados.

Seus olhos estão brilhando muito, meu amigo. Leve esse brilho para a Terra e seja feliz em sua tarefa.

Aja com sabedoria e amor e agradeça ao TODO por todas as chances de crescimento e trabalho digno.

Que seus olhos vejam através de todos os olhos.

Que a pele energética de sua alma seja a pele de seus irmãos de pele negra, amarela, branca e vermelha em maravilhosa síntese de pura luz.

Que o seu sorriso esteja no sorriso de todos.

Que sua canção seja sempre a canção do amor.

OM TAT SAT!***

- Wagner D. Borges -
São Paulo, 26/10/99

Notas: * Namastê (do sânscrito): "Saudação espiritual: O Divino que mora em meu coração saúda O Divino que mora em seu coração".
** Para-olhos: olhos extrafísicos.
*** OM TAT SAT (do sânscrito): Tríplice designação de Brahman, O Absoluto, O Todo. É também um poderoso mantra a ser vibrado mentalmente dentro dos chacras.


* * *


O PROJETOR AZUL E DOURADO IV
============================

O projetor azul e dourado despertou em seu quarto sentindo uma presença espiritual em seu ambiente.

Notou que seu corpo estava paralisado e que sua aura estava bastante dilatada.

Sabendo que eram sintomas pré-projetivos comuns, ele relaxou e preparou-se para a decolagem consciente para fora do corpo denso.

Em instantes, notou uma certa vibração estridente dentro de sua cabeça e uma série de ondas energéticas que propagavam-se por dentro do corpo.

Pela visão espiritual interior percebeu vários anéis energéticos coloridos indo e voltando em alta velocidade pela extensão do soma. A projeção era iminente!

Porém, antes que o processo projetivo se completasse, ele viu uma mão luminosa aplicando-lhe passes dispersivos por cima de seu corpo.

A seguir, uma voz suave disse-lhe mentalmente: Levante e não tema! O Senhor abençoa seus passos espirituais!

Em frações de segundos, o projetor foi deslocado para fora e por cima do corpo físico.

À sua frente estava um deva* em corpo de luz. Em torno dele, havia uma aura energética lilás e uma atmosfera de serenidade e amor.

Percebendo que estava diante de uma presença espiritual avançada e ciente de que mesmo a comunicação telepática seria uma forma de expressão densa diante daquele ser luminoso, o projetor juntou as mãos extrafísicas em frente ao peito, ergueu a consciência ao Alto e abriu o coração com humildade numa prece silenciosa.

Imediatamente, ele sentiu que seu padrão vibracional alterou-se e que ondas de amor permearam seu corpo sutil.

Seu nível de consciência ampliou-se e ondas de alegria serena ajustaram sua lucidez na freqüência espiritual adequada.

De consciência a consciência, usando a luz lilás como forma de comunicação espiritual superior, o deva disse-lhe: Meu irmão, estou aqui em nome de Ramatís. Ele incumbiu-me de lhe dar um recado. Aproveitando sua disponibilidade para escrever, ele quer passar um alerta aos viajantes espirituais. Concentre-se bem para registrar tudo e transcrever posteriormente. Deixe a luz lilás envolver sua cabeça e sua garganta e receba a mensagem no centro de sua consciência. Perceba as cores da PAZ comunicando-lhe as orientações do mentor:

"Há grossas camadas energéticas envolvendo a humanidade. As pesadas vibrações produzidas pelos homens formam fortes barreiras extrafísicas que bloqueiam as conexões com os níveis da PAZ espiritual. Devido a isso, muitos viajantes espirituais sofrem de severa redução na rememoração de suas experiências. Além disso, há também as doações energéticas nos trabalhos de assistência extrafísica, tão imprescindíveis na crosta do mundo e nos níveis espirituais umbralinos, que acarretam um certo bloqueio na lucidez do projetor.

Urge que esses viajantes espirituais tomem consciência de que precisam desenvolver as asas do amor e da humildade em seus anseios projetivos e conscienciais. Precisam posicionar-se perante a espiritualidade de forma desinteressada e abrangente. Precisam confiar no amor silencioso, que é o seu precioso guia interno.

O amor é maior do que a fé. É mais brilhante do que a energia mais pura. É a fonte da verdadeira alegria e ventura espiritual. É o que vale em todas as dimensões da vida. Ele é o verdadeiro mentor das aspirações gloriosas.

A única forma de vencer as insidiosas vibrações do desespero é revestir-se de amor desinteressado. Esse amor protege, inspira, ampara, esclarece e direciona o vôo da consciência para as linhas superiores do espírito.

Os viajantes espirituais são agentes interdimensionais e, portanto, são portadores da luz por entre as dimensões. Não podem carregar nenhuma espécie de leviandade ou emoções daninhas em seus anseios projetivos. São curadores do orbe pelas vias espirituais.

Lembramos aos viajantes da alma os sublimes ensinamentos de Jesus, o divino amigo dos homens. Em todo seu trabalho no mundo, Ele expressou uma única, mas poderosa coisa, verdadeira chave para o ingresso nas excelsas harmonias: O AMOR.

Eis a chave da ampliação da consciência: O AMOR DESINTERESSADO.

Sugerimos a todos que meditem nesses procedimentos espirituais, não só na hora de deitar o soma no leito, mas também durante o dia nos momentos oportunos.

Que cada viajante espiritual possa ser um farol de amor, na crosta do mundo, nos níveis espirituais, no plano mental e dentro de si próprio."

Passada a mensagem, o deva emanou um perfume de sândalo para o projetor e disse-lhe:

Agora, entre em seu corpo físico e imprima intensamente em seu cérebro esse recado.

Registre-o na íntegra! Muitos entenderão a mensagem e pautarão seus esforços espirituais na freqüência do amor. De uma maneira ou de outra, pelas vias da divina sintonia, eles saberão!

O projetor azul e dourado entrou no corpo adormecido e abriu os olhos físicos imediatamente.

A lembrança da mensagem do amparador estava intacta em seu cérebro.

Ele se levantou a seguir e escreveu tudo, ainda sentindo o suave perfume do sândalo em seu ambiente. Um contentamento interno preenchia-lhe o ser e uma luz branquinha exalava de seus olhos enquanto escrevia.

Ele sabia que muitos não entenderiam o recado por pura arrogância. Mas, ele também sabia que muitos outros entenderiam ou sentiriam a essência da mensagem tocando seus corações e inspirando-lhes a viajar espiritualmente nas ondas do amor.

Terminada sua tarefa, ele abriu a janela. Lá fora, o rei sol já surgira e enchia o horizonte com as luzes radiantes da aurora. Inspirado pelo brilho, ele sorriu, lembrou-se de Jesus e ergueu a consciência em agradecimento ao amigo da humanidade.

Naquela manhã, o projetor azul e dourado também estava branco e lilás, mais radiante do que nunca, cheio de paz e contentamento. Ele sabia que em algum lugar interdimensional, cada um na sua freqüência vibracional, estavam o deva, Ramatís e Jesus velando espiritualmente em prol dos homens da Terra.

Paz e luz!

- Wagner D. Borges -
São Paulo, 23 de fevereiro de 2000.

PS: A noite, durante um trabalho de energia com o grupo de estudos de Projeciologia e chacras, surgiu o mestre Aivanhov e passou-me esses escritos (foram escritos no quadro de aula com o ambiente na penumbra, pois as pessoas estavam deitadas fazendo uma prática):

"Não há nenhum incenso que possa melhorar a atmosfera de alguém egoísta.
Não há cristais mais brilhantes do que a jóia do coração acesa por obra do amor.
Os sábios nunca doutrinam. Eles sabem que as flores da maturidade florescerão no devido momento. Por isso, eles apenas amam em silêncio e oferecem o seu contentamento sutil aos homens-flores que envolvem por aí.
O que o céu tem a ver com as tolices humanas?
Ele é azul, mas os homens poderão ser cinzas ou brilhantes, dependendo do que façam na vida.
Que sol poderá aquecer um coração frio de amor?
Que homem portará o céu em seu coração?
Quem portará o azul do céu e o dourado do sol em suas viagens espirituais?"

Notas: * Deva (do sânscrito): Divindade; Anjo; Ser divino.


* * *


O PROJETOR AZUL E DOURADO V
===========================

O projetor azul e dourado despertou fora do corpo nas furnas umbralinas.

O ambiente era terrível e havia muitos espíritos em condições dolorosas após a morte estacionados vibracionalmente ali.

Ele aplicou passes energéticos e procurou minorar o sofrimento daqueles seres infelizes.

Em dado momento, sentiu a presença sutil de seu amparador, que o monitorava de um plano mais avançado.

Telepaticamente, ele recebeu o comando mental de seguir até determinada área daquele ambiente carregado.

Era uma caverna fétida. Por intuição, ele sabia que dentro dela havia um espírito em condições muito precárias e que sua tarefa era resgatá-lo para a assistência extrafísica.

Antes de entrar, ele ergueu os pensamentos e fez uma prece silenciosa. Lembrou-se de Jesus, o amigo dos homens e médico das almas tristes.

Com o coração aberto, ele entrou. No ambiente escuro da caverna, ele viu um ser estranho, humanóide, mas cheio de chagas e grunhindo pavorosamente. Algumas partes de seu corpo estavam cobertas por escamas escuras e também havia uma gosma estranha nelas. Instintivamente, o projetor foi tomado por uma sensação de asco.

No entanto, ele lutou com aquela sensação e ergueu as mãos para aplicar passes.

De suas paramãos, emanaram descargas potentes de energia em forma de clarões. Porém, o espírito gritava de dor enquanto recebia as energias. Para alguém tão traumatizado por longos anos nas trevas, a luz machucava.

O projetor parou a aplicação energética e ponderou a situação. Parte dele lutava com a sensação de asco e era necessário um grande esforço para manter a lucidez naquela condição densa.

Então, o amparador novamente comunicou-se telepaticamente com ele e explicou-lhe:

"Lute contra o asco. Exerça sua força de vontade. O ser à sua frente é seu irmão e precisa de seu apoio. As escamas agarradas nele não passam de formas-pensamento cristalizadas em dramas antigos e aderidas há muito tempo nas energias de seu psicossoma. Suas chagas refletem as suas auto-culpas profundas, oriundas de atos nefastos de seu passado turbulento. Há muito tempo ele vaga sofrendo as repercussões de suas antigas violências no campo da magia e da manipulação dos outros. Porém, o amor do Pai Celestial é maior do que tudo. Sob a ordem do Alto, está na hora desse irmão galgar os degraus da redenção. Ajude-o. Irradie luz por todos os poros energéticos de seu psicossoma. Torne-se um sol de amor e resgate seu irmão."

O projetor pensou: como ajudá-lo, se a luz intensa o fere? O ser olhou com medo para ele e seus olhares se encontraram.

Então, algo incrível aconteceu: o projetor viu o olhar de Jesus dentro daquele olhar sofrido. Uma onda de amor o possuiu e ele abraçou o irmão ferido no centro da alma. Uma coluna de luz roxa brilhante desceu sobre os dois e eles flutuaram no ar abraçados. Choraram juntos sob a força de um amor que jamais julga ou abandona os seus filhos. Um portal se abriu acima dos dois e puxou para dentro apenas o espírito carente.

A essa altura, suas escamas tinham caído e ele adormecera suavemente, como há muito não fazia. Sua aparência mudou e ele voltou a ser homem na condição normal. Do outro lado do portal, os amparadores o aguardavam para o longo processo de assistência extrafísica em andamento. Emocionado, o projetor foi tracionado de volta para o corpo físico. Mais uma vez ele participara da maravilha da assistência fraterna com os amparadores. Mais uma vez uma onda de paz se instalara em seu coração junto com a sensação de ser útil.

Deitado no leito, ainda sob o impacto do que vivenciara, ele agradeceu ao Alto por tudo. Ele sabia que haviam caído as escamas de seu irmão sofrido. Mas, também sabia que qualquer assistência e esclarecimento prestado a alguém, seja na Terra ou no espaço, fazia cair as escamas de antigos males aderidos em seu próprio coração. Por isso, ele agradecia a chance de ajudar. Na verdade, eram as suas escamas que estavam caindo por causa do trabalho sadio. Na calada da madrugada, o projetor ergueu os pensamentos a Jesus, o amigo dos homens e médico das almas tristes. Lembrou-se de seu olhar meigo e de seus ensinamentos e dormiu sorrindo e em paz.

Paz e Luz.

(Essas linhas são dedicadas a Ramatís, mentor e amigo dos projetores responsáveis)

- Wagner Borges -
São Paulo, 29 de maio de 2002, às 19:50h


* * *


O PROJETOR AZUL E DOURADO VI
============================

O projetor azul e dourado despertou projetado fora do corpo nos planos sutis, em frente a uma cascata de energia azul. Ali também estavam centenas de outros projetores e projetoras, de diversos lugares do mundo, bem lúcidos quanto à sua condição projetiva. Todos ali tinham sido convocados àquelas paragens luminosas por um mestre extrafísico que lhes daria algumas orientações em relação à iniciação espiritual e aos trabalhos projetivos.

Bem no meio da cascata azulada surgiu uma passagem retangular dourada. Dela emergiu um senhor calvo e de barbas brancas, vestido com uma túnica branca no estilo grego da época do sábio Sócrates. Sua figura emanava aquela atmosfera respeitável dos antigos hierofantes ** dos mistérios gregos, mestres das iniciações espirituais herdadas dos antigos hermetistas egípcios em tempos idos.

Em seguida, emergiu de dentro da passagem dourada uma jovem moça índia pele-vermelha. Ela estava vestida à moda indígena norte-americana e deslizava no ar sentada, com as mãos unidas em frente ao peito. Sua presença trouxe um certo perfume que todos os projetores sentiram como uma fragrância de puro deleite suave.

Imediatamente, o projetor azul e dourado foi tomado de forte emoção, pois aquela era a maravilhosa amparadora que já lhe havia aparecido em outras oportunidades e enchido o seu coração de amor incondicional. No entanto, para preservar sua lucidez extrafísica, ele procurou acalmar suas emoções e concentrou-se mentalmente num mantra suave dentro do coração: "Om Shanti, Om Shanti, Om Shanti…" ***

Naquele ambiente, os homens e mulheres projetados sentiam-se tocados por perfumadas ondas serenas de amor. Algo lhes dizia interiormente que estavam recebendo eflúvios sutis que lhe escapavam aos sentidos extrafísicos. Havia "graça" no ar.
Em silêncio respeitoso, eles apenas se entreolhavam com os olhos extrafísicos (paraolhos) brilhando no reflexo de suas lágrimas suaves.

Aqueles homens e mulheres ali projetados , de paraolhos coruscantes e semblantes enternecidos, pareciam uma assembléia secreta de iniciados tocados pelo AMOR MAIOR QUE GERA A VIDA.

Os seus envoltórios físicos estavam adormecidos em lugares diferentes do plano físico, mas os seus corações e mentes estavam interligados na mesma Luz espiritual. Os seus corações respiravam a mesma essência sutil. E eles se sentiam em casa.

Enquanto a amparadora permanecia sentada no ar observando, o senhor de roupa grega dirigiu-se aos projetores e disse-lhes mentalmente:

"Meus irmãos de jornada espiritual, é pela graça do Supremo Senhor da Vida que nos encontramos aqui nesse colóquio espiritual. Muitos outros gostariam de estar aqui também, mas vocês foram atraídos pelos objetivos que já pulsavam em seus corações.

As jornadas para fora do carro somático são naturais e inerentes ao potencial do próprio espírito reencarnado. Porém, o acesso aos planos sutis durante as jornadas extrafísicas é fruto dos pensamentos e sentimentos nobres e éticos do viajante espiritual. Mediante as vibrações propagadas na própria psicosfera do projetor, observa-se o seu nível espiritual e as condições energéticas do seu veículo parassomático.

Com as credenciais dos bons propósitos evidenciadas em suas energias, o projetor recebe a assistência dos mentores elevados, que providenciam o necessário aporte vibracional para sua passagem pelos portais interdimensionais até os níveis extrafísicos de manifestação lúcida e serena.

Tal possibilidade de acesso a essas paragens elevadas constitui uma das grandes riquezas das viagens espirituais. Portanto, cada um de vocês aqui presente é veículo de celestes numes e de sentimentos nobilitantes que capacitaram sua chegada até este plano repleto de luz serena.

Valorizem a oportunidade e agucem os sentidos extrafísicos para registrar o máximo possível dos apontamentos conscienciais que lhes serão passados pela nossa elevada amiga aqui presente nesse colóquio de espíritos conscientes.
Antes ainda, peço a todos que calem momentaneamente os questionamentos inerentes à própria curiosidade intelectual e apenas recebam direto no coração as benesses dispensadas por essa amorosa companheira que hoje nos agracia com sua augusta presença.

Percebam a importância do "silêncio mental" na recepção das idéias elevadas e aquietem suas emoções. É hora da integração do amor pacífico com a lucidez serena.

Abram o coração e a consciência ao influxo das ondas serenas gentilmente vertidas pela irmã amparadora na intenção do progresso consciencial de vocês.

É hora de vocês serem iniciados espiritualmente pelos toques da "Mãezinha Serena".

A seguir, ele se afastou um pouco, concentrou-se e uniu as mãos numa atitude de prece silenciosa. Em torno dele surgiu uma aura dourada, e no centro de sua testa (paratesta) surgiu uma pequena jóia azulada.

Ao mesmo tempo, a amparadora dirigiu-se aos projetores e comunicou-se mentalmente:

"A iniciação espiritual é preencher a consciência de sabedoria, amor e luz integrados.
É sorrir em meio às dimensões e caminhar cheio de contentamento e confiança.
É vislumbrar os objetivos com olhar luminoso e tocar interdimensionalmente a todos os seres.
É perceber a Luz Suprema brilhando em tudo.
É ser consciente da dança multicolorida das energias em todos os lugares.
É desvanecer qualquer névoa cinzenta nos pensamentos.
É dissolver os nós que seguram o divino potencial dentro de si mesmos.
É amar em silêncio e nunca se decepcionar com alguém.
É respeitar os limites dos outros e esforçar-se continuamente em transcender as influências psicofísicas.
É amar e bailar com a Luz.
É voar consciente e enamorado das energias generosas e cheias de vida e plenitude.
É sorrir no vôo e agradecer a graça do discernimento espiritual."

Sentada no ar, a Mãezinha Serena olhou ternamente para o grupo de projetores, como se quisesse tocar a cada um deles individualmente. Como se eles fossem seus filhos queridos.

E cada um deles sentiu que estava recebendo um darshan **** muito especial.

Depois, ela recuou sentada no ar, fez um gesto de saudação a todos, e entrou de volta na passagem dourada em meio ao fluxo da energia azulada da cascata.

Logo a seguir, o mentor grego dirigiu-se para a mesma passagem. Porém, ele parou no meio dela, voltou-se e ficou ali olhando o grupo.

Enquanto o seu corpo espiritual lentamente de desvanecia em meio ao dourado da passagem, ele ainda lhes disse com lágrimas nos olhos:

"A Mãezinha Serena opera grandes milagres na natureza.
É portadora de benções e aplaina o caminho para os buscadores da verdade.
Sua Luz perfura as camadas da ignorância e atrai os espíritos para as regiões da Luz.
O seu semblante é suave e os seus olhos ardem de Amor sublime.
Ela irradia a sabedoria no âmbito das escolhas terrenas, e onde ela se manifesta, as consciências são transformadas pelo seu toque de compaixão.
Meus irmãos de jornada espiritual, voltem para os seus envoltórios de prova e aprendizado na crosta da Terra e compartilhem o darshan da Mãezinha Serena com os seus irmãos terrenos.
Lembrem-se do olhar terno que iniciou a vocês nessa noite abençoada.
Pratiquem o bem sem exigir compreensão de ninguém.
A semente espiritual está em seus corações.
Reguem-na com bom senso, amor e alegria.
Trabalhem corretamente com as idéias espirituais em seus atos diários.
Sempre respeitem as opções alheias, mesmo que sejam diferentes das suas.
E diante das agruras e incompreensões do mundo, respondam com o silêncio que trabalha.
Agora, voltem para o carro somático sentindo o perfume espiritual da Mãezinha Serena."

Enquanto ele mudava de plano vibracional dentro da passagem, os projetores alçaram vôo e seguiram para onde os seus corpos repousavam da lida terrena.

Eles voaram felizes de volta, pois o perfume da Mãezinha estava em seus corações para sempre.

PS: Esses escritos são dedicados a todas as mães, encarnadas e desencarnadas, pois somente o coração feminino é capaz de amar os filhos de forma muito especial.

No silêncio do olhar de uma mãe, o brilho do amor.
Em suas lágrimas, um universo de emoções desconhecidas dos homens.
Em seus seios, a seiva da vida.
Em seu abraço, o acalanto ao companheiro e ao filho.
Em seu coração, a prece à Mãe Divina.
Às mães de todos os lugares, Paz e Luz.

- Wagner Borges -
Lugano, Suíça - 19 de junho de 2003.

Notas: * Os cinco textos anteriores estão disponibilizados no nosso site (www.ippb.org.br). São os textos número 03, 136, 165, 199 e 340, respectivamente; da seção "Textos Espiritualistas".
** Hierofante: Na tradição hermética é o mestre iniciador que toma sob seu comando a instrução e as provas iniciáticas dos neófitos.
*** Om Shanti (do sânscrito): Om: A vibração interdimensional – Shanti: Paz espiritual.
**** Darshan (do sânscrito): Benção, Dádiva espiritual.

***


O PROJETOR AZUL E DOURADO VII
=============================

O projetor azul e dourado despertou fora do corpo denso num templo extrafísico taoísta, logo acima da Montanha Kun-Lun, na Ásia Central.

Ali ele foi recebido por um sábio mentor com aparência de chinês idoso, mas que ria igual criança. O brilho de seus paraolhos (1) evidenciava a sabedoria dos "Hsien-Tao" (2) tão comentados na antiga China.

Pelas vias telepáticas, ele disse ao projetor:

"Que bom que você chegou até aqui, rapaz. Mas lhe aviso logo que o seu corpo físico estará requerendo sua presença em alguns instantes. Portanto, seja breve e faça apenas uma pergunta por hoje. E que ela seja interessante e voltada para os temas de seus estudos espirituais. Da próxima vez você pergunta mais."

Ainda tímido, o projetor perguntou-lhe:

- Mestre, outro dia vi alguém falando de como dominar o Chi (3), mas não senti na pessoa que falava nenhuma vibração que atestasse o que ela afirmava. Então, pergunto ao senhor: como dominar o Chi?

O sábio riu e disse-lhe:

"Meu filho, o lugar do Chi é o peito. A grande riqueza mora na esfera do elixir interior, ponto médio de equilíbrio das energias que descem do Céu e das energias que sobem da Terra. No lugar de encontro dessas duas naturezas ocorre a fusão do divino com o humano, do macrocosmo com o microcosmo, evidenciando a interdependência de Yang e Yin (4) em perfeita harmonia.

Logo, a casa do Chi é no coração, lar do ânimo e da vibração de se gostar de algo. Isso evidencia que quem vibra com o que faz é detentor de altas vibrações no campo de suas manifestações vitais.

Por conseguinte, pode-se dizer que quem fala de algo sem coração e sem amor nas vibrações não consegue imprimir o Chi naquilo que está afirmando.

Dominar o Chi não é bem a questão. Isso pode ser feito a partir de treinamento adequado e da força de vontade bem aplicada num objetivo definido de movimentar as energias. Porém, irradiar o Chi a favor do bem de todos exige mais do que força de vontade e disciplina. É aí que entra o amor, mola-mestre de qualquer manifestação criativa, e que faz o coração animar-se no contato com os objetivos sadios e que elevam a consciência.

Há pessoas que concentram bem o Chi em seu corpo, mas não são capazes de irradiá-lo com a devida competência. Preocupam-se mais com o controle do Chi, do que com o equilíbrio de sua manifestação. Levam mais em consideração os fenômenos energéticos advindos de sua disciplina, do que com a transformação de suas consciências.

Muitos dizem que dominaram o Chi, mas na verdade eles têm medo do potencial de transformação do amor em suas vidas. Tornam-se tecnicamente capazes na manipulação energética, mas carecem de calor humano e são frios no contato com os semelhantes. No entanto, frieza não é equilíbrio, e emoção estranha não é sentimento elevado.

Mais do que nunca, a palavra certa não é "dominar o Chi", mas "equilibrar o Chi". Unir o Chi aos melhores propósitos. Permear as forças vitais de amor, paz e consciência coerente. E agradecer ao TAO (5) pela sabedoria de deslizar em harmonia pela existência e sorrir com o Chi cantando nos centros vitais.

Discipline a sua vontade, mas eduque os seus sentimentos.

Concentre-se bem, mas medite também!

Seja agudo em seus questionamentos, mas não corte a ninguém com a sua arrogância.

Pense em temas magnos da existência, mas não se esqueça de realizar corretamente as pequenas coisas, que também são experiências de vida.

Na cabeça estão as idéias magnas, mas é no ventre que está a firmeza energética. O peito é o equilíbrio, que vem da harmonia, filha do amor.

Estude os temas espirituais, mas não se esqueça de suas obrigações materiais.

Cuide bem de suas energias e de suas idéias, mas não descuide de seu corpo físico por causa disso.

O Céu é valioso. A Terra é valiosa. O coração é valioso.

O equilíbrio é a jóia. O TAO é o dono da jóia, do Céu, da Terra e do coração.

Sábios são aqueles que meditam nisso. Mestres são aqueles que se concentram nisso. Discípulos são aqueles que aprendem isso.

Nos nove mundos siderais, o TAO é a grandeza, e sopra o Chi por onde quer.

E ninguém é capaz de explicar sua natureza e seus propósitos. Só o TAO sabe o que é o TAO!

Agora, meu filho, volte para o seu corpo físico e escreva tudo o que eu lhe disse aqui. Talvez outros estudantes possam meditar mais na grandeza que permeia o Céu, a Terra e o coração. Ou, talvez não.

De toda forma, faça você a sua parte: escreva e deixe que o TAO sopre esses escritos por onde quer que os seus motivos misteriosos o direcionem.

Só o TAO é que sabe o tempo certo do despertar das consciências.

Volte aqui outras vezes para dialogarmos mais sobre os temas conscienciais.

A palavra chave para chegar até aqui é bem simples: AGRADECIMENTO!"

O projetor azul e dourado (6) agradeceu ao sábio mentor e volitou de volta para o corpo adormecido. Em instantes, adentrou no soma e abriu os olhos.

Em seguida, levantou-se do leito e escreveu contente o teor do diálogo com o mentor taoísta extrafísico, mistura de mandarim com criança, cheio de luz nos olhos e na risada sadia.

Enquanto isso, o sábio o observava de longe. E lá do Astral das Montanhas Kun-Lun, ele estendeu as mãos extrafísicas, riu e saudou o Chi, e disse:

"O TAO sopra por onde quer..." (7)


- Wagner Borges –
São Paulo, 02 de agosto de 2003.

- Notas:

1. Paraolhos: Olhos extrafísicos.

2. Hsien-Tao (do chinês): "Os imortais do Taoísmo"; "Santos taoístas"; "Mestres taoístas que transcenderam a roda do nascimento e da morte". São mestres na manipulação do Chi (força vital, energia) e admiradores do Tao ("O Caminho"; "O Todo"; "O Absoluto"; "O Inominável, Incognoscível e Incomensurável Princípio").

3. Chi (do chinês): A força vital; Energia.

4. Yang e Yin: Alternâncias da força vital; Polaridades da energia.

5. TAO (do chinês): "O Caminho"; "a essência de tudo"; "O Todo". Na verdade, o TAO não pode ser descrito ou explicado por palavras humanas. Por isso, deixo a cargo do sábio Lao-Tzé uma explicação mais apropriada:

"Há algo natural e perfeito, existente antes de Céu e Terra.
Imóvel e insondável, permanece só e sem modificação.
Está em toda parte e nunca se esgota.
Pode-se considerá-lo a Mãe de tudo.
Não conhecendo seu nome, chamo-o TAO.
Obrigado a dar-lhe um nome, o chamaria Transcendente."

- Lao Tzé - in "Tao Te King" -

6. Os textos anteriores do projetor azul e dourado estão inseridos em conjunto dentro de minha coluna na revista on line de nosso site (www.ippb.org.br)

7. O texto "Diálogos V" (de meu livro “Falando de Espiritualidade” – Ed. Pensamento) apresenta diversos pontos de correspondência com esses escritos do projetor azul e dourado VII.

ImprimirEmail