SENDA

Saudações, caro irmão das lidas espirituais.

Observe o seguinte: muitas das pessoas que têm acesso aos conhecimentos espirituais ainda estão presas às muralhas do próprio ego.

Algumas delas erguem anteparos impermeáveis à luz do esclarecimento. Outras, fecham os olhos para não enfrentar a renovação necessária. Ainda estão manietadas ao medo de crescer e fogem do encontro consigo mesmas.

Transitam pelos estudos espirituais e aparentemente são esforçadas. Contudo, muitas trabalham sem honra e não dignificam os objetivos do próprio estudo.

Parecem entusiasmadas inicialmente com a espiritualidade, mas, em contato com alguns obstáculos inerentes ao seu próprio depuramento, fogem do caminho alegando decepções variadas.

Poucas são honradas em seus compromissos espirituais. Isso é facilmente constatado pela falta de brilho em seus olhos e pela falta de amor e alegria quando falam das coisas espirituais.

Está faltando honra, meu caro!

Quantos não estão fazendo oferendas e sacrifícios em nome de motivações supostamente espiritualizadas? No entanto, o Senhor da vida não é encantado por oferendas superficiais. Ele quer, nada mais, nada menos, que o espiritualista ofereça a cabeça do próprio ego cortada pelas afiadas espadas do discernimento. Ele quer o coração lavado de mágoas e a alma lutando tenazmente pelo rompimento da carapaça do orgulho e do medo.

Quantas estão seriamente empenhados em servir aos ditames da luz?

Caro irmão, quem transita pelos estudos espirituais tem uma séria tarefa a realizar: tomar as rédeas do próprio rumo e seguir em frente pela própria capacidade de discernir e sentir!

Muitos preferem entregar o comando do próprio viver à consciências e situações fora delas mesmas. Porém, como caminhar com as pernas alheias?

Por isso, é fato comum encontrarmos pessoas sem a devida têmpera no contato com as realidades da alma. Estão na trilha espiritual, mas pisam sem respeito. Têm fácil acesso às informações pertinentes, mas acham-se desdenhadas pela sorte.

Fazem abordagens levianas em cima de temas profundos. Especulam e falam muito mais do que agem.

Quantas dessas pessoas lembram os antigos iniciados que pereceram nas fogueiras da intolerância religiosa, filha da ignorância e da ignomínia dos homens?

Será que elas têm noção de que muitos sacrificaram a própria vida para manter ativa a luz da espiritualidade na Terra?

Heróis que silenciaram, mesmo sob pesada tortura, para preservarem a vida de outros que prosseguiriam levando a tocha da espiritualidade em frente.

Hoje, as informações sobre temas espirituais estão generalizadas. O acesso é fácil, mas quantos estão dispostos às provas inerentes a esse estudo?

Quantos estão dispostos a entrar na fogueira do discernimento para incinerarem o próprio ego?

No passado, muitos morreram por esses estudos. Foram assassinados porque quiseram romper o véu da ignorância. Sabiam dos riscos, mas mesmo assim pagaram o preço de boa vontade. Desencarnaram conscientes, pois sabiam valorizar os objetivos espirituais.

Nos planos sutis, os mestres da luz os dignificaram pelo esforço.

Que triste ironia: eles tinham tão pouco acesso, mas para eles era tudo!

Hoje, muitas pessoas têm fácil acesso e ainda acham pouco e reclamam tanto!

Irmão querido, você já conhece esse aforismo iniciático, mas nunca é demais citá-lo para o conhecimento das pessoas: Só os fortes de espírito agüentam carregar a tocha do discernimento em suas vidas e o amor em seus passos no mundo. Só eles, em nome da luz, podem hastear as bandeiras da espiritualidade nos altos cumes da Paz!

Desejamos a você e seus leitores, passos responsáveis e coerentes nas trilhas da vida e da espiritualidade!

OM TAT SAT!*

- Sanat Khum Maat e Os Iniciados - **
(Recebido espiritualmente por Wagner D. Borges)

Nota de Wagner Borges: Esses escritos lembraram-me da aguçada percepção do sábio Aurobindo:

"Além de nosso ansioso alcance situam-se estes cumes,
Muito elevados para nossa força e altura mortais.
Dificilmente, num tremendo êxtase de labor,
Escalados pela vontade atlética e desnuda do espírito.
Austeros, intolerantes, eles exigem de nós
Esforços demasiados longos para nossa fibra mortal.
Nossos corações não podem perseverar ou nossa carne suportar;
Apenas a força do Eterno em nós pode ousar
Empreender a imensa aventura dessa escalada
E o sacrifício de tudo que estimamos aqui."

- Notas:
* OM TAT SAT (do sânscrito): é uma tríplice designação de Brahman, o Absoluto. Também é usado como saudação iniciática ou mantra de ativação dos chacras e dos nádis que correm ao longo da coluna.
** Os Iniciados: Grupo extrafísico de espíritos orientais que opera nos planos invisíveis do Ocidente passando as informações espirituais oriundas da sabedoria antiga adaptadas aos tempos modernos e direcionadas aos estudantes espirituais do presente. O grupo é composto por amparadores hindus, chineses, egípcios, tibetanos, japoneses e alguns gregos. Eles têm o compromisso de ventilar os antigos valores espirituais do oriente nos modernos caminhos do Ocidente, fazendo disso uma síntese universalista. Estão ligados aos espíritos da Fraternidade da Cruz e do Triângulo. Segundo eles, são "iniciados" em fazer o bem sem olhar a quem.
Sobre Sanat Khum Maat, o leitor poderá encontrar mais detalhes em nosso
site nos textos 111, 138, 139, 203, 231, 337, 353, 357, 369, 371, 373, 411, 418, 463, 470 e 478 (na seção de textos periódicos enviados semanalmente).

ImprimirEmail