SINOS DO DESPERTAR – ALEGRIA DO CORAÇÃO

(Quando a Luz do Buda Rende a Noite do Ego)

- Por Wagner Borges -

No meio da madrugada fria, escuto um som dentro do meu peito.
Parece o som do repicar de um sino. Toca dentro do meu coração.
E uma sensação de alegria serena chega junto, bem de mansinho.
Fico igual criança e penso em escrever uma canção.
Quietinho, saboreio o contentamento interno e a leveza de sentimentos.
Contudo, sinto algo mais. Há uma presença sutil aqui, também alegre.
Então, fecho os olhos da carne, "para ver melhor", em espírito.
Percebo o meu chacra frontal (1) aceso, cheio de luz branca fluorescente.
E aí, eu vejo quem é o visitante noturno. Ele está à minha direita e me saúda.
Trata-se de uma consciência espiritual legal, ligada às vibrações do Buda.
Ele traja a roupa alaranjada tradicional dos monges budistas tibetanos.
É risonho e está tocando um sininho típico das práticas espirituais de seu povo.
Ele balança o corpo sutil numa dança engraçada, junto com o repicar do sino.
Noto que há uma faixa de cor de vinho sobre sua roupa alaranjada.
Também observo que sua figura é diáfana e dá para ver através dele.
Vendo-o tocar alegremente o sininho, percebo que captei a alegria dele antes.
O meu chacra cardíaco (2) está acoplado com o dele, nas ondas espirituais...
E nada precisa ser dito, pois nos entendemos pela alegria, de coração a coração.
E é assim que escrevo, captando o recado dele, para repassá-lo no mundo.
Sob os auspícios da Luz, deixo o coração escrever, nas ondas espirituais...

* * *

"Há corações que se sentem solitários, mas isso é ilusão.
Como pode ser assim, se há um Buda em cada coração?
No entanto, é preciso despertá-lo. Para que ele ria junto.
Toque o sino, toque o sino, toque o sino...
Dance com a vida. Alegre-se. Amor não é emoção, é amor.
Você está sentado sob a árvore do mundo, carregada de agitação.
Como pode isso, se a luz do Buda é tão serena?
Ah, mas precisa despertá-lo. Toque o sino...
Para que a compaixão projete um campo de luz pacífica em torno de sua vida.
Para que você também desperte. Para que haja bênçãos a favor de todos.
Ninguém luta contra outros, a não ser consigo mesmo, sempre.
Violência é doença da mente. O Buda é a cura. Medite, por favor.
Observe melhor suas emoções. Pondere serenamente. Cure-se.
Mas é preciso despertar o Buda em você. Toque o sino...
Permita que o sol brilhe em seus olhos, mesmo nos dias de tempestade.
O ódio envenena a razão. O mau humor contamina os outros. Não deixe!
O amor e a alegria curam. Deixe o Buda lhe ensinar como.
Mas, antes, desperte-o. Talvez isso seja logo, se você rir mais. Toque o sino...
E não precisa de devoção alguma. Basta deixar a compaixão fluir por você.
Você é como um rio. O Buda é o oceano. Flua para Ele, naturalmente...
Então, encontre-o, em seu coração, para rir junto. Para o amor acontecer.
Sinta-se abençoado, por favor. O Buda não é uma religião, é o Buda!(3)
Assim como a água do mar está impregnada de sal, o Buda está cheio de luz.
E o seu perfume espiritual é o mesmo do amor. Por favor, medite.
Não se esqueça: ria mais. E dance com a vida. Cure-se. Pondere.
Torne-se Buda também. Para rir em todos os corações...
Toque o sino, toque o sino, toque o sino..."

* * *

Diante dos toques do amigo espiritual, o que me resta dizer?
Que me sinto feliz só de ter captado seu recado?
Que estou honrado por ele ter compartilhado seu coração comigo?
Que ele continua aqui, tocando seu sino e dançando, feliz e sereno?
E que, daqui a pouco, vou encontrá-lo, fora do corpo, durante o sono?
E que voaremos, espiritualmente, por aí, nas asas da luz e no som do sino? (4)
Bom, é isso. Pois, quando o coração fala ao coração, não há mais nada a dizer.

Paz e Luz.

São Paulo, 30 de janeiro de 2008.

- Notas:
1. Chacra Frontal - é o centro de força situado na área da glabela, no espaço espiritual interno da testa. Está ligado à glândula hipófise – pituitária – e tem relação direta com os diversos fenômenos de clarividência, intuição e percepções parapsíquicas. É o chacra da aprendizagem e do conhecimento. Em sânscrito ele é conhecido como "Ajna", o centro de comando.
Obs.: Chacras - do sânscrito - são os centros de força situados no corpo energético e que têm como função principal a absorção de energia - prana, chi - do meio ambiente para o interior do campo energético e do corpo físico. Além disso, servem de ponte energética entre o corpo espiritual e o corpo físico.
Os principais chacras são sete – que estão conectados com as sete glândulas que compõe o sistema endócrino: coronário, frontal, laríngeo, cardíaco, umbilical, sexual e básico.
2. Chacra Cardíaco - é o centro de força responsável pela energização do sistema cardiorrespiratório. É considerado o canal de movimentação dos sentimentos. Por isso é o chacra mais afetado pelo desequilíbrio emocional. Bem desenvolvido, torna-se um canal de amor para o trabalho de assistência espiritual. Está ligado à glândula timo. O seu nome em sânscrito é "Anahata", o inviolável, o invicto, o som sutil do espírito imperecível.
Obs.: Dentro de algumas tradições orientais, como o Budismo Tibetano e algumas linhas do Hinduísmo, o som do repicar do sino representa um dos sons de ativação do chacra cardíaco e, conseqüentemente, da abertura do coração espiritual às ondas do amor universal.
3. Buda - do sânscrito - O Iluminado; Aquele que despertou! Palavra derivada de "Buddhi", que significa "Iluminação Pura" ou "Inteligência Pura". Ou seja, quem alcança o estado de Buddhi, torna-se um Buda, um ser iluminado e desperto.

ImprimirEmail