UMA VIAGEM ESPIRITUAL NO SALÃO DA IGREJA

(Relato Projetivo com Assistência Extrafísica postado na lista do GEAE - Grupo de Estudos e Assistência Espiritual do IPPB)

OBS. UM ESCLARECIMENTO INICIAL:
Esse e-mail está sendo postado na íntegra, do mesmo jeito que entrou na lista do GAE. Por isso o tom informal de quem conversa com um grupo de amigos espiritualistas participantes de um mesmo grupo)

* * *

Olá, pessoal.

Nessa última madrugada (de domingo para 2a feira) estive projetado dentro de uma igreja evangélica.

O lance começou por volta das 3h da madrugada. Eu comecei a fazer uma exteriorização de energia no quarto, quando bateu um sono mediúnico daqueles. Acostumado com isso há muitos anos, sei distinguir bem as características do sono normal daquele sono decorrente da ação invisível dos amparadores sobre o meu complexo psicofísico.

Então, deitei-me imediatamente em decúbito dorsal e procurei continuar a exteriorização energética deitado mesmo. Perdi a consciência rapidamente. Depois, por duas vezes consecutivas, despertei cataléptico (paralisado), para logo em seguida sofrer repercussões espontâneas nos movimentos do corpo. Nessas horas parece que o controle do movimento do corpo pertence às consciências extrafísicas que estão controlando o processo anímico-mediúnico.

Em seguida, adormeci novamente. Embora eu ainda não soubesse conscientemente o que estava rolando no extrafísico, parte de mim sabia, e parecia tudo certo e agendado dentro de uma parte espiritual minha mesmo, mas sem o acesso do cérebro físico naquela informação.

Despertei extrafisicamente dentro de uma igreja evangélica. O salão da mesma estava cheio de cadeiras vazias, e havia um grande púlpito em frente. Pelo visual das cadeiras e do púlpito empoeirado, percebi que se tratava de uma congregação cristã num subúrbio (como muitas que existem no lugar da Baixada Fluminense, onde cresci).

Um grupo de pessoas entrou na igreja e foi sentando-se nas cadeiras. Eram crentes projetados durante o sono (alguns de pijama, outros com roupas bem comuns do dia-a-dia). Eu sabia disso por intuição.

Quando dei conta, o salão já estava lotando. Foi aí que vi algumas pessoas surgindo pelas laterais do salão.

Surpresa: eram vários projetores, alguns deles aqui mesmo do GEAE. Todos estavam lúcidos e me cumprimentaram. Parecia que estavam ali levados por amparadores invisíveis, que os agendara no mesmo evento em que eu estava envolvido. Vi alguns espíritos doentes sendo ajudados por alguns deles (não me perguntem como, pois eu não via cordão de prata de ninguém, mas eu sabia por intuição quem era projetor e quem era desencarnado por pura intuição, como se fosse algo natural do psicossoma * saber isso quando o projetor está bem lúcido).

O legal é que havia bastante carinho na maneira como os projetores se dirigiam a esses doentes extrafísicos, em sua maioria espíritos apegados ao plano físico e sentindo ainda os sintomas psíquicos decorrentes de sua situação de desencarnação.

Enquanto isso, eu fiquei bem quieto ali observando com satisfação a ação dos projetores. Estava bem lúcido e calmo, como que esperando algo acontecer (que parte de mim sabia sem saber).

As pessoas sentadas ficavam olhando meio agitadas, pois aquela atividade de assistência extrafísica não lhes era comum.

Em dado instante, pela porta principal do salão que dava para uma rua escura e vazia àquela hora (deu para perceber algumas portas de lojas fechadas em frente), começou a soprar uma ventania terrível. O pessoal começou a ficar agitado e gritando que aquilo era um ataque das forças diabólicas. Eles me olhavam e gritavam: "Você não vai fazer nada? Você não é o espiritualista que sabe mexer com essas coisas diabólicas? Cadê a sua força espiritual? Os seus espíritos o abandonaram?"

Nesse instante compreendi o lance projetivo. Eu e o grupo de projetores estávamos ali para defender a casa de um ataque extrafísico umbralino. E aqueles crentes estavam ali também agendados pelos amparadores que trabalham invisivelmente com eles naquela congregação.

E eu era o cara que estava de frente para segurar a barra daquele ataque. Por isso a excepcional lucidez dessa projeção, causada pelos amparadores nos bastidores de tudo aquilo.

A ventania empurrou uma fumaça avermelhada-escura (bem característica de energias pesadas do Umbral) para dentro do salão. Dentro da fumaça havia muitos espíritos zombeteiros rindo e fazendo uma tremenda algazarra, além de pipocarem energias pesadas por todo o ambiente. E os caras começaram a me xingar e dizer para eu sair dali, que não era para eu me meter, que o lance era entre eles e os crentes metidos, e que eu iria me dar mal se me envolvesse.

Simplesmente estendi as paramãos ** para frente e emanei energias na direção daquela imensa nuvem de fumaça. A mesma recuou até o meio do salão, como se fosse parada por um campo de força invisível.

Nesse instante, os crentes correram para perto de mim e irritados gritavam: "Faz eles irem embora. Você mexe com espíritos, então escorraça eles daqui."

Pode um negócio desses? Eu sou levado até lá para ajudar num rolo espiritual que não é meu, e ainda tenho que ouvir coisas assim.

Não prestei muita atenção nos crentes, porque a minha preocupação maior era com aquela galera dentro da nuvem de fumaça. Eles começaram a projetar energias pesadíssimas em minha direção. Mas o pior foi o seguinte: eles criavam formas-pensamento de desgraças e projetavam em cima de mim e dos outros projetores. Dentro dessas formas mentais surgiam idéias de fracasso na vida pessoal, baixa auto-estima, e tudo de pesado projetado na intenção de todo mundo que estava ali.

O ambiente foi ficando muito desagradável e a nuvem avermelhada começou a vir para frente novamente. Muitos começaram a tossir, inclusive os projetores.

Continuei exteriorizando energias e mantendo a calma. Porém, a nuvem avançou muito e ficou a poucos metros de onde eu estava. Os crentes ficaram atrás de mim apavorados. E vários projetores também (alguns aqui do GEAE bem apavoradinhos e perguntando-se como aquilo estava acontecendo e onde estava a proteção dos amparadores) – Por isso o ambiente estava pior: os projetores haviam sido tomados de insegurança e não estavam cumprindo seu papel naquele momento (penso que tudo foi um grande teste de aferição dos amparadores para muitos do grupo).

Permaneci bem firme postado onde estava, pois sabia que eu era um canal interdimensional para os amparadores canalizarem as suas energias naquele trabalho desobsessivo. Por experiências anteriores ao longo dos anos, eu sabia que os amparadores muitas vezes usam os projetores como iscas espirituais até surgir o momento exato de sua interferência no evento.

Continuei movimentando as paramãos com bastante calma e emanando energias com firmeza e pensamentos corretos. Um dos projetores aqui do GEAE, que estava bastante agitado com a covardia dos demais projetores, mas que também não estava ajudando, disse-me: "Como é que você está agüentando isso sozinho? Larga isso aí e vamos embora. Esse pessoal não está com nada!"

Olhei-o com firmeza, e acho que ele viu algo dentro desse olhar, talvez a luz dos amparadores. Daí, ele começou a exteriorizar energias e estimular os outros projetores a ajudarem também. E recuperou o seu equilíbrio assim.

E finalmente os amparadores entraram em cena. Do teto do salão emergiram muitas esferas de energia dourada, que ao entrar em contato com a nuvem começavam a estourar e encher de luz o ambiente. Os obsessores dentro da nuvem começaram a gritar: "Vamos reagir! Projetem mais energia escura em cima deles. Ninguém vai tirar a gente daqui. Vamos semear mais medo na mente deles!"

De fato, senti o clima pesar novamente por um instante, mas logo em seguida emergiram mais esferas douradas ali, seguidas de formas mentais de símbolos de cor violeta por todo o salão. Eu nunca havia visto esses símbolos, mas sabia que eram dotados de poderosa vibração desobsessiva.

A nuvem recuou até a entrada do salão e começou a se dissolver. Dentro dela eu percebia os gritos dos assediadores reclamando de que não era justo o que estavam fazendo com eles e de que aqueles símbolos eram muito poderosos para eles darem conta.

Senti uma onda de contentamento invadindo-me, e o salão ficou limpo espiritualmente. Olhei para trás e estavam todos com expressões de alívio, crentes e projetores. Em silêncio eles me olharam. Então, uma consciência extrafísica superior, intangível e invisível naquele plano, conectou-se comigo e passou uma série de orientações a todos. Ao final, pediu a todos que fizessem uma prece em conjunto na intenção daqueles infelizes extrafísicos.

Desse ponto em diante perdi as lembranças extrafísicas. Não lembro das orientações da entidade nem do resto.

Despertei pela manhã com parte dessas lembranças, anotei-as e agora estou aqui digitando-as. Lembro-me perfeitamente de tudo o que narrei e dos rostos dos projetores do GEAE que vi por lá. Da parte em que o amparador acoplou mediunicamente comigo é que não lembro, e isso é natural, pois estava sob influência de outra consciência naquele momento.

Sei lá por que, mas já está virando mania os amparadores me levarem projetado para prestar assistência em templos religiosos diversos. Outro dia estive projetado de manhãzinha dentro de uma igreja católica em Florianópolis, justamente na hora de uma missa. A igreja estava lotada de fiéis, encarnados e desencarnados. Fui postado por um grupo de freis capuchinhos desencarnados bem perto do padre que fazia um sermão naquele momento. Em torno havia diversos freis simpáticos exteriorizando energias para aqueles fiéis. Eles pareciam àqueles padres italianos de antigamente e emanavam uma energia muito legal. Senti-me muito bem perto deles.

Em outra ocasião, fui levado projetado até um centro de Umbanda que estava sofrendo um ataque extrafísico pesado do Umbral. Lembro-me de ver os médiuns da casa projetados no duplo extrafísico do terreiro, mas atemorizados e sem poder de reação para dissolver a carga pesada. E novamente segurei a bucha espiritual, dessa vez bem quente mesmo, diante de um grupo de assediadores ligados às pesadas vibrações da magia trevosa.

O que me defendia era um aparelho extrafísico que os amparadores colocaram em minhas mãos. Era um objeto dourado metálico (parecendo um estandarte de ouro sustentado na ponta de um tubo) que rebatia as vibrações pesadas e não permitia que o perímetro do centro fosse invadido por aquelas forças hostis.

Em outra ocasião, fui levado projetado até um centro conscienciológico que estava sendo atacado por uma falange obsessiva violentíssima. Os seus estudantes estavam ali projetados, inclusive carregando cadernos e pequenos computadores, mas não sabiam como reagir diante do ataque. Em torno havia pequenas casas brancas, de onde saia uma gosma escura por baixo. Na verdade, parecia que os obsessores estavam vindo de baixo para cima, emergindo as energias pesadas pelo solo abaixo das pequenas casas.

O líder do grupo estava ali projetado, todo vestido de branco e exteriorizando energias sozinho contra aquela gosma. Quando me viu chegando, disse-me:

"Que bom vê-lo por aqui. Vamos juntar nossas forças e acabar com esse assédio logo!"

E juntos exteriorizamos energias para desfazer aquilo, enquanto o seu grupo de jovens projetados nada fazia.

Depois, ele convidou-me para assistir uma aula que estava agendada para aquele grupo de alunos projetados. Não aceitei, pois ainda havia um outro trabalho de assistência extrafísica a fazer naquela mesma projeção, em outro lugar.

Em cima do que tenho observado nessas incursões extrafísicas em templos religiosos (onde se nota claramente o que cada um é em realidade fora da máscara física), relaciono para estudo de vocês alguns detalhes interessantes que precisam ser apontados para melhoria de todos. Lembro ainda que o que irei relacionar aqui é fruto de minha observação de muitos anos, mas ainda é sob o meu prisma particular, e, portanto, não constitui verdade absoluta para ninguém, ainda mais na área espiritual, onde todos nós temos muito que aprender. Porém, por motivo pessoal de responsabilidade, tenho o compromisso de fazer esses alertas para vocês que trabalham e estudam os temas espirituais especificamente em grupos.

Se alguém tomar isso fora do contexto de um grupo espiritualista que estuda projeções extrafísicas, aí poderá entender de outro jeito.

Vamos lá:

É notória a falta de determinação e raça de diversos projetores. Quando a coisa aperta é que se vê o quanto de desenvolvimento ainda precisam nesse estudo projetivo.

Os amparadores preparam e agendam diversos eventos extrafísicos para aferir a qualidade e a raça dos projetores sob o seu mestrado.
Pouco importa a linha espiritual de um grupo. O que realmente faz diferença é a sintonia de propósitos das pessoas. Cada um atrai para si mesmo o clima espiritual que comunga em seu íntimo. Logo, para quem participa de um grupo projetivo ou espiritualista, é necessária uma constante manutenção de propósitos lúcidos e responsáveis em seus procedimentos.

Boa parte das pessoas interessadas em temas espirituais ou projetivos continua padecendo do medo de espíritos, mesmo tendo acesso aos estudos pertinentes.

Há duas posturas equivocadas que as pessoas cometem no trato com os espíritos: Com os espíritos trevosos ou adoentados consciencialmente, as pessoas evidenciam o medo, como se não estivessem de frente com pessoas iguais a elas mesmas, apenas numa condição distorcida em dado momento de sua evolução. Por outro lado, muitas pessoas devocionam os espíritos elevados como se eles fossem potestades divinas, quando na verdade eles também são apenas pessoas extrafísicas numa condição sadia de sua evolução.

É bom lembrar que nós também somos espíritos imortais e cheios de potenciais. Não precisamos nem do medo de espíritos doentes nem da "babação" em cima de amparadores. Para os doentes e obsessores, vamos projetar luz e ajudar dentro do possível. Para os amparadores, vamos agradecer o auxílio que eles nos dão, mas vamos deixá-los contentes mesmo é com o nosso esforço em aprimorarmos os nossos potenciais humanos e espirituais.

Procurem uma melhor sintonia com os planos mais elevados, seja por que método for (preces, mantras, manipulação energética, meditação), mas o essencial é o amor que se coloca nisso.
Leiam mais sobre projeção e temas espirituais, dentro das condições de tempo e disponibilidade possíveis a cada um, pois isso mantém a mente ligada a parâmetros conscienciais diferentes da vigília física e facilita a sintonia com outros planos de manifestação.

Confiança espiritual é estado íntimo!
Ser um bom projetor *** não depende de alguma linha espiritual específica que você se identifique mais. Depende mais de sua determinação nesse estudo, de sua boa vontade em ser útil de alguma maneira, de seus propósitos, e principalmente das intenções que viajam em seu coração espiritual.
Combata os seus medos!

Mantenha a sua auto-estima sempre elevada, mesmo que você tenha cometido um grande erro antes. Aprenda com o mesmo, sem autoculpa e siga em frente...
Não se iluda. O plano extrafísico sabe muito bem quem você é.

De que adianta fazer uma prece apenas por condicionamento mental religioso, se o coração estiver vazio de amor e respeito pelos outros?
A melhor técnica de todas: PROCURE SER FELIZ, DENTRO OU FORA DO CORPO. O RESTO VIRÁ POR SINTONIA NATURAL DECORRENTE DISSO.
Bom, pessoal, fui relatar a projeção e acabei escrevendo demais.

Será que isso também estava agendado pelos amparadores?

PS: Mais do que a aparência, prestem mais atenção nas energias das pessoas e das coisas. Muita coisa é revelada pela assinatura energética de alguém. E não precisa ser clarividente para saber disso. Basta sentir espiritualmente e usar o bom senso para filtrar tudo aquilo que lê, vê e escuta.

Vou pesquisar mais sobre os símbolos que vi na projeção e depois comentarei sobre eles numa das próximas reuniões do GEAE.

Um abraço a todos da lista.

Paz e Luz.

- Wagner Borges (sujeito com qualidades e defeitos, 41 anos de "encadernação", que só tem a agradecer ao Grande Arquiteto Do Universo pelas muitas oportunidades que tem recebido na vida.) – São Paulo, 22 de abril de 2003.

- Notas:
* Psicossoma (do grego): Corpo espiritual, Corpo astral, Perispírito, Corpo sutil.
** Paramãos: Mãos extrafísicas.
*** Projetor: Viajante astral, Viajante espiritual, Viajor extrafísico, Projetor espiritual.

ImprimirEmail