VIAJANDO COM OS RISHIS

Caro amigo,

Se queres entrar na cidade de Brahman, apresente ao guardião do portal o passaporte do amor incondicional.
Não temas! O guardião pode perceber os teus pensamentos mais secretos. Mas se, em meio ao denso emaranhado das formas mentais, ele perceber o brilho do teu esforço em superar a roda do Samsara, ele sorrirá e guiará os teus passos na jornada interior.

Lembra-te dos ensinamentos dos rishis:
- Tudo é Brahman!
- Tu és Ele!
- A morte é uma quimera de Maya.
- Para aquele que atingiu a riqueza do estado de serenidade imperecível e emancipou-se das vias ilusórias da mente, que valor do mundo poderá tentá-lo?
- Junte a palha de tuas tolices e acendas o fogo do discernimento.
Faça uma fogueira em teu próprio ser e queime as intemperanças. Dance em volta do fogo da sabedoria e celebre a nova lucidez que surgirá cheia de brilho em tua consciência. Observe o crepitar das chamas e deleite-se sentindo o pipocar de novos pensamentos repletos daquela alegria silenciosa que abraça a alma do mundo sob a inspiração celeste.
Ofereça a fogueira a Brahman!
- Convide O Divino Concertista para um concerto na câmara secreta de teu coração. Ele tocará a canção eterna do silêncio.
E tu o ouvirás no silêncio, no silêncio, no silêncio... Do despertar de tua consciência.
- Tens um sol de amor em teu coração. Irradia a tua luz na linha do horizonte do infinito de teus potenciais espirituais e dilui as trevas da madrugada de teu antigo eu. Opera o milagre do amanhecer da consciência cósmica em teu ser.
- Tens um amigo secreto que não vês. Ele ora por ti. Ele impulsiona o teu viver. Ele o aguarda na calada da noite do teu velho eu pretensioso e tolo. Desperta, atman, eu de Brahman, e encontra-o no despertar do sol do samadhi.

* * *
Caro amigo,

O vento da esperança trouxe a canção cósmica aos ouvidos sutis do teu coração. Já é hora dos homens sem turbante e sem mantos de renúncia terem o acesso aos ensinamentos dos rishis. Cumpre a missão que Brahman te confiou: leva música e espiritualidade entre os homens de todas as raças e crenças. Do mesmo jeito que os mentores te ensinaram, repassa aos homens livremente os ensinamentos da sabedoria exalada pelos rishis. Eles vivem na consciência cósmica, mas estão atentos ao que ocorre no turbilhão emocional dos planos densos. Eles escutam os gritos de agonia dos homens e velam pela humanidade em silêncio.
É hora de trazer os valores dos Upanishads ao mundo moderno e explicá-los simplesmente na linguagem dos homens comuns.
Repasse aos teus irmãos o ouro que os mentores te passaram. Compartilha com os teus colegas de estudo a atmosfera serena dos rishis. Junto com eles forma um imenso coração espiritual cheio de amor silencioso a favor da humanidade.
Trabalha hoje com eles na sintonia dos rishis e celebrem a dança da sabedoria nas chamas do amor incondicional.
O guardião do portal observará os procedimentos de cada um e carimbará os passaportes sintonizados à Divina Consciência.
Que ele encontre o brilho do esforço digno em cada companheiro teu e em ti mesmo.
Que ele sorria e abra o acesso a cidade de Brahman.
É hora de servir ao mundo em silêncio e viajar espiritualmente nas asas luminosas da inspiração dos rishis.
Que eles abençoem vossa jornada.

OM TAT SAT.

- Os Iniciados - *
(Recebido espiritualmente por Wagner Borges; São Paulo, 07 de novembro de 2001).

* Os Iniciados: Grupo extrafísico de espíritos orientais que opera nos
planos invisíveis do Ocidente passando as informações espirituais oriundas da sabedoria antiga adaptadas aos tempos modernos e direcionadas aos estudantes espirituais do presente. Segundo eles, são "iniciados" em fazer o bem sem olhar a quem.

- Notas do sânscrito:

Rishis: Sábios plenos de bem-aventurança.
Brahman: O Todo, O Supremo, Deus, O Grande Arquiteto Do Universo.
Maya: Ilusão.
Upanishads: A parte final dos Vedas, fruto da inspiração dos rishis.
Atman: A essência divina, o Espírito imortal.
Samsara: A roda reencarnatória compulsória.
Samadhi: Expansão da consciência, Consciência cósmica.
Om Tat Sat: Mantra hinduísta que representa os três aspectos da divindade na manisfestação. É muito usado pelos estudantes de Vedanta, um dos seis grandes sistemas filosóficos da Índia, e também por diversos espiritualistas para a ativação dos chacras.

ImprimirEmail