VISITAS ESPIRITUAIS NO VENTO DO SUPREMO

- Por Wagner Borges - Pelas vias da clarividência*, percebo um amparador extrafísico** ao meu lado. É um velho amigo ligado à atmosfera espiritual do Budismo e companheiro de outras jornadas conscienciais. Ele sorri e me cumprimenta com um gesto de cabeça. Em seguida, ele aponta para a minha frente e, telepaticamente, me diz: "Eu trouxe um amigo seu, que quer muito falar com você. Ele já vem encontrando você fora do corpo, por várias vezes. Em algumas delas, você se lembrou; em outras, não. E, agora, pelas condições favoráveis em que você se encontra, ele resolveu se manifestar aqui mesmo, em seu ambiente humano."

Então, eu vejo de frente a visita extrafísica: é o Suyama, meu amigo japonês, que freqüentava minha casa e trabalhou muitos anos comigo em diversas atividades anímico-mediúnicas, no IPPB e em outros lugares. Ele era médium dos bons e exímio clarividente. Passou por muitos lugares e era um sujeito com postura universalista, que fazia amizade fácil, mas gostava mesmo era de Umbanda e de estudos sobre experiências fora do corpo. No ano de 1996, aos 47 anos, ele se mandou para o plano extrafísico, devido a problemas hepáticos. Há algum tempo venho me lembrando de encontros fora do corpo com ele, mas sempre envolvido em trabalhos de assistência extrafísica, e nunca com tempo para batermos aquele papo. E ele está sempre sorrindo e irradiando energia pelas mãos. Suas condições espirituais são muito boas. E, agora, ele está aqui mesmo, na sala do meu apartamento. Eu estou sentado em frente ao computador, a Maria Luz, minha filha caçula - 13 anos -, está tirando uma soneca no sofá, e ele está aqui no meio da sala, sorrindo e batendo palmas. E, ao meu lado, o amparador budista. Nem preciso dizer que a sala está cheia de energia branco-prateada e que há um grande contentamento no ar. O Suyama me fala de algumas coisas particulares, dele mesmo e minhas também, e diz que se sente honrado pelos anos que trabalhamos juntos. Fala da alegria de me reencontrar e comenta, animado, sobre o trabalho que está realizando atualmente no plano espiritual (ele atua num templo de cura do Astral e ajuda espíritos recém-desencarnados a se readaptarem à vida extrafísica). Ele olha para minha filha adormecida no sofá, que ele conheceu bem pequena, e diz que ela está enorme. Brincando, me pergunta se dei fermento para a menina ter crescido tanto. Então, olho para o meu amigo budista ao lado e vejo que seus olhos estão brilhando muito. Sei que ele está conectado a um estado elevado de consciência - lucidez e amor integrados na alegria serena. Olho para o Suyama novamente, com sua amizade e alegria, e agradeço-lhe pela visita agradável e pelos toques conscienciais particulares. Olho para minha filha dormindo - ela está curtindo suas férias escolares aqui em casa -, e peço ao Grande Arquiteto Do Universo que abençoe seus caminhos de vida. Estou entre três consciências ligadas à minha vida, cada uma em seu próprio plano de manifestação: minha filha, meu amigo e o amparador. E a mesma luz espiritual interliga a todos nós. Penso num Poder Maior que me ajuda a ter essas percepções e agradeço a Ele, por tudo. Penso na humanidade e faço uma prece ao Alto, pelo bem de todos os seres. Ah, como eu gostaria de falar para todo mundo que a morte não existe e que as consciências se reencontram nos diversos planos da vida universal. Dizer para todos que o espírito é imortal e segue bem vivo, além... E que isso não se prova pelos cinco sentidos do corpo, mas pela sintonia entre os seres, de coração a coração. Na Terra ou no Astral, é o amor que faz acontecer a sintonia entre os seres. Quem ama, sabe. E compreende aquelas coisas do espírito, em seu coração. E só o Alto é que sabe o momento certo de cada coisa. Paciência na jornada. Discernimento a toda. Luz nos propósitos. Brilho nos olhos. Amor no coração. E um grande agradecimento ao Todo. Pois Ele está em tudo! P.S.: E agora, vou me sentar quietinho ali no quarto, para mergulhar profundamente nessa atmosfera maravilhosa que está aqui em casa. Vou colocar uma linda música para tocar e, junto com meu amigo e o amparador, irradiar silenciosamente essas energias por esse mundão de Deus, pelo bem de todos os seres... Acho que vou colocar para tocar um CD de mantras budistas. Ah, Ramakrishna***, como eu lhe agradeço por estar reencarnado nessa época e poder repassar um pouquinho das coisas do espírito para o mundo dos homens. Como você sempre me disse, há uma onda de amor divino em todas as coisas. Às vezes, eu a sinto, em meu coração. E só um pouquinho dela já é muita areia para o meu caminhão agüentar. E me lembro de você dizendo: "Menino, o vento de esperança da Mãe Divina tocou seu coração. Viaje na brisa dessa bem-aventurança. E leve aos homens o fogo do espírito vivo. Como homem também, vivendo e brincando entre eles, de igual para igual, como irmão e amigo. Confie na luz e entregue sua vida nas mãos da Mãe Divina, pois Ela é o seu escudo. Meu filho, o vento do Espírito Supremo soprou em seu coração. Por onde você for, compartilhe-o com os homens e com os espíritos, como quer a Mãe Divina." Pois é, meu amigo, entre trancos e barrancos, estou tentando... E só o Alto é que sabe por onde o Vento do Supremo soprará, e em quais corações a bandeira da esperança tremulará sob a ação daquele amor, que não se explica, só se sente... Paz e Luz. São Paulo, 01 de julho de 2008.

* Clarividência - do latim, clarus - claro; videre, ver - é a faculdade perceptiva que permite ao indivíduo adquirir informações acerca de objetos, eventos psíquicos, cenas e coisas, físicas ou extrafísicas, através da percepção parapsíquica de imagens ou quadros mentais. ** Amparador extrafísico - entidade extrafísica e positiva que ajuda o projetor nas suas experiências extracorpóreas; mentor extrafísico; mestre extrafísico; companheiro espiritual; protetor astral; auxiliar invisível; guardião astral; guia espiritual; benfeitor espiritual. *** Paramahamsa Ramakrishna: mestre iogue que viveu na Índia do século XIX e que é considerado até hoje um dos maiores mestres espirituais surgidos na terra do Ganges. Para se ter uma idéia de sua influência espiritual, posso citar que grandes mestres da Índia do século XX se referiram a ele com muito respeito e admiração, dentre eles o Mahatma Ghandi, Paramahamsa Yogananda e Rabindranath Tagore.

ImprimirEmail