A FLOR, O CRIADOR E O FOCO

- Por Frank -
 
De todas as possibilidades possíveis, Ele criou a flor.
Como conseguiu se concentrar?
Como conseguiu formar a flor, tendo à disposição milhares de outras idéias?
Como conseguiu dedicar tanto carinho e perfeição para a flor, e também para aquela estrela, que Ele acabou de fazer nascer?
Ele é o cara!
Porque entre a criação de uma estrela e a formação da flor, Ele ainda olha e sorri para mim.
O Rei da concentração e da criação.
Entre tudo aquilo que Ele tem para fazer, ainda arruma tempo para falar comigo.
Não diz nada e fala tudo.
Sorriso! Existe comunicação mais exata?
Se o sorriso fosse um número, seria infinito...
Queria ter escrito algo quando O vi, mas, no momento em que mais precisei, não havia caneta nem papel comigo.
Por que será que, nos momentos mais belos das nossas vidas, não carregamos com a gente uma máquina fotográfica, um gravador ou uma caneta? Piada divina!
Ele realmente é o cara!
E, quem sou eu?
De todas as possibilidades, escolhi criar quem eu sou.
Como consegui me concentrar?
Como consegui formar meu caráter, tendo à disposição milhares de outros personagens?
Da mesma forma que Deus criou a flor: Foco!
Contudo, entre trancos, vidas e barrancos - todos sabem -, é difícil manter o foco.
Impossível se concentrar. Será?
Temos todas as possibilidades de nos tornarmos quem quisermos...
Ou fazer se tornar realidade todos os sonhos possíveis.
Mas por que demoramos tanto?
Ou por que, às vezes, temos a impressão de que nunca chegaremos lá?
Falta de foco! Por isso não somos o cara!
Não dedicamos carinho aos nossos projetos. Falta amor e dedicação.
Por isso nossas vidas são imperfeitas.
Não estamos trabalhando com aquilo com que viemos aqui para fazer, pois perdemos o foco.
E se, em lugar de todo aquele tempo gasto com picuinhas, tivéssemos nos dedicado totalmente ao grande projeto das nossas vidas?
Onde estaríamos agora?
Será que já não teríamos criado a nossa flor?
 
 
- Nota de Wagner Borges: Frank é o pseudônimo do nosso amigo Francisco de Oliveira, participante do grupo de estudos do IPPB e da lista Voadores. Depois de vários anos morando em Londres, ele voltou a residir em São Paulo, em fevereiro de 2005.
Ele escreve textos muito inspirados e nos autorizou a postagem desses escritos.
Há diversos textos dele postados em sua coluna da revista on line de nosso site e em nossa seção de textos periódicos, em meio aos diversos textos já enviados anteriormente. www.ippb.org.br – Outros textos podem ser acessados diretamente em seu blog na Internet: http://cronicasdofrank.blogspot.com

Imprimir